aqui no aqui tem coisa encontram-se
coisas, coisas, coisas...
...desde janeiro de 2003

Rodrigo Mora Colunista do UOL 09/12/2021

Exclusivo: Mercado nacional de veículos antigos movimentou R$ 32 bi em 2019

Uma pesquisa socioeconômica encomendada pela FIVA (Federation Internationale Vehicules Anciens) e executada pela JDA Research revelou que o mercado de antigomobilismo no Brasil movimentou R$ 32,6 bilhões em 2019.

De acordo com o estudo da consultoria britânica, o montante é composto por R$ 16,1 bi gastos com seguros, manutenção, restauração, armazenamento e combustível, entre outros serviços; R$ 12,3 bi em compra e venda de veículos históricos, R$ 3,5 bi em eventos de veículos históricos (hotelaria, alimentação e inscrições) e R$ 768 milhões em gastos considerados indiretos, como mensalidades de clubes, revistas especializadas e souvenirs.

Ainda segundo a FIVA, a pesquisa foi conduzida virtualmente entre agosto e novembro de 2020 e entrevistou cerca de 55.000 pessoas em todo o mundo, coletando cerca de 120.000 avaliações detalhadas de veículos históricos. Descreve as principais descobertas para o Brasil e se baseia em 1.097 pesquisas com proprietários e entusiastas e em 3.080 avaliações dos veículos históricos de sua propriedade.

Outros dados importantes coletados pela JDA mostram que:
– Existem ao menos 3,2 milhões de veículos históricos (3% da frota de 108 mi de veículos);
– Esses veículos pertencem a cerca de 1,2 milhão de colecionadores (média de 2,7 veículos por proprietário);
– 79% dos colecionadores são associados a algum clube e 88% frequentam eventos de veículos históricos;
– Em média, os proprietários ficam com seu veículo por 11 anos;
– 4 em cada 10 veículos são das marcas VW e Chevrolet;
– O veículo histórico percorre uma média de 779 km/ano, enquanto a motocicleta histórica percorre 361 km/ano;
– Em média, um veículo histórico sai às ruas 18 vezes ao ano;
– A idade média do antigomobilista brasileiro é de 52 anos….

Um colecionador gasta, em média, R$ 13.400 por ano na restauração, manutenção e operação, R$ 2.900 na participação em eventos de veículos históricos, R$ 640 em outros itens relacionados ao seu interesse em veículos históricos, como mensalidades de clubes, revistas especializadas, souvenirs; e R$ 10.250 na aquisição de veículos. Somando, são R$ 27.200 por proprietário.

Na média, carros clássicos (que respondem por 86% da frota de antigos) custam R$ 129 mil, segundo a pesquisa; o valor médio de motocicletas (4%) é de R$ 34 mil.

Para Roberto Suga, os resultados da pesquisa podem alavancar negócios inexistentes no Brasil atualmente.

“Lá fora que as empresas de seguros fazem seguro de carros antigos, aqui não. Não temos consórcio, financiamento, linhas de crédito para compra de carros antigos. Não há um serviço de precificação de carros antigos. Não há um serviço organizado de assessoria para compra e venda de carro antigo. Enfim, há muita coisa para a qual o mercado do carro antigo no Brasil ainda não se atentou. Acredito que com esses dados tanto empresas já estabelecidas no mercado quanto novas iniciativas possam surgir para atender às demandas”, analisa o presidente do Conselho da Federação Brasileira de Veículos Antigos (FBVA).

E um recado às fabricantes, que ainda ignoram o mercado de clássicos:

“As montadoras deveriam pensar em estabelecer uma fidelização com a marca através da paixão já existente pelos veículos de coleção e transformar esse colecionador em um consumidor de seus veículos novos, seja com patrocínio em eventos, lançamento de produtos e em ações mais criativas como o evento que aconteceu com os clubes de colecionadores de Chevrolet na pista de provas da GM em Indaiatuba”, relembra.

é isso, por fernando stickel [ 8:14 ]


Eu tive o prazer de ser o primeiro cliente! Abriu Bachir a dois quarteirões da minha casa, na esquina da R. Diogo Jácome com a Av. Helio Pellegrino, deliciosa sorveteria libanesa! Com lojas em Beirute e Paris, a tradição está na família de Maurice e Carolina, os donos, que muito simpáticos me ofereceram sorvete logo às 9:30h da manhã, que apreciei gulosamente!!!


Combinação perfeita, Mercedes Benz 280 SL com Bachir!

é isso, por fernando stickel [ 8:08 ]


Sandra como navegadora e eu participamos do 105º Raid do MG Club – Rallye de Campos do jordão – Pedra do Baú, com a Mercedes-Benz 280 SL 1970!


Largada da Etapa Noturna, sexta-feira 3/12 19:00h


Em plena competição!


Em plena ação!


A Pousada do Quilombo fica em um cenário privilegiado, em São Bento do Sapucaí, de frente para a Pedra do Baú!
A Pagoda comportou-se com perfeição, de dia e de noite, e a recém instalada proteção térmica cumpriu com eficiência seu papel.


No quesito navegação a coisa não foi tão bem… Principalmente porque utilizamos pela primeira vez um aplicativo de celular chamado Rabbit, que nada mais é que uma planilha eletrônica que teoricamente controla tudo pelo GPS. No entanto, a mistura do Rabbit com a planilha em papel tradicional revelou-se uma tragédia, ao menos para nós…
Desta maneira ficamos em 11º na Etapa Noturna e 12º no sábado, 4 Dezembro.

é isso, por fernando stickel [ 9:09 ]

Obrigado a todos que participaram do DIA DE DOAR! Doadores, pensadores, divulgadores, incentivadores, todos que se envolveram de alguma forma!

A cultura de doação não é uma tradição brasileira, como é o caso por exemplo da cultura norte americana. A cultura de doação precisa ser compreendida por nós brasileiros, aceita, incorporada e difundida, por todos. É uma importantíssima ferramenta de desenvolvimento da sociedade.

Trata-se de uma renovação de visão, é a compreensão de que cada um de nós pode fazer a diferença, pois o ato de doação é liberador, ele contamina tudo e todos, espalhando bondade, crescimento, evolução, felicidade.

E também não se trata do valor da doação, pois cada doador o faz em sua escala, e também pode não envolver dinheiro, e sim tempo, trabalho voluntário e outros bens.

A pandemia trouxe consigo um ponto positivo, que foi despertar em todos a aguda sensação de que é preciso fazer algo pelos que tem menos condições. A cultura de doação se disseminou mais um pouco desta maneira, e assim continuaremos a promovê-la, rumo a uma sociedade mais justa e generosa.

é isso, por fernando stickel [ 9:17 ]

É amanhã!!! 30 Novembro!!

Em 2022 a Fundação Stickel expandirá seu alcance para novos bairros da periferia de São Paulo, com uma maior e mais diversa oferta de cursos, todos gratuitos.

Você que acredita na causa da Fundação Stickel pode continuar a nos ajudar a transformar vidas através da arte!

Participe! #diadedoar

#ARTETRANSFORMA e sua doação muda mundos! ?

Faça sua doação aqui!

é isso, por fernando stickel [ 8:23 ]

No Instagram do Mercedes-Benz Museum: The very definition of beauty!

é isso, por fernando stickel [ 10:26 ]


Pista de Interlagos em 1963, era assim que eu frequentava o autódromo na minha adolescência!
Ao final da reta a Curva 1, de alta velocidade… Não existe mais.

é isso, por fernando stickel [ 10:47 ]

Paula Fabiani, presidente do IDIS, inicia os trabalhos do 10º Fórum Brasileiro de Filantropos e Investidores Sociais, que aconteceu em 17 de novembro de 2021, no Jockey Club de São Paulo, com o tema ‘Capital e a Humanidade’

Realizado pelo IDIS, em parceria com o Global Philanthropy Forum e a Charities Aid Foundation, esta edição teve apoio prata do Banco Interamericano de Desenvolvimento – BID, e apoio bronze da Fundação José Luiz Egydio Setúbal, Instituto Sicoob, Mattos Filho Advogados e Movimento Bem Maior.


Professor Hélio Santos: Para cada 10 anos de existência do Brasil 7 foram sob escravidão!


Lindo local para um encontro!

é isso, por fernando stickel [ 10:19 ]

Faleceu meu amigo Hugo Curti aos 54 anos.
Isso lá é idade pra morrer, Hugo? Que sacanagem, fiquei indignado, injuriado, perplexo, desorientado, triste… Puxa!

O que fazer?

Desejar que sua estrela continue brilhando, e que faça uma linda viagem!
Envio também um forte abraço para a Raquel e seus familiares e amigos.

A foto do Hugo tirei na inauguração da exposição do Baravelli no Espaço Fundação Stickel na Vila Olímpia ,em 2005

é isso, por fernando stickel [ 9:30 ]


A Fundação Stickel promoveu atividades educativas com o artista Adolfo Montejo Navas e os educadores da Escola Estadual Condessa Filomena Matarazzo em Ermelino Matarazzo.


As equipes da Fundação e da Escola.

é isso, por fernando stickel [ 10:29 ]

No dia em que meu amigo Frederico Jayme Nasser, falecido em 2020, completaria 76 anos de idade, Sandra e eu completamos a repintura de uma parede do nosso apartamento, para acomodar três pintores brasileiros.
Ubi Bava, nascido em 1915 em Santos SP; Dudi Maia Rosa nascido em 1946 em São Paulo e Quirino Campofiorito nascido em 1902 em Belém, PA


Ubi Bava, ost 1986; Dudi Maia Rosa, ast, 1975


Dudi e Quirino Campofiorito, ost 1977


Os três juntos na parede repintada.

é isso, por fernando stickel [ 12:49 ]

é isso, por fernando stickel [ 9:07 ]


Foto Lucas Cruz
Performance de Adolfo Navas na abertura de sua exposição no Espaço Fundação Stickel em 23 outubro.


Minha mãe assiste sentada à performance.


A equipe que fez acontecer (falta o Igor e o Marco) Eu, Navas, Lucas, Marco, Miriam e Agnaldo.

é isso, por fernando stickel [ 10:33 ]


Um dos problemas da Mercedes-Benz 280SL 1970 (w113) é que ela não foi projetada para uso em países tropicais, a consequência é o aquecimento do habitáculo, principalmente em viagens mais longas, ou em trechos urbanos com trânsito. A solução está no isolamento térmico, para melhorar a habitabilidade.
O fabuloso Tica foi contratado para o serviço, o primeiro passo é desguarnecer toda a tapeçaria.


Na sequência aplicar a manta térmica.


A terceira fase é a proteção com alumínio.


Para aumentar a proteção, um escudo de alumínio foi criado ao longo dos canos de escapamento, que correm exatamente sob os pés do passageiro.


A peça especial.

é isso, por fernando stickel [ 10:15 ]


A Fundação Stickel convida para a exposição inédita de Adolfo Montejo Navas, com curadoria de Agnaldo Farias.
Sábado 23 outubro 2021 das 11 às 16h, no Espaço Fundação Stickel
R. Nova Cidade 195 – Vila Olímpia São Paulo
O poeta e artista visual madrilenho faz a sua primeira individual em São Paulo. A exposição terá obras entre poesia visual, objetos, fotografia, caligrafia, textualidade e desenhos. A mostra se apoia em dois eixos magnéticos, o verbal e o visual, criando a poesia ampliada que marca o trabalho e as pesquisas de Navas.
Durante a abertura, acontecerá a performance de um poema visual ao vivo, realizada pelo próprio artista às 11:30h

Período de visitação de 23/10 a 17/12/2021 De segunda a sexta-feira das 10 às 18h, Sábado das 11 às 15h Obrigatório uso de máscara.
Mais informações: (11) 3083-2811

é isso, por fernando stickel [ 9:38 ]


Mira Schendel
Série Paisagem, 1963
nanquim sobre papel arroz
27,5 x 21 cm cada desenho


Na SP Arte, Galeria Paulo Kuczynski.

é isso, por fernando stickel [ 23:43 ]


Visita guiada à 34ª Bienal de São Paulo, com o tema “Faz escuro mas eu canto”, com o curador e professor Agnaldo Farias.


Agnaldo levou um grupo de seus alunos na FAUUSP, e nós, Sandra e eu, mais o Kiko Farkas e sua mulher Carla Caffe.
Foi a minha primeira visita guiada, confesso que faz uma gigantesca diferença!

é isso, por fernando stickel [ 9:03 ]


Deliciosa comemoração do meu aniversário, com bexigas e netos! Obrigado Sandra!


Sandra preparando os chocolates “quadradinhos”com Ian e Noah.


Antonio e sua nova Toyota Hilux “Quadradinha”


Bexigas circulando!

é isso, por fernando stickel [ 9:40 ]