aqui no aqui tem coisa encontram-se
coisas, coisas, coisas...
...desde janeiro de 2003

sabedorias

caio fernando abreu

No meio do silêncio e do verde, a presença de Deus fica mais clara.
Essa luz ilumina os porões da mente, desfaz o mofo, espanta os fantasmas.
Com cuidado, chamo a isso de ‘felicidade’.
Ela pousa, muito leve, no telhado desta casa.

Obrigado

Caio Fernando Abreu
18/06/1989

Meu comentário: A natureza, o silêncio e a luz podem ser a mais pura tradução daquilo que eu entendo ser Deus. Feliz aquele que percebe.

é isso, por fernando stickel [ 10:23 ]

rotavirus

Sandra e eu comentamos recentemente o quanto gostamos de comer, em qualquer situação. E como este prazeiroso hábito resiste a qualquer instabilidade. Pois então. Perdi o apetite, indicativo de algo grave.

Sem álcool, sem café, sem doce, sem gordura, sem apetite e sem prazer. Assim foram meus últimos cinco dias, nos quais perdi 1,5 kg.

É um novo tipo de dieta? Não. É doença mesmo.

Responsável pela façanha atende pelo nome de Rotavírus e a doença é a gastroenterite. Lembro de uma pneumonia que tive há mais de 40 anos atrás que me derrubou de maneira similar.

Falta de energia, febre, inchaço abdominal, diarréia, inépcia mental, falta de apetite são algumas das coisas que ocorreram nestes dias. As horas passam e você parece envolto em uma névoa abafada e opaca de falta de vontade de fazer qualquer coisa.

O sofá do apartamento não me aguenta mais…

Desci no térreo do meu prédio para tomar um sol e os poucos passos necessários para a ação me pesaram. É assim, não há o que fazer, é comer maçã sem casca e aguardar a melhora.

ATUALIZAÇÃO: Ontem, domingo 6/8/23 acordei melhor, com mais vontade de fazer coisas, comi melhor, passeei com os cachorros à tarde, sem cansaço, e até uma pizza (sem muzarela) comemos! Ou seja, no quinto dia da encrenca SAREI!!!

é isso, por fernando stickel [ 12:02 ]

religião

Religião não é algo que ocupe minha mente ou meu coração, simplesmente não faz parte da minha vida, da minha rotina.

Por outro lado, aos 74 anos de idade acredito que haja sim alguma força (espírito, essência) superior, à qual agradeço diariamente minha existência e a possibilidade de estar aqui e agora sobre este maravilhoso planeta, celebrando a vida rodeado de gente, coisas, bichos, paisagens, água, céu, nuvens, música, arte, ciência, experiências e novidades sem fim!

Acredito que haja algo após a morte, não sei direito o que, nada relacionado a céu e inferno, mas com certeza haverá um seguimento da alma, do espírito.

Não considero que a Humanidade e suas Tribos devam criar e se sujeitar a regras e punições religiosas de qualquer natureza, muito menos acreditar em pecado e culpa, e principalmente, não espero que ninguém mate ou morra em nome de religião, qualquer uma, ou qualquer tipo de lider religioso.

Talvez seja possível experimentar, após a morte, algo que experimentei em vida muitos anos atrás, em uma noite em Campos do Jordão. Leia aqui.

Meu pensamento no dia 12/2/2017, uma data quase palindrômica:

Ter Deus dentro de si significa fazer as coisas com amor, calma, firmeza, determinação e compaixão.
E dar tempo ao tempo.
Nem sempre é fácil, nem sempre dá certo, mas no longo prazo a receita é infalível.

é isso, por fernando stickel [ 22:57 ]

o oco do cristal

O oco do cristal

Deito, fecho os olhos e logo sinto meu corpo se alongar.
Primeiro alguns centímetros, depois alguns metros, depois quilômetros, milhares de milhas, trilhões de anos-luz, até que sou apenas um ponto de consciência alcançando as fronteiras do Universo, e o que vejo, o que SEI, é que o Universo que conhecemos, as Galáxias, Nebulosas, a Via-láctea, Black Holes, enfim tudo que a ciência nos deu a conhecer até hoje situa-se no
OCO DE UM CRISTAL
E existem outros cristais, e o “nosso” universo se reflete nas paredes do “nosso” cristal.
Não temos a menor idéia do que há além.
Eu vi que existem outros.

Este texto acima está no meu primeiro livro “aqui tem coisa” de 1999, editado pela DBA. Relata a experiência que tive em Campos do Jordão.
Hoje tropeço no artigo abaixo, que me lembrou minha experiência extra-corpórea.

Scientists Claim That Quantum Theory Proves Consciousness Moves To Another Universe At Death

A book titled “Biocentrism: How Life and Consciousness Are the Keys to Understanding the Nature of the Universe“ has stirred up the Internet, because it contained a notion that life does not end when the body dies, and it can last forever. The author of this publication, scientist Dr. Robert Lanza who was voted the 3rd most important scientist alive by the NY Times, has no doubts that this is possible.Beyond time and space

Lanza is an expert in regenerative medicine and scientific director of Advanced Cell Technology Company. Before he has been known for his extensive research which dealt with stem cells, he was also famous for several successful experiments on cloning endangered animal species.??But not so long ago, the scientist became involved with physics, quantum mechanics and astrophysics. This explosive mixture has given birth to the new theory of biocentrism, which the professor has been preaching ever since.  Biocentrism teaches that life and consciousness are fundamental to the universe.  It is consciousness that creates the material universe, not the other way around.

Lanza points to the structure of the universe itself, and that the laws, forces, and constants of the universe appear to be fine-tuned for life, implying intelligence existed prior to matter.  

He also claims that space and time are not objects or things, but rather tools of our animal understanding.  Lanza says that we carry space and time around with us “like turtles with shells.” meaning that when the shell comes off (space and time), we still exist.?The theory implies that death of consciousness simply does not exist.   It only exists as a thought because people identify themselves with their body. They believe that the body is going to perish, sooner or later, thinking their consciousness will disappear too.  If the body generates consciousness, then consciousness dies when the body dies.
But if the body receives consciousness in the same way that a cable box receives satellite signals, then of course consciousness does not end at the death of the physical vehicle. In fact, consciousness exists outside of constraints of time and space. It is able to be anywhere: in the human body and outside of it. In other words, it is non-local in the same sense that quantum objects are non-local.?Lanza also believes that multiple universes can exist simultaneously.  In one universe, the body can be dead. And in another it continues to exist, absorbing consciousness which migrated into this universe.

This means that a dead person while traveling through the same tunnel ends up not in hell or in heaven, but in a similar world he or she once inhabited, but this time alive. And so on, infinitely.  It’s almost like a cosmic Russian doll afterlife effect.?Multiple worlds?This hope-instilling, but extremely controversial theory by Lanza has many unwitting supporters, not just mere mortals who want to live forever, but also some well-known scientists. These are the physicists and astrophysicists who tend to agree with existence of parallel worlds and who suggest the possibility of multiple universes. Multiverse (multi-universe) is a so-called scientific concept, which they defend. They believe that no physical laws exist which would prohibit the existence of parallel worlds.The first one was a science fiction writer H.G. Wells who proclaimed in 1895 in his story “The Door in the Wall”. 

And after 62 years, this idea was developed by Dr. Hugh Everett in his graduate thesis at the Princeton University. It basically posits that at any given moment the universe divides into countless similar instances. And the next moment, these “newborn” universes split in a similar fashion. In some of these worlds you may be present: reading this article in one universe, or watching TV in another.Our souls are in fact constructed from the very fabric of the universe – and may have existed since the beginning of time.  Our brains are just receivers and amplifiers for the proto-consciousness that is intrinsic to the fabric of space-time. So is there really a part of your consciousness that is non-material and will live on after the death of your physical body?
Dr Hameroff told the Science Channel’s Through the Wormhole documentary: “Let’s say the heart stops beating, the blood stops flowing, the microtubules lose their quantum state. The quantum information within the microtubules is not destroyed, it can’t be destroyed, it just distributes and dissipates to the universe at large”.  Robert Lanza would add here that not only does it exist inthe universe, it exists perhaps in another universe.If the patient is resuscitated, revived, this quantum information can go back into the microtubules and the patient says “I had a near death experience”‘

He adds: “If they’re not revived, and the patient dies, it’s possible that this quantum information can exist outside the body, perhaps indefinitely, as a soul.”

This account of quantum consciousness explains things like near-death experiences, astral projection, out of body experiences, and even reincarnation without needing to appeal to religious ideology.  The energy of your consciousness potentially gets recycled back into a different body at some point, and in the mean time it exists outside of the physical body on some other level of reality, and possibly in another universe.

é isso, por fernando stickel [ 9:11 ]

sabedoria dos sessenta


Erico Stickel em sua casa na R. dos Franceses em 2003.

Mil anos atrás perguntei ao meu pai se ele já tinha tomado um dry martini, ao que ele me respondeu que não. Perguntei então se ele não gostaria de experimentar um, e ele mais uma vez disse que não. Achei meio estranha e ridícula sua recusa de experimentar algo “novo” e segui na minha arrogância de jovem.

No Estadão de hoje Leandro Karnal comenta sobre seu aniversário de 60 anos: “Não preciso mais conhecer o novíssimo restaurante três estrelas Michelin inaugurado em uma vila da Ligúria, a três horas de carro de Gênova. Enfrentar menus obrigatórios com espuma e fumaça? Nunca mais. Farei em casa minha massa de grão duro, tomate fresco, manjericão, muçarela de búfala e um fio de azeite bom – com duas ou três pessoas íntimas. Esse é meu paraíso três estrelas!”

Hoje penso exatamente como o Karnal, e percebo, olhando para trás, como meu pai já havia conquistado silenciosa e discretamente a sabedoria dos sessenta… e sua taça diária de vinho…

Leandro Karnal

Bodas de diamante
Seriam os 60 os novos 40? Os 60 são 60 mesmo, com todas as suas glórias e desastres.

A partir de agora, posso entrar na fila das prioridades. Chego ao jubileu de diamante: 60 verões completados.
Se fosse uma referência histórica, poderíamos dizer que dobro o Cabo da Boa Esperança. O primeiro contato lusitano com o promontório meridional da África dá origem ao termo Cabo das Tormentas. Depois, com a pressão do poder em Lisboa, surge o novo nome, mais suave. Será assim comigo? Outro dado animador: o ponto extremo sul-africano é o Cabo das Agulhas. Há coisas novas a descobrir.
Seriam os 60 os novos 40? Os 60 são 60 mesmo, com todas as suas glórias e desastres. Prossigo na chamada “maturidade com saúde”.
Na prática: tenho mais tempo atrás do que pela frente. Minha casa é muito mais atrativa agora. Minha cama é uma companhia extraordinária. Ver uma boa série deitado, confortavelmente, tem se tornado meu nirvana. Não preciso mais conhecer o novíssimo restaurante três estrelas Michelin inaugurado em uma vila da Ligúria, a três horas de carro de Gênova. Enfrentar menus obrigatórios com espuma e fumaça? Nunca mais. Farei em casa minha massa de grão duro, tomate fresco, manjericão, muçarela de búfala e um fio de azeite bom – com duas ou três pessoas íntimas. Esse é meu paraíso três estrelas. Essa é minha consciência de 60 anos.

A libido que explodia diariamente (e de forma inconveniente aos 20) é agora uma experiência um pouco mais espaçada. A vontade de passar uma semana acampado no deserto de Gobi, sem tomar banho, foi realizada. Amo meu chuveiro de forma apaixonada e sou feliz sob o fluxo da água na minha residência. Em mim, Marco Polo perde uma parte do seu impulso.
Nunca fui melancólico. O que ocorre é o fim da sofreguidão, o fim do furor com as coisas, a pressa absoluta que há de ter marcado minha existência. A ansiedade diminui. Já sei que sou e serei incompleto, que não verei tudo, que não conhecerei tudo. Aceito a contingência da vida e sei que a beleza está em seu caráter passageiro.
Reflito que, com minha idade, Shakespeare já estava morto há oito anos. O legal dos 60 é pensar que nunca serei como ele. Tive e tenho o privilégio de lê-lo. É o bastante! Faço bodas de diamante, ainda sendo carvão comum. No fim, convenço-me de que diamantes são pouco úteis no frio da vida… Tenho esperança de continuar lendo bem aos 70.
E você, querida leitora e estimado leitor? Teme algo ao ver a estação final cada vez mais perto?

é isso, por fernando stickel [ 9:10 ]

dry january


Comecei ontem, 1/1/2023 o Dry January, ou Janeiro seco, significa simplesmente 31 dias sem consumir álcool, só isso.
Os benefícios desta pausa no consumo de álcool para a saúde são vários, o principal é um freio de arrumação nos hábitos etílicos… e em segundo lugar um belo auxílio na perda de peso.

é isso, por fernando stickel [ 18:15 ]

lavagem do passado

Encontrei o Augusto de Franco no Twitter, e me encantei com o texto dele a seguir, pois penso exatamente da mesma maneira, inclusive por ter votado no Lula nas últimas eleições…

A OPERAÇÃO LAVAGEM DO PASSADO EM CURSO

Um Ministério da Verdade orwelliano está a todo vapor agora.

1 – Não se fala mais em mensalão. É como se não tivesse existido, embora Lula tenha confessado que existiu, em entrevistas na Granja do Torto e em Paris no final de 2005, confundido-o espertamente com caixa 2 de campanha (versão falsa urdida por Thomaz Bastos e Malheiros).

2 – Não se fala mais em petrolão. O PT nada teve a ver com aquele mega esquema de corrupção, apesar da montanha de evidências.

3 – Não se fala em aparelhamento do Estado por militantes petistas. Embora haja relatórios muito precisos sobre isso. O governo Lula I criou mais de um cargo público por hora. Foram 37.543 cargos entre janeiro de 2003 e fevereiro de 2006.

3.1 – Dividindo sucessivamente por 38 meses, por 30 dias e por 24 horas, dá o total de 1,37 cargos por hora, representando uma despesa extra de 625 milhões por ano.

3.2 – Levantamentos feitos durante o primeiro mandato de Lula provaram que o grau de infestação ultrapassou todos os limites do bom senso (e.g., cerca de 90% dos cargos de direção do Ministério das Cidades sob o comando de Olívio Dutra, estavam, na época, nas mãos de petistas).

4 – Não se fala da rede suja de sites e blogs petistas, que introduziram, pela primeira vez, as fake news no debate público brasileiro. É como se nunca tivessem existido veículos, não raro financiados por dinheiro público ou propaganda de estatais.

4.1 – Exemplos em 2014: Brasil 247, Opera Mundi, Correio do Brasil, Revista Forum, Carta Capital, Pragmatismo Político, O Cafezinho, Viomundo, Brasil de Fato, Diário do Centro do Mundo, Conversa Afiada, GGN, Caros Amigos, Plantão Brasil, Tijolaço, Mídia Ninja, Outras Palavras, Carta Maior.

5 – Não se fala da responsabilidade do PT na introdução do “nós” contra “eles” na luta política, quer dizer, da visão populista de que a sociedade está vincada por uma única clivagem “povo” x “elites”, sendo que ‘povo’ aqui não é um conceito sociológico e sim político-ideológico.

6 – Não se fala do apoio do PT às ditaduras cubana, angolana, venezuelana e nicaraguense. Inventa-se, então, que o PT é socialdemocrata para esconder o seu caráter neopopulista de esquerda (tal como seus aliados estratégicos Chávez e Maduro, Ortega, Evo, Correa, Lugo, Funes).

7 – Diz-se que o PT nunca quis controlar a mídia (inventando a versão de que o partido defendia um tipo de regulação democrática como a que vigora no Reino Unido ou que o PT quer regular as mídias sociais – que nem existiam na ocasião em que essa bandeira começou a ser agitada).

8 – Pela fragilidade das provas da Lava Jato, tenta-se dizer que o sítio de Atibaia não era de Lula (embora todo mundo soubesse que era de Lula, ocupado regularmente por ele, ainda que não estivesse formalmente em seu nome). Ora, os bens de Putin também não estão em seu nome.

9 – Tenta-se dizer que Lula nunca se interessou pelo triplex de Guarujá (ainda que não o tivesse comprado de papel passado, pois ficou registrado em nome da OAS). Para não falar do empreendimento fraudulento da Bancoop, que está na raiz de tudo, dirigido por Berzoini e Vacccari.

10 – Repete-se, repete-se e repete-se, diariamente, durante anos a fio, que não há provas contra Lula e que tanto é assim que seus processos foram anulados. Como se ele tivesse sido absolvido pela justiça e como se os atropelos de Moro, Deltan e Cia. inocentassem Lula.

ADVERTÊNCIA. Critico o caráter populista e hegemonista do PT desde 2004. Não tenho nada a ver com bolsonarismo (direita, extrema-direita, conservadorismo, reacionarismo, anticomunismo). Bolsonaro não poderia ser reeleito porque estava erodindo nossa democracia. Votei em Lula.

Augusto de Franco escreve no blog DAGOBAH

é isso, por fernando stickel [ 13:48 ]

aretê

Aretê

Palavra de origem grega que expressa o conceito grego de excelência, ligado à noção de cumprimento do propósito ou da função a que o indivíduo se destina.

Perfeição ou virtude de uma pessoa. A aretê é identificada com aquilo que permite uma pessoa viver bem ou de modo bem-sucedido. Segundo Sócrates, a virtude é fazer aquilo que a que cada um se destina. Aquilo que no plano objetivo é a realização da própria essência e no plano subjetivo coincide com a própria felicidade.

Ainda no sentido grego, a virtude coincide com a realização da própria essência, e portanto a noção se estende a todos os seres vivos. O pensamento grego também abriu caminho para o ideal cristão segundo o qual o desenvolvimento pleno do aretê nos seres humanos consiste numa vida autossuficiente feita de contemplação e sabedoria.

A palavra em sânscrito, kusala, é usada no budismo para representar a mesma associação entre a perfeição e a arte de ser um bom ser humano.

é isso, por fernando stickel [ 12:21 ]

quatro doses


Completei a quarta dose da vacina contra a Covid 19. Algo que funciona bem e dá orgulho de ser brasileiro é o SUS e o sistema de vacinação. Parabéns!!!
Infelizmente temos umm presidente negacionista que se esforça para bombardear este sistema, ainda assim ele sobrevive.

é isso, por fernando stickel [ 8:51 ]

bandeira pan africana

Passeando hoje de manhã com os cachorros no Ibirapuera, Sandra e eu encontramos um grupo de cerca de 20 pessoas vestidas curiosamente e usando bandeiras tricolores, vermelho preto e verde. Perguntei a uma moça o que era esta bandeira e ela me respondeu:
– É só para preto.
Eu retruquei:
– Que interessante, não posso saber?
E ela, ríspida:
– Não, é só pra preto.
Aí olhei em volta e reparei que, de fato, o grupo era composto 100% de negros, ou pretos, como a moça se referiu.

Chegando em casa fiz a pesquisa na internet, e rapidamente descobri tratar-se da Bandeira Pan-Africana, símbolo oficial da Raça Africana.

Racismo ao contrário é o que?

é isso, por fernando stickel [ 17:52 ]

kruger e a arte

Barbara Kruger – Artista conceitual e feminista americana, nascida em 1945

“Acho que desenvolvi habilidades de linguagem para lidar com ameaças. É coisa de garota – você sabe, em vez de sacar uma arma.”

é isso, por fernando stickel [ 10:32 ]

e.e.cummings e a arte

e.e. cummings (1894-1962) poeta, escritor, dramaturgo americano.

“Agora os ouvidos dos meus ouvidos estão acordados e os olhos dos meus olhos estão abertos.”

é isso, por fernando stickel [ 16:15 ]

magritte e a arte

René Magritte (1898-1967) pintor surrealista belga.

“A mente ama o desconhecido. Ela adora imagens cujo significado é desconhecido, uma vez que o significado da própria mente é desconhecido. ”

é isso, por fernando stickel [ 0:08 ]

paul auster e a arte

Paul Auster – Nascido em 1947 – Escritor e diretor americano

“Somos continuamente moldados pelas forças da coincidência”.

é isso, por fernando stickel [ 21:41 ]

brecht e a arte


Bertolt Brecht (1898-1956) dramaturgo e poeta alemão

“A arte não é um espelho erguido para a realidade mas um martelo para moldá-la”.

é isso, por fernando stickel [ 8:39 ]

carl andre e a arte

Carl Andre Nascido em 1935, escultor americano.

“Um homem escala uma montanha porque ela está lá. Um artista faz uma obra de arte porque ela não está lá.”

é isso, por fernando stickel [ 15:19 ]

francis bacon


Henri Cartier-Bresson 1971

Francis Bacon (1909-1992) pintor irlandês

“O trabalho do artista é sempre aprofundar o mistério.”

é isso, por fernando stickel [ 10:37 ]

gullar e a arte

Ferreira Gullar (1930-2016) poeta e crítico brasileiro.

“A arte existe porque a vida não basta…”

é isso, por fernando stickel [ 9:23 ]