aqui no aqui tem coisa encontram-se
coisas, coisas, coisas...
...desde janeiro de 2003

máquinas

faleceu dirceu


Pela primeira desde o início da quarentena em Março estive ontem na oficina A M Marcelo, e soube do falecimento do Dirceu, após 44 anos trabalhando na oficina! Estivesse vivo completaria hoje, 20/7/2020, 74 anos de idade.


Em 2015, quando iniciei lá o restauro da Mercedes-Benz 280 SL 1970, conheci o mestre funileiro Dirceu Caseiro, na época com 69 anos de idade. Quieto, rabugento, homem de poucas palavras, mas um profissional do metal inigualável.


Dirceu lutou bravamente contra um cancer, e continuava a trabalhar na funilaria. Perdeu a luta no dia 10 Abril 2020, aos 73 anos de idade. Boa viagem Dirceu! Teu trabalho está gravado a ferro e fogo nos meus carros e em muitos outros de clientes satisfeitos!


Dirceu, eu e o painel traseiro da Mercedes.


Em 2017 Dirceu construiu do zero um capô de 300SL!!! Trabalho de mestre!!


Dirceu trabalhando na porta do Porsche 911S em 2018.

é isso, por fernando stickel [ 10:04 ]

submarinos


Um encontro com minha prima Stella no fim de semana em Campos do Jordão, com direito a conversas randômicas pelos temas da família e das memórias acabou me levando a contactar o Tio Roberto Guimarães, em Fort Lauderdale – USA, que muito simpaticamente atualizou e completou as informações deste post.

Nas comemorações da Semana da Marinha de 1962, o submarino Humaitá S-14, comandado pelo Capitão-de-Fragata Noísio Penna de Oliveira recebeu visitantes para um passeio na Baía de Santos.

Meu pai Erico e eu com 14 anos de idade fomos convidados para o passeio por um contraparente nosso, Roberto de Queiroz Guimarães, que na época era ajudante de ordens do Capitão-de-Mar-e-Guerra Átila Franco Ache, comandante da Flotilha de Submarinos.

O navio zarpou de Santos, eu simplesmente pirei com a experiência! A enorme quantidade de mostradores, canos, alavancas, o vento que a admissão dos motores diesel provocava dentro do submarino, poder visitar todas as áreas, ver os torpedos, camas, banheiros, cozinha, tudo apertadíssimo!

Depois de nos afastarmos do litoral e já em alto mar os motores a diesel foram desligados, as comportas fechadas e iniciada a submersão com os motores elétricos, eu pude olhar pelo periscópio, foi uma experiência inesquecível!

O Humaitá (S-14) nasceu como o submarino USS Muskallunge (SS-262), lançado ao mar em 7 de abril de 1942 e atuou durante a Segunda Guerra. Foi incorporado à flotilha de submarinos do Brasil em 18 de janeiro de 1957. Em sua chegada ao Brasil suspendeu ferros levando a bordo o Presidente da Republica Juscelino Kubitschek de Oliveira, e o então Ministro da Marinha, Almirante-de-Esquadra Antônio Alves Câmara Júnior.

Muitos anos depois assisti ao filme U-571, sobre batalha de submarinos na Segunda Guerra.
O filme mostra bem o clima dos anos quarenta e o inferno que era a vida em um submarino.
Meu pai me contou muitas histórias de submarinos na guerra, relatadas por um parente, Jürgen Kiep, que foi comandante de submarino na Alemanha, e sobreviveu à guerra!


Este submarino esculpido em madeira é um dos brinquedos mais antigos e queridos que tenho.
Meu pai comprou várias destas miniaturas de navios, que eram feitas por marinheiros de navios de guerra.

é isso, por fernando stickel [ 11:06 ]

elegância e discrição

Minhas memórias de Ferrari são muito antigas e muito vívidas!

Na memória mais antiga eu deveria ter uns 4 anos de idade e viajava com meus pais de carro pela Itália ou Suíça, a estrada em meio a uma floresta, de repente em uma clareira aparece aquela maravilha vermelha estacionada em frente a um restaurante, quiçá uma Ferrari 340 Mexico… Imagem indelével.

Interlagos


Com 16 ou17 anos de idade eu era tarado por motocicletas e automóveis, assíduo leitor da revista Quatro Rodas e frequentava a pista de Interlagos nas Mil Milhas, 500 Km, etc…
Morava na Rua dos Franceses na Bela Vista, o bairro abrigava, além de uma enorme colônia italiana, várias oficinas mecânicas. Perto da minha casa morava, na Rua dos Ingleses, o Domingos Papaleo (1937-2015), que corria de Ferrari, provavelmente uma 500 Testa Rossa vermelha de 1956.
Do meu quarto eu ouvia cheio de prazer e excitação as aceleradas da Ferrari nos testes que ele fazia no imenso quarteirão formado pela R. dos Franceses, Joaquim Eugênio de Lima, Alm. Marques Leão e R. Cons. Carrão. Certo dia tomei coragem, fui até a casa dele, toquei a campainha e pedi pra ele me levar a dar uma volta, e não é que o italiano me mandou entrar na macchina e lá fomos nós dar a volta no quarteirão, com aquele som maravilhoso preenchendo todos os meus sentidos!!! Jamais esquecerei!!!

Mais recentemente, já vivendo na Vila Olímpia, algumas experiências com Ferraris, mas de outro tipo… Novos ricos mais afoitos, se exibem nos fins de semana ou feriados aqui na Vila Olímpia / Vila Nova Conceição.
Aceleram e fazem bastante barulho nas avenidas Helio Pelegrino e Nova Faria Lima. São várias, vermelhas, pretas, amarelas, brancas.

Ora, o cara que tem grana para comprar uma Ferrari, vai ficar brincando aqui na cidade, nas ruas esburacadas, cheias de lombada e radar? Se exibindo em torno do quarteirão? Atormentando os vizinhos com o lindo ronco da macchina?
E olhe que sou um amante das máquinas e motores, em particular da Ferrari…

Elegância e discrição andam em falta por aqui..

é isso, por fernando stickel [ 20:39 ]

mercedes na quarentena


Há mais de um mês de quarentena e esta bela máquina dormia na garagem… Hoje não resisti, um belíssimo dia de outono, feriado de Tiradentes e levei a Mercedes-Benz 280 SL 1970 a passear.

é isso, por fernando stickel [ 17:43 ]

porsche 912

Meu pai Erico comprou em 1968 um Porsche 912 branco zero km na Dacon. Ele tinha o último motor dos 356, com quatro cilindros, 1.600 cc dois carburadores e 90 hp, cambio 5 marchas “dog leg”, ou seja, a primeira era para baixo. Era capaz de cerca de 190km/h, dado seu baixo peso de cerca de 900kg.
Foi um carro que eu guiei muito, curti muito, com minha carteira de habilitação recém obtida.
Fazia o maior sucesso na FAUUSP, meus colegas adoravam quando eu dava carona…
Lembro-me de uma viagem para Ilhabela, eu sozinho e o carro carregado até as tampas com mantimentos, etc… A estabilidade, que já era excelente, com o carro carregado ficou melhor ainda, e me diverti muito na serra de Caraguatatuba.
Era preciso se acostumar com o câmbio de 5 marchas com a primeira marcha para baixo, (no lugar da segunda marcha da câmbios tradicionais) mas fora isso o carro era uma delícia.
As rodas estampadas cromadas com calotas idem tinham um ar retro que eu gostava muito, e sem calotas ele ficava “malandro”…

é isso, por fernando stickel [ 15:17 ]

porsche 911 s


Torneio Interlagos de Regularidade promovido pelo Jan Balder, no sábado 21 Dezembro 2019.


Porsche 911 S 1975 “Silver Anniversary Edition”


Fotos by Original Motors

é isso, por fernando stickel [ 9:34 ]

stickel na mercedes


Na Mercedes-Benz 280 SL 1970, vários Stickel da 3ª, 4ª e 5ª geração!
Em sentido horário, eu no volante, meu filho Antonio e meus netos Samuel e Ian.

é isso, por fernando stickel [ 16:19 ]

pagoda


Casamento perfeito: Mercedes-Benz 280 SL 1970, a “Pagoda”, no Condominio Fazenda Boa Vista em Porto Feliz SP

é isso, por fernando stickel [ 22:51 ]

porsche 911 s


O mago funileiro Dirceu da oficina A. M. Marcelo trabalha na porta do Porsche 911 S 1975.


A perfeição dos detalhes no metal!

é isso, por fernando stickel [ 14:23 ]

ziebart


Nos anos 60 e 70 existia a proteção contra ferrugem nos carros “Rust Proof Ziebart”.
A parte inferior do carro era pulverizada, e faziam-se furos na carroceria do carro, nos locais onde havia espaços vazios e lá se injetava o produto protetor. Para proteção eram colocados nos furos plugs plásticos, com cerca de 1cm de diâmetro, como esse da foto.


O Zeca da oficina A. M. Marcelo descobriu este detalhe histórico no processo de fazer a funilaria do Porsche 911S 1975, e verificar que estes furos na soleira da porta não existiam no carro original. Agora serão fechados!

é isso, por fernando stickel [ 13:39 ]

dois clássicos


Dois clássicos.
Na arquitetura um conjunto de quatro sobrados geminados, projeto de Vilanova Artigas na Rua Sampaio Vidal em São Paulo.
No design, Mercedes-Benz 280SL “Pagoda”, projeto de Paul Bracq.

é isso, por fernando stickel [ 16:16 ]

a última peça!!!


Hoje, quase dois anos após concluido o restauro na oficina A M Marcelo, meu carro recebeu a última peça que faltava para transformá-lo em um veículo 100% original.
Delineado em azul o atuador eletromagnético do acelerador, que compensa a marcha lenta na operação do ar-condicionado.

Cinco mil e tantoss quilômetros rodados foram suficientes para corrigir 90% dos bugs pós reforma, sempre vai aparecer ainda alguma coisinha…

é isso, por fernando stickel [ 13:35 ]

“classic cars”


Nas últimas 4 ou 5 semanas sofri de recorrentes dores nas costas, acompanhadas de profundo mau humor… foram crises em cima de crises, fui ao médico, fisioterapeuta, fiz ressonância magnética, etc… etc…

Fui obrigado pelas circunstancias a zerar minha rotina matinal de exercícios, natação, etc… que foi substituída por repouso (argh!!!) e caminhadas de 30 metros no máximo…

O lado bom de tudo isso é que me concentrei na única coisa que é possível fazer nesta situação, sentar na cadeira Aeron, com bom suporte lombar, por 3 ou 4 horas diárias em frente ao computador e trabalhar no meu próximo projeto. O nome ainda não está definido, mas por enquanto vamos chama-lo de “CLASSIC CARS”.

Trata-se de um livro e de uma exposição de fotos sobre a minha paixão e experiência com carros clássicos, rallyes dos quais participei, restauros que fiz, amigos e parceiros que conquistei nesta jornada, e outras cositas mas…

O resultado deste trabalho (até agora…) após exame de mais de 70.000 imagens de minha lavra, desde 2003, são 230 imagens de carros clássicos, nas mais variadas situações, e 120 imagens das pessoas envolvidas neste fascinante assunto, ou seja, 350 imagens selecionadas a dedo…

Estimo que gastei neste esforço concentrado cerca de 120 horas de trabalho, e no mínimo mais do dobro disso desde que comecei a trabalhar nestas imagens, sem falar, é claro, do tempo envolvido na tomada das imagens, rallyes, passeios, visitas a coleções, encontros de amantes dos clássicos, acompanhamento do restauro de Mercedes-Benz e Porsche, viagens à Europa, Uruguai e Argentina, etc… etc…

Meu amigo, o fotógrafo Valdir Cruz teve importante participação neste processo, pois foi seguindo sua orientação para edição deste trabalho que pude chegar na seleção atual, finalizada hoje 27/12/2017. O próximo passo, que será dado em 2018 será imprimir estas 350 imagens e partir para nova edição.

é isso, por fernando stickel [ 17:55 ]

2º lugar para pagoda!


A Mercedes-Benz 280SL 1970 Pagoda ganhou no dia 7/10/2017, (uma data palindromica) o segundo lugar no “Concours D’Elegance Car Day Brasil 2017”, julgado por juízes internacionais da FIVA, Féderation Internationale des Véhicules Anciens.

Os premiados na categoria Esportivos Europeus, Classe F 1961 a 1970:
1º Lugar – Ferrari 365 GTC Pinin Farina – 1969
2º Lugar – Mercedes-Benz 280 SL – 1970
3º Lugar – Ferrari 330 GT coupe – 1965

O certificado foi assinado por Patrick Rollet, presidente da FIVA, um dos juízes, e por Roberto Suga, presidente da FBVA

O evento se realizou no maravilhoso campo de polo da Sociedade Hípica Paulista, promovido pela Federação Brasileira de Veículos Antigos FBVA em comemoração ao seu aniversário de 30 anos e foi produzido pelo Grupo Siquini.

Tenho particular orgulho em receber este prêmio porque representa o reconhecimento de um trabalho sério de restauro automotivo, seguindo o lema SOMENTE A PERFEIÇÃO!!! Foram cerca de 10 anos de trabalho, entremeados de uso do carro, participação em rallyes, etc…


Devo creditar este importante prêmio à dedicação e competência da oficina A. M. Marcelo, responsável pela desmontagem completa do carro, funilaria, pintura e remontagem, processo que levou ano e meio.

Obrigado à família Petriccione, Matteo, Marcelo e Junior, ao Zeca chefe da oficina, ao Dirceu mago dos metais e a todos que colaboraram no processo hercúleo de trazer a máquina ao seu esplendor original.

é isso, por fernando stickel [ 8:39 ]

lincoln v12


Através de amigos comuns fiquei conhecendo a Soraya Battaglia e sua coleção de carros clássicos, onde se destaca este maravilhoso Lincoln V12 de 1948.

é isso, por fernando stickel [ 10:14 ]

mercedes no pinhal


Mercedes-Benz 280 SL 1970 no Pico Agudo, em Santo Antonio do Pinhal.

é isso, por fernando stickel [ 9:00 ]

rusty barn


Bigo Berg, Hervé Salmon e Americo Sammarone, grandes amigos do antigomobilismo!
Estamos nas instalações do Rusty Barn, um complexo idealizado por Bigo Berg para o restauro de carros clássicos.

é isso, por fernando stickel [ 14:43 ]

mercedes-benz


Mercedes-Benz 280 SL 1970 na oficina A.M.Marcelo, para pequenos ajustes após o restauro. Ao fundo Marcelo Petriccione, responsável juntamente com sua equipe pelo maravilhoso trabalho de reforma!


300 SL na pintura.

é isso, por fernando stickel [ 10:21 ]