aqui no aqui tem coisa encontram-se
coisas, coisas, coisas...
...desde janeiro de 2003

vila olímpia

enchente na vila olímpia


Enchente na Vila Olímpia em 1986. Estou dentro da minha casa no Nº 37 da Rua Ribeirão Claro, olhando para o rio em que se transformou a rua.
A água chegava a subir um metro! As casas tinham proteções diversas, murinhos, portões comportas, etc…

De dentro da minha casa, equipada com comportas e proteções eu ficava monitorando e controlando os estragos. Pela rua transformada em rio navegavam colchões, bananeiras, sacos de lixo, sofás, tudo que é possível imaginar.


Na esquina da atual Av. Helio Pellegrino x R. Ribeirão Claro, era o local onde o córrego Uberabinha saia do seu leito e avançava pelas ruas.


A cada enchente, estragos, asfalto arrancado, sujeira, etc…

é isso, por fernando stickel [ 7:33 ]

árvore na ribeirão claro


Morei atrás deste muro cinza, na esquina das ruas Ribeirão Claro e Fiandeiras, na Vila Olímpia, por mais de 20 anos.
Hoje ali é a sede da Comunidade Shalom, para quem vendi o terreno.
Naquele período plantei inúmeras árvores na vizinhança, esta árvore da foto foi uma das que sobreviveu, outra foi cruelmente cortada pela então prefeita Marta Suplicy.
Nunca entendi direito por que BRASILEIRO ODEIA ÁRVORE.

é isso, por fernando stickel [ 20:19 ]

boi com eu, eu com boi


No meu estúdio da R. Ribeirão Claro na Vila Olímpia nos anos 80, com uma tela de José Carlos BOI Cezar Ferreira.
Obrigado pela foto Helena Brício!

é isso, por fernando stickel [ 7:40 ]

faleceu jaime roviralta


Faleceu meu primo em segundo grau Jaime Arens de Roviralta, seu avô Fernando Arens, era irmão da minha avó Maria Elisa Arens Diederichsen.
Descanse em paz Jaime.


O falecimento do Jaime provocou lembranças de uma época em que o Jaime foi meu aluno de desenho de observação.
Em 1999 criei um novo estúdio na área da minha casa na R. Ribeirão Claro na Vila Olímpia, com entrada independente, e lancei novos cursos, com divulgação e tudo o mais.


O atelier era amplo, de frente a um jardim. O meu curso de desenho de observação e o novo curso de escultura da Maria Clara Fernandes decolaram e tivemos muitos alunos, o curso de teatro do Celso Frateschi não teve interessados.


O Jaime, nesta foto de Jade Gadotti, com Maria Clara Fernandes, frequentou durante um tempo as aulas, muito animado e falante.


Visão do atelier durante a aula, os lanchinhos e a socialização eram uma atração à parte, muito apreciada pelo Jaime! Ao fundo sentadas na mesa minha sobrinha Joana e Clotilde, irmã do Jaime.


Jaime está sentado à direita, de camisa branca.

é isso, por fernando stickel [ 14:40 ]

sonhei com jaguar

Sonhei que tinha um Jaguar E Type coupe preto 6 cilindros com as lindas Rudge wheels.
Fui à oficina do Gigante na Vila Olímpia mostrar o carro e bater um papo como faço de tempos em tempos, e encontrei na entrada da oficina uma ladeira íngreme de areia branca, como se fosse uma duna, onde o Jaguar teve bastante dificuldade de subir. Curioso é que ao mesmo tempo em que eu dirigia o Jaguar ladeira acima, eu podia observá-lo de fora do carro, derrapando na areia… e tudo me parecia natural, inclusive a mudança radical na entrada da oficina…
Lá em cima estacionei e encontrei o Gigante, que estava sozinho, mais alto, magro e sem barba, mostrei-lhe o carro e começamos a conversar e passear pela oficina, que era imensa, um galpão de pé direito enorme, sem paredes laterais, sobre um chão de terra batida. Estávamos só nós dois, o clima era de muita tranquilidade, reparei que a oficina havia mudado, era muito maior e mais vazia, mas sequer perguntei a razão das mudanças.
A área externa também de terra batida era muito ampla, e dava em seu limite para uma enorme extensão de terra virgem muito vermelha, cheia de pequenas construções simples.
Voltamos ao carro e comentei com o Gigante um detalhe interessante e sofisticado, que era um acendedor de cigarros, um isqueiro posicionado no topo do paralamas dianteiro esquerdo logo atrás do farol, em um receptáculo próprio, onde o isqueiro se encaixava perfeitamente.

é isso, por fernando stickel [ 23:37 ]

estúdio r. ribeirão claro


Polaroid da minha casa-estúdio na R. Ribeirão Claro na Vila Olímpia, anos 80. Nesta grande mesa onde está sentada Marinalva, minha caseira na época, dei aulas de desenho de observação de 1986 até 2000.

é isso, por fernando stickel [ 11:54 ]

estúdio r. ribeirão claro


Na minha casa-estúdio da R. Ribeirão Claro, Vila Olímpia nos anos 80. No espaço principal, anexo a este da foto dei aulas de desenho de observação de 1986 a 2000.

é isso, por fernando stickel [ 10:11 ]

festa para jay chiat!


Mais um achado nos arquivos…
Quando meu amigo Jay Chiat (1931-2002) me ligou de NYC em 1989, avisando que viria a São Paulo em Abril de 1990, eu disse a ele:
– Sure Jay! We’ll make a party for you!
E aí veio a tragédia do Plano Collor…
E aí o Jay confirmou a viagem!
E aí eu me vi na obrigação de honrar o meu compromisso, já que era impossível não prestigiar um homem que havia aberto todas as portas para mim quando morei em New York.
Me virei para encontrar os endereços/telefones dos mais prestigiados publicitários de São Paulo, alguns dos quais eu conhecia pessoalmente, fiz os convites citando claramente que era uma festa em homenagem ao Jay, me virei para arrumar o dinheiro necessário, e Jade e eu fizemos uma belíssima festa na R. Ribeirão Claro!!!
Para minha surpresa fui solenemente esnobado pelos tais prestigiados publicitários paulistanos, que simplesmente não apareceram, eita turminha mal-educada! Vivendo e aprendendo…
As anotações a caneta nos recortes de jornal são do meu pai Erico.

é isso, por fernando stickel [ 18:25 ]

reunião com educadores


Reunião da equipe da Fundação Stickel com seus educadores, no escritório da R. Nova Cidade, Vila Olímpia.

é isso, por fernando stickel [ 11:03 ]

arabia, não nos abandone!

arabia2
Durante muitos e muitos anos fui cliente desta loja do restaurante Arabia na R. das Fiandeiras, Vila Olímpia.

O local sem nenhuma sofisticação nada mais era que a planta industrial do grupo, e em um pequeno espaço de frente para a rua servia as mesmas (excelentes) refeições disponíveis nos endereços sofisticados da rede.

Durante o almoço entregadores entravam e saiam, e por vezes eu encontrava o Sergio, o dono, e batia um papo com ele.

Nesta semana finalmente fiquei órfão… A indústria mudou-se para um novo imóvel, e o restaurante fechou.

Nas últimas vezes que encontrei o Sergio, pedi para ele abrir alguma outra coisa por aqui, existe uma clientela fiel!! Não nos abandone!!

é isso, por fernando stickel [ 17:25 ]

jardim da fundação stickel

fundacao-stickel
O “jardim” do escritório da Fundação Stickel na Vila Olímpia, com algumas das placas de sinalização utilizadas através das décadas…
Hoje o slogan da Fundação é ARTE TRANSFORMA.

é isso, por fernando stickel [ 17:02 ]

vila olímpia

parede-azul
Passo caminhando em frente à essa parede azul no mínimo umas 6 vezes por semana, no meu caminho de ida e volta para o almoço.
Sua beleza me passou desapercebida por um bom tempo!
Nossos olhos se acostumam, o raciocínio se desliga, a rotina toma conta e tira o brilho das coisas.
Algo no entanto me fez olhar novamente, lá estava ela, linda! Pronta para se transformar em uma imagem que enche os olhos de alegria! Recorte privilegiado do banal!

é isso, por fernando stickel [ 9:03 ]

parceria com a iniciativa privada

limpeza
Alô alô Prefeitura, olha só como funciona a parceria com a iniciativa privada.
Há poucos meses atrás a Praça Doutor Júlio Conceição Neves, na esquina da Av. Helio Pellegrino com Av. Faria Lima estava completamente abandonada, cheia de entulho e lixo.
Hoje, apadrinhada por uma incorporadora, esbanja limpeza e elegância…

julio2
A situação há menos de um ano atrás.

é isso, por fernando stickel [ 10:34 ]

alunos de fernando stickel


Minha amiga e ex-aluna Lorna Lee Balestrery me enviou esta fotografia do grupo de 46 alunos do meu Curso de Desenho de Observação que expuseram seus trabalhos na Galeria Montesanti-Roesler (hoje Nara Roesler) em 24 e 25 Junho 1989. Eu estou sentado.
A foto foi tirada no meu estúdio da R. Ribeirão Claro 37, Vila Olímpia, onde se realizavam as aulas. Se bem me lembro o fotógrafo foi Hiroto Takada, a foto utilizada na divulgação e no convite.

lorna
Lorna (de vermelho) e amigos na exposição.

é isso, por fernando stickel [ 16:07 ]

vila olímpia se transforma

vl1
A Vila Olímpia continua a se modificar em ritmo frenético.
A Fundação Stickel está localizada na R. Nova Cidade, na sobreloja em cima da farmácia. Somos vizinhos deste novo edifício comercial em construção.
Em 2003 no terreno onde sobe este prédio havia um sobrado com lojas ao nível da rua, auto-escola, borracheiro, mini-mercado, papelaria, tudo pequeno, servindo aos moradores do bairro.

vl5
Na esquina da R. Quatá havia um daqueles enormes bares.

vl2
Com a verticalização os personagens curiosos vão sumindo, como o borracheiro que vivia com um charuto na boca, e jogava dominó à tarde na borracharia.

vl3
A fase dos bares point de encontro de motociclistas e danceterias que infernizou o bairro no início do Séc XXI também já ficou para trás… Agora os reis do pedaço são os restaurantes a quilo, atendendo no almoço a centenas de estudantes do Insper e Anhembi-Morumbi.

vl4
Este galpão era meu vizinho de muro, abrigava uma produtora de filmes publicitários. Coisas estranhas entravam e saiam de lá… A produtora saiu, uma discoteca infernal se instalou, e o mercado imobiliário ocupou… a memória da cidade se acabou…

vl6
O Google Maps traz uma imagem da R. Nova Cidade com o sobradão ainda de pé, mas já com algumas lojas fechadas atrás do tapume azul.

é isso, por fernando stickel [ 17:56 ]

nova vila olímpia

vila olimpia
Talvez uma nova maneira de fotografar a Vila Olímpia…

é isso, por fernando stickel [ 17:35 ]

miséria

miseria
A miséria humana e os malditos fios da Eletropaulo… na R. Nova Cidade, Vila Olímpia.

é isso, por fernando stickel [ 14:29 ]

arte na vila olímpia

verde2
Na Vila Olímpia.

é isso, por fernando stickel [ 8:57 ]