aqui no aqui tem coisa encontram-se
coisas, coisas, coisas...
...desde janeiro de 2003

coisas

faleceram ilka e danusa


Copiei do Ancelmo:

O Brasil perdeu duas mulheres extraordinárias em menos de uma semana: Ilka Soares, 89 anos, e Danuza Leão, 88 anos. Nesta foto elas elas estão juntas num comercial dos anos 1970. Foi no lançamento do cigarro “Charm”, destinado ao público feminino.


Em 1955 Samuel Wainer (1910-1980) segura nos braços sua primeira filha Pinky, ao lado da mulher Danuza Leão. Foto acervo Pinky Wainer.

Leia AQUI o brilhante perfil de Danuza por Ruy Castro.

é isso, por fernando stickel [ 14:52 ]

iturralde

Tenho um amigo boliviano, colega de classe no Colégio Visconde de Porto Seguro, seu nome Manuel Ramiro Iturralde Jahnsen (Manuco), seu irmão mais velho Francisco Xavier Iturralde Jahnsen também estava no colégio. A família morava em Higienópolis na R. Alagoas 162, e nós nos frequentávamos.
Seus pais eram o arquiteto Alberto Iturralde Levy e Ethel Mary Jahnsen de Iturralde.
Recebi do Francisco a seguinte mensagem:

Prezado Fernando,

Muito obrigado por seus envios da Fundação Stickel. Ela realmente faz um trabalho de aplaudi-los sem parar. Aproveito também esta oportunidade para te enviar as minhas saudações, estendidas aos tuas irmãs e irmão a quem não vejo. Parece-me muito generoso de toda essa vida que levam, que a nossa querida e sempre lembrada Dona Marta está em seus 95 anos com boa saúde e aparência. Tenho uma irmã francesa dessa idade, também, mas com apenas um olho, um ouvido e tontura. Encontrei depois que meu querido pai RIP faleceu em 1975. O encontro foi em 2016, baseado em uma fotografia que deixou da minha irmã quando ela tinha 2 anos. Fui a Paris com minha esposa e a abracei com muito carinho, ela tinha 88 anos e se chamava Nathalie Solotowsky. Foi incrível vê-la e tocá-la. Levei-a para visitar o túmulo de meu avô paterno no Montparnasse Henry Levy Mey que morreu em 1941 em Paris, fugindo dos nazistas. Falo ao telefone com minha irmã por uma hora todos os domingos. Com o meu irmão Manuel Ramiro, Manuco, falo com ele ao telefone uma vez por mês, após a morte da minha querida mãe Mary Jahnsen RIP. O meu primo irmão Daniel Iturralde vae enviarte o seu projecto para uma fundação, NUNA, que funciona há vários anos, para que possam trocar opiniões. Um grande abraço para toda sua família e um especial para você.

é isso, por fernando stickel [ 14:43 ]

cabelos e energia


Parece que algumas coisas estão se condensando dentro de mim, sinto que de dentro de uma compactação de inúmeras camadas emerge um novo eu.
Durante a pandemia fiz com muita consistência fitness com o Samuel, incorporei caminhadas à minha rotina diária, combati com alongamentos diários dores ancestrais, meu cabelo cresceu, ao mesmo tempo em que aumentei minha participação nos afazeres domésticos, lavando pratos, tirando o lixo, cuidando dos cachorrinhos, etc…

As recentes descobertas do Symbicort e do CPAP adicionaram mais uma importante camada neste “novo eu”, pois sinto que esse plus pulmonar vai me dar mais energia, simbolizada pelos cabelos que crescem…


Muitas fases capilares ao longo da vida. Lembro que ao chegar em New York em 1984, percebi que a os gays masculinos usavam muitos bigodes e cabelos curtos bem aparados, foi o sinal para que os meus cabelos crescessem…

é isso, por fernando stickel [ 8:20 ]

cpap e a qualidade do sono


Esta noite consegui manter a máscara do CPAP durante todo o sono, cerca de sete horas e meia, com 4,7 eventos de apneia por hora.
Perto dos 32 eventos/hora detectados no exame de polissonografia que realizei algumas semanas atrás está ótimo!

é isso, por fernando stickel [ 8:38 ]

alívio!

Incrível! Como não descobri isso antes?

Minha infância e adolescência foram marcados por asma, eczema, bronquite, pneumonia, de origens genéticas e psicossomáticas.
Por volta dos 13 aos 16 anos minha pele era quase uma peneira, cheia de feridas de tanto coçar. Tomar banho era um suplício, pois a água ardia nas feridas abertas da pele e adiar o banho por 24 ou 36 horas provocava suplício maior ainda.

Na esfera pulmonar, além do uso constante da “bombinha” Dyspne-Inhal para a asma, tive 5 pneumonias como criança e uma como adulto.

Por volta dos 30 anos de idade tudo isso se reduziu a níveis totalmente aceitáveis, sobrando o uso diário da bombinha Aerolin.

Aos 60 descobri que tinha apneia obstrutiva do sono, algo resolvido com uma placa dentária. Agora, aos 73 voltei a fazer o exame do sono, a polissonografia, e a maldita apneia apareceu novamente.
Aí entrou em ação o Dr. Eduardo Meyer, que não apenas me recomendou o CPAP para a apneia, como resolveu tratar a minha asma!
Recomendou o uso diário de um novo tipo de bombinha, o Symbicort Spray, com tubo espaçador.

Pronto! Milagre! Ciência em ação!!! Não acordo mais durante a noite, e não necessito mais o Aerolin. Apenas uma “bombada” diária com o Symbicort e estou de pulmão limpo! Sensação de leveza única, muito boa!

Três gerações de bombinhas…

é isso, por fernando stickel [ 9:11 ]

bigornas


Diego Comolatti e sua coleção de bigornas!

é isso, por fernando stickel [ 8:49 ]

voltamos ao ycsa


Depois de muito tempo voltamos ao Yacht Club Santo Amaro – YCSA!


Bandeiras ao vento!


Convidados pelos nossos amigos Karin e Norbert, o almoço foi uma delícia!


A vela como centro de tudo no YCSA!

é isso, por fernando stickel [ 9:01 ]

vergonha, putin!


Tragédia! O mundo condena Putin pela guerra absurda e apoia unanimemente a Ucrania e seu presidente Volodomyr Zelensky.
Enquanto isso Lula é inocentado e Bolsonaro brinca no Guarujá.

é isso, por fernando stickel [ 8:43 ]

polissonografia

Pronto para dormir! Polissonografia a domicílio, modernidade a serviço da análise do teu sono.
O técnico chega na tua casa e instala esta enorme quantidade de fios e sensores, demora uma hora neste processo, aí você vai dormir na tua cama, simples assim!
Na manhã seguinte outro técnico vem retirar a traquitana toda.


O resultado do exame é super detalhado! O mais grave é a descoberta de 32 eventos/hora de apneia…

é isso, por fernando stickel [ 10:18 ]

monica vitti


Faleceu aos 90 anos a atriz italiana Monica Vitti (1931-2022) musa do diretor Michelangelo Antonioni.

é isso, por fernando stickel [ 9:21 ]

19 anos!!


Sim! Este blog completa hoje 19 anos de idade, são 19 anos de atividade ininterrupta!!!!! Aqui tem coisa! Aqui tem de tudo!

é isso, por fernando stickel [ 9:22 ]

faleceu olavo de carvalho

Eu costumo publicar aqui no blog o falecimento de pessoas que me marcaram pelo afeto, admiração, relevância, etc…

No caso de hoje vou registrar o falecimento de Olavo de Carvalho, e as razões para fazê-lo ficam claras no brilhante texto da escritora, antropóloga, historiadora e professora da USP Lilia Moritz Schwarcz, publicado em seu perfil do Instagram :

“O escritor, astrólogo e guru bolsonarista Olavo de Carvalho morreu nesta segunda-feira (24/1/2022) aos 74 anos nos Estados Unidos, onde morava. A causa da morte não foi informada.
Olavo de Carvalho era considerado um dos principais influenciadores da extrema-direita brasileira e um dos ideólogos do presidente e de seus filhos. Olavo se autointitulava filósofo, apesar de não ter formação alguma na área. Vendia cursos on-line lotados, se vendia como professor, e influenciou toda uma geração de líderes de perfil retrógrado no país. Desbocado, ele vinha ultimamente discordando até mesmo do presidente, tal o seu radicalismo.
Segundo a nota, ele estava internado num hospital da região de Richmond, no estado americano da Virgínia. O escritor vinha enfrentando problemas de saúde, também anunciou ter se infectado com o novo coronavírus no dia 16.
No ano passado, Carvalho teve diversos problemas de saúde, que o levaram a uma série de internações em São Paulo e nos Estados Unidos. Entre julho e agosto de 2021, Carvalho foi internado três vezes no Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (InCor). Ele era cardiopata e, nesse período, foi submetido a diversos tratamentos, uma cirurgia na bexiga e a um cateterismo de emergência. O Ministério Público de São Paulo chegou a instaurar à época procedimento para apurar se o escritor furou a fila do SUS. Depois de receber alta na rede pública, ele internou-se novamente, na clínica Saint Marie, na Zona Sul de São Paulo, de onde recebeu alta no fim de novembro.
Não desejo a morte de ninguém e só posso lamentar o falecimento de uma pessoa que deixou esposa, filhos e netos. Que eles encontrem conforto e boa memória. Aos brasileiros que acreditam na pluralidade, gostaria apenas de destacar o perfil anti-democrático e claramente extremista de direita de Olavo de Carvalho. O astrólogo chegou a dizer que “o medo de um suposto vírus mortífero não passa de historinha de terror para acovardar a população”. O Brasil que ele imaginava também não era o meu. Era aquele que serviu de base para a ideologia do bolsonarismo, a um projeto autoritário, negacionista, patriarcal e misógino.”

Lilia completa, também no Instagram, após o anúncio da decretação de luto oficial:

“Bolsonaro acaba de decretar luto oficial pela morte de Olavo de Carvalho. O presidente não costuma porém adotar critérios rígidos para prestar condolências e costuma seguir a temperatura da internet para se manifestar. Já foi às redes se solidarizar com as famílias e amigos, por exemplo, do ator Paulo Gustavo, vítima da covid-19; do prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), vítima de câncer no estômago; e do músico Kevin Nascimento Bueno, o MC Kevin, que caiu da varanda do 5º andar de um hotel.
Mas não se manifestou acerca de personalidades como o político Alberto Goldman, o letrista Aldir Blanc, a cantora Beth Carvalho, as atrizes Bibi Ferreira e Eva Vilma, a roteirista Fernanda Young, os músicos João Gilberto e Morais Moreira, o cineasta Zé do Caixão, o arquiteto Ruy Ohtake, o pianista Nelson Freire, o poeta Thiago de Mello, a cantora Marília Mendonça, o artista indígena contemporâneo Jaider Esbell, a eterna Elza Soares e tantos outros nomes. Por sinal, queremos saber quem mandou matar Marielle!!!
O governo também não se referiu às mortes em Brumadinho em janeiro de 2019. Durante toda a pandemia da Covid-19, que até o momento deixou 620 mil vítimas fatais no país, Bolsonaro não decretou luto em homenagem aos mortos pelo vírus.
O Congresso e o STF (Supremo Tribunal Federal) chegaram a decretar luto quando o número de mortos atingiu marcas simbólicas, como 10 mil e 100 mil falecidos. Mas o Planalto não adotou o mesmo gesto.
Peço pois que cada um aproveite para decretar o seu luto oficial e que homenageie os seus mortos. Tantas mortes nesses anos de governo Bolsonaro. A minha opção não será com certeza Olavo de Carvalho. Me diga aqui quem você gostaria de honrar, oficialmente.”

é isso, por fernando stickel [ 11:35 ]

este sou eu


Este sou eu.
Foto “biométrica” exigida pelo Consulado Alemão para renovação do passaporte.

é isso, por fernando stickel [ 15:37 ]

faleceu hugo curti

Faleceu meu amigo Hugo Curti aos 54 anos.
Isso lá é idade pra morrer, Hugo? Que sacanagem, fiquei indignado, injuriado, perplexo, desorientado, triste… Puxa!

O que fazer?

Desejar que sua estrela continue brilhando, e que faça uma linda viagem!
Envio também um forte abraço para a Raquel e seus familiares e amigos.

A foto do Hugo tirei na inauguração da exposição do Baravelli no Espaço Fundação Stickel na Vila Olímpia ,em 2005

é isso, por fernando stickel [ 9:30 ]

Será?

1 read books and journals
2 write blogs
3 start a podcast
4 join a community
5 practice public speaking
6 learn to code
7 learn to invest (time and money)
8 earn a work sponsor
9 be a mentor
10 take free online courses

Do any 3 of these really well, and good things will happen.

é isso, por fernando stickel [ 0:05 ]

o rio continua lindo


Texto do meu amigo Tomás Nioac de Salles
Ex-jornalista dos tempos dourados do Jornal do Brasil, nos anos 70.

Mais um dia frio no Rio. Desde quinta, quando cheguei, chuvas intensas. Aqui em São Conrado, chove mais, porque as nuvens carregadas não conseguem passar do morro. Então, cai muito mais água. Meu apartamento é um privilégio. De frente para o Gávea Golf Club e para a mata Atlântica. Olhar para a natureza, belíssima, deixa o corpo mais leve, a mente mais clara. É um santo elixir. 

O tempo ruim mexe com o carioca, que não gosta de frio e chuva. Fica entocado em casa, debaixo das cobertas. Os quiosques da praia vazios, e poucas pessoas se aventuram a andar pela calçada e pela praia. 

Quando faz sol, a praia volta a ser uma festa, principalmente nos fins-de-semana. Tem de tudo. Desde as barracas com serviço de praia, até os churrasquinhos da turma da Rocinha. E não falta nem o acarajé. Esportes são muitos. Raquetinha, beach-tênis, futvôlei, bike. Até Personal Trainer. Muitas crianças, carrinhos com bebês, cachorros de todos os tamanhos, raças, vira-latas, todos com coleiras. Mulheres lindas, famílias inteiras. E a avó, o avô, a mãe, o pai, os filhos. A grande diversão do fim-de-semana. Rico, remediado, pobre, todos misturados curtindo e aproveitando a praia, o mar, o sol, o encontro com os amigos. O bate-papo de futebol, do mengooo.

Os surfistas, cada vez em maior número, buscando a melhor onda, e, quem sabe, um dia, se tornarem num Ítalo Ferreira, nosso grande ídolo e exemplo olímpico. Do lado da Pedra da Gávea, lá no alto, a rampa por onde desce a turma da asa delta, do parapente. E aqui embaixo, muita gente olhando aquela turma da coragem descendo e vendo as maravilhas da natureza. Turistas de todo o mundo, do Brasil assistindo as proezas dos intrépidos voadores. Alguns se aventuram, com direito a vídeo da façanha. Outros preferem os quiosques e ficam na cervejinha ou no drinque que vem perfeito e rapidinho para a mesa. Os serviços dos quiosques são geralmente impecáveis.

E nem parece que a Covid tá no Rio. Aumentando a internação das pessoas com mais de 60 anos já vacinadas. Hoje, Dr. Fauci, o infectologista que aconselha o presidente Biden, afirmou que as vacinas parecem não ter uma eficácia duradoura. Nas conversas, por aqui, muitos ansiosos por uma terceira dose. 

Ontem a noite, fomos jantar eu, a prima gaúcha Gabi, o namorado Bob, um americano, que está envolvido com as eólicas aqui no Brasil e a indiana Aarti, que nos próximos dias começa a trabalhar numa start-up de locações imobiliárias em São Paulo. Debaixo de chuva, chegamos no Chez Claude, do famoso francês-carioca, Troigros, na Rua Conde de Bernadotte, no Leblon, muito conhecida da boêmia carioca e dos bons de garfo.

Nossa primeira impressão foi ruim, porque nos colocaram numa mesa na calçada onde chovia. O restaurante é muito pequeno, a cozinha fica no centro e na volta algumas poucas mesas e um forte cheiro de comida. E, certamente, em busca de um maior faturamento, mais mesas do lado de fora. Reclamamos e nossa mesa foi parar dentro de uma galeria junto ao restaurante. Mas além dessa má impressão, duas outras. O banheiro é único para homens e mulheres, mal cheiroso, imundo. A outra novidade, pedimos uma garrafa de um Alentejo que custa R$153,00 nas Lojas Americanas, no Chez Claude, você pode comprar a garrafa, mas pelo múltiplo de taças, ou seja, cada taça sai por R$64,00 x 6= R$384,00. Nunca tinha visto isso antes. Já imaginaram se a moda pega! Apesar de tudo isso, comida excelente e serviço atencioso. Claude, menos ganância e cuide melhor de seu restaurante e seus clientes.
Apesar disso, o Rio continua lindo!

é isso, por fernando stickel [ 9:45 ]

enel


Fogo em sub-estação no Morumbi, bairro da Zona Sul de São Paulo.

Texto do meu amigo Tomás Nioac de Salles, mais paulista do que carioca, ex-jornalista da época dourada do Jornal do Brasil.

Enel, a italiana que acampou no Brasil. Um monstro de mais de 1 Trilhão de reais. Pois é, essa coisa invadiu as residências paulistas, primeiro como Eletropaulo, cujo nome pegava mal por conta daquele esqueleto horrível que víamos diariamente ao longo de anos na Marginal de Pinheiros. Como um toque de mágica, mudaram o nome para Enel, a italianinha. E, todos nós, pensávamos que a energia elétrica em São Paulo nunca mais seria um problema para os paulistanos.
Ao contrário, piorou e muito. Falta de energia constante e atendimento da pior espécie. Sem falar no preço da energia que nunca parou de subir desde que os italianos começaram a comandar a noite do paulistano, o dia a dia dos paulistanos.
Tudo em nossas casas depende cada vez mais de energia, basicamente a fornecida pela Enel. E o aparelho para esquentar as mamadeiras dos bebês, a televisão, o Wi-Fi, os eletrodomésticos, as esteiras de treinamento, o trabalho remoto, as Olimpíadas, a água quente da casa, o abajur para uma leitura noturna de um livro, do jornal da manhã, o portão automático para guarda do carro na garagem.
Os moradores, já estressados, por conta da pandemia, não reclamam de mais nada. Nem da Enel. Querem sobreviver, voltar a viver, curtir a vida com seus familiares e amigos.
Mas não é que aí vem o inacreditável!!!! De repente, como do nada, milhares deles, do Morumbi, passam a ficar sem luz desde o último domingo, até a noite dessa quarta. Com algumas pequenas horas de energia. E pobre da população exaurida, passa a assumir a falta de energia, sem a menor reação. Há um cansaço coletivo. Um cansaço pandêmico, que não aguenta mais pagar contas de luz com valores estratosféricos. E a italianinha é implacável. Não pagou, cortou…
O bairro adormece cedo, pouco depois do por do sol. A tristeza impera. Nem dá pra ver as Olimpíadas.
E começam a pifar aparelhos eletrodomésticos, equipamentos, e tudo o mais ligado à energia.
Enquanto isso, no Palácio dos Bandeirantes, bem calado, como se nada tivesse acontecido, vemos o Governador João Dória, sempre usando suas roupas de grife, gastando luz a noite pelas ventanas, as pamparras, com jardins hiper iluminados, guaritas com dezenas de segurança. Sem falar na mansão do Doria, uma das 10 maiores da capital, sempre cercada de três veículos de segurança publica, paga por nós, todos os dias. E, à noite, a casa parece que tem mais luz do que a Tour Eiffel.
E tudo isso passa em branco… nenhuma autoridade, jornal, noticiário de televisão ou de rádio, dá a devida atenção para esse monstro italiano que invadiu a casa dos paulistanos prestando um serviço de baixíssima qualidade. E lá vem já, já o racionamento… pobre de nós paulistanos…

é isso, por fernando stickel [ 0:00 ]

fora bolsonaro

Não custa sonhar…

O governo bolsonaro vai de mal a pior, inacreditável a podridão da classe política mancomunada com esse incompetente, bandido e assassino. É simplesmente revoltante!

é isso, por fernando stickel [ 15:31 ]