aqui no aqui tem coisa encontram-se
coisas, coisas, coisas...
...desde janeiro de 2003

Numa simples manhã de terça-feira, mais uma vez agradeço ao Santo Protetor dos Operados de Hérnia do Disco pela possibilidade de ir ao clube de bicicleta, fazer meus exercícios, alongar e voltar, sem dor!
Saúde é tudo, só damos valor quando ela vai embora, é verdade.

é isso, por fernando stickel [ 12:27 ]

Andando de bicicleta, achei esta foto em plena Av. Brig. Faria Lima. Quem será?

é isso, por fernando stickel [ 12:25 ]

Meu filho me pediu e hoje voltei com ele à Estação Ciência da USP, que foi reformada e está muito interessante. As crianças ADORAM, fazem experiências de física, matemática, entendem o universo, sistema solar, etc. Vale a pena conhecer tambem o Projeto Clicar

é isso, por fernando stickel [ 22:38 ]

Gosto muito destes meus desenhos de 1985.

é isso, por fernando stickel [ 19:47 ]

Desenho rápido.

é isso, por fernando stickel [ 10:16 ]

Arman Poubelle – 1959 – Accumulations d’ordures ménagères sous verre.
65,5 x 40 x 8 cm

é isso, por fernando stickel [ 11:04 ]


Ganhei este desenho do Dudi muitos anos atrás.

é isso, por fernando stickel [ 12:22 ]


Em New York no Welligton Hotel na Sétima Avenida em 1970, da esq. para a direita, eu (embaixo na foto) Dudi Maia Rosa, Frederico Nasser, Augusto Livio Malzoni, Baby Maia Rosa.

é isso, por fernando stickel [ 20:10 ]


Sobre “aqui tem coisa”, meu primeiro livro, que lancei em 1999, o meu amigo Carlos von Schmidt escreveu a seguinte nota, em 19/10/2002:

No início de outubro Fernando Stickel ligou. Para quem não sabe, Fernando é um artista plástico. Arquiteto, casado, três filhos, 51 anos. Esses dados estão na orelha de aqui tem coisa. Levei um susto quando vi que Fernando é cinqüentenário. Não sei porque mas sempre achei que Fernando não passava dos trinta. Talvez a voz, o jeito de falar, o entusiasmo permanente.
Não falávamos há anos. Uns cinco pelo menos. Contou-me que escrevera um livro, aqui tem coisa. Pediu-me o endereço para mandá-lo. Ontem, dia 18/10/02 o livro chegou. Reúne poemas, pensamentos, lembranças, anotações, desenhos, muitos desenhos. Gosto de livro assim. Espécie de diário de bordo. É um livro que dá gosto manusear, folhear, olhar, ler. O título , aqui tem coisa é um achado maravilhoso. Não vou contar nada para não perder a graça.
Na página 4, no prefácio que não é prefácio Fernando fala de seus poemas. Conta que alguns foram publicados na revista artes: número 57 de dezembro de 1983-, os poemas já fui jovem executivo. nonsense, precisão e Virada Selênio.
Ao ler a menção ao artes: fiquei contente. São raros os artistas que divulgamos e promovemos que se lembram. Foram muitos. Hoje, amnésicos, exibem o colorido rabo de pavão em vernissages e bienais. Gostei de ver que Fernando não esqueceu. Gostei!
Para comemorar o lançamento de aqui tem coisa vou republicar os poemas que selecionei há quase dezenove anos e outros que li de madrugada. De choro alguns desenhos também. Só espero que o próximo livro não demore tanto. Se demorar o que aqui tem coisa demorou vou estar com 91 anos. Idade perigosa. Picasso que o diga.

é isso, por fernando stickel [ 15:13 ]

Desenho.

é isso, por fernando stickel [ 0:05 ]

Asso-Bril ou Bon-Lan?
De uma idéia que peguei lá na Cora

é isso, por fernando stickel [ 18:28 ]


BLOG!!!

é isso, por fernando stickel [ 18:34 ]


Peguei no Dudi:
“Pouca observação e muito raciocínio conduzem ao erro.
Muita observação e pouco raciocínio conduzem à verdade.”

é isso, por fernando stickel [ 11:07 ]


The true blessedness of a man is not to to arrive, but to travel.
Robert Louis Stevenson.

é isso, por fernando stickel [ 19:28 ]


Este é o escorregador da piscina do Clube Pinheiros onde brinquei muito quando criança, anos 50/60.
Um dia a notícia correu como pólvora, uma criança havia se machucado no escorregador, batido a nuca, havia sangue.
Logo depois o escorregador foi demolido. No site do Esporte Clube Pinheiros, pode-se fazer uma fantástica pesquisa de fotos históricas.

é isso, por fernando stickel [ 11:05 ]


Tudo que sobe um dia desce. Em dia de tragédia no espaço, uma homenagem a Don Vesco, herói do chão mesmo.

é isso, por fernando stickel [ 21:19 ]


Muitos anos atrás, por volta de 1980-81, tive claramente uma visão e um desejo: Quero ser artista plástico profissional.
Logo em seguida, colocando o desejo em prática, mudei toda a minha vida.
Separei da Iris, com quem estava casado, mudei de casa e saí da sociedade que tinha com Lelé Chamma na Und, tudo no mesmo ano.
Hoje, várias mudanças mais tarde, quero apenas fazer este blog funcionar direito!

é isso, por fernando stickel [ 18:06 ]

O borracheiro da Rua Nova Cidade, na Vila Olímpia.
Ou está consertando pneu ou jogando dominó, sempre de charuto na boca.

é isso, por fernando stickel [ 0:00 ]