aqui no aqui tem coisa encontram-se
coisas, coisas, coisas...
...desde janeiro de 2003

sabedorias

kapara

remir
Uma amiga me disse que o meu acidente de motocicleta BMW poderia ser interpretado com um palavra em hebraico: KAPARA

Fui pesquisar.

Kapara
Hebrew word that means “atonement”. Used by religious Jews to let things roll off one’s shoulders. Based on the belief that a bit of pain gives atonement for one’s small sins.

Don’t worry for what happened. Kapara!

atonement n (amends) indenização, compensação sf
atonement n Cristianismo: redenção sf expiação sf

Explanation:
The word is spelt: Kaf Peh Resh Heh. The literal meaning of the word is expiation or atonement (as in Yom Kipur, Day of Atonement). Also, pardon, forgiveness, indulgence, expiation, propitiation, and absolution.

Expiar um pecado

A expressão redenção, origina-se do ato de soltura de um escravo, que ocorria no primeiro século, mediante o pagamento de um preço. A palavra foi emprestada pelos cristãos da igreja primitiva para designar a libertação da escravidão do pecado por meio da obra redentora de Jesus Cristo.

Pequenos pecados, small redemption?

Se há expiação, houve pecado?

Follows impeccable behavior (minha observação)

The Hebrew language does not contain the concept of kaparah for a sin, but rather only kaparah for a soul. Kaparah is ransom for a soul, a replacement for death.

The word “kaparot” is plural for the Hebrew word “kapara,” which roughly translates in English as atonement. But the meaning of “kapara” is complex, implying an exchange of a sort. In the Kaparot ritual, this exchange takes the form of a chicken. This chicken is meant to absorb all the sins of the person who is performing the Kaparot ritual, and is then given as charity to a poor family—transforming sin into good deeds.

It is mostly the ultra-Orthodox who perform the Kaparot ritual with a chicken. More moderate Orthodox people usually perform the ritual with money instead, with the same result—the money is given to charity.

A verdade é que sempre estamos “pagando alguma”…

Não existe comportamento impecável, mesmo involuntáriamente somos grosseiros aqui, injustos ali e alheios acolá. É da natureza humana. Isto sem falar em maldade!

Quem briga muito paga o preço, quem se isola também.

Os pecados estão distribuídos por toda a humanidade, uns com mais daquele, outro com menos daqueloutro. E todos pagam, de um jeito ou de outro.

Acho que tudo está conectado em um sistema universal de pesos e contra-pesos, e quando as imperfeições no sistema dão origem a um acúmulo de tensões ocorrem rupturas. Estas rupturas serão maiores ou menores, mais ou menos doloridas, algumas até passam desapercebidas…

O meu acidente foi uma ruptura, e paguei barato! Kapara!

é isso, por fernando stickel [ 7:44 ]

o foco

Há momentos em sua vida em que tudo parece perder sentido, por total falta de foco e objetividade um enorme desânimo toma conta e você fica inerte frente ao “caos”.
A minha experiência diz que de tempos em tempos isso acontece, em maior ou menor grau.
Sensação extremamente desagradavel, parece que nada funciona, as horas passam e nada acontece. Às vezes dura horas, outras vezes dias.
(veja aqui a descrição do fenômeno em Fevereiro 2000)
Não há o que fazer, a não ser evitar fazer besteira enquanto perdurar o momento caótico. Paciência…

Depois, passa.

Algo acontece e recoloca as coisas em seus devidos lugares, é simplesmente a vida (ou o destino) retomando as rédeas da sua vida. Tudo volta a fazer sentido, o desfocado cede lugar ao foco, ufa!!!!!

é isso, por fernando stickel [ 10:47 ]

lighting a match

gallaher
Pequenas sabedorias em desuso…

“The familiar difficulty of lighting a match in a wind can be to a great extent overcome if thin shavings are first cut on the match towards its striking end, as shown in the picture. On lighting the match the curled strips catch fire at once; the flame is stronger and has a better chance.”

é isso, por fernando stickel [ 17:42 ]

pense nisso

resolvido
Você não precisa ser bem sucedido, você precisa ser bem resolvido.

é isso, por fernando stickel [ 7:58 ]

vai ou fica?


Tenho a sensação que vou indo vida afora apesar de mim.
Quem me empurra é a minha história (quase) longa de vida, o acúmulo de coisas que geraram impulso positivo, aparentemente maior que a somatória das coisas que atrasaram a vida.
O saldo positivo bem ou mal continua a propelir meu esqueleto, gerando expectativa/cobrança/recompensa na minha mente/alma/coração.
Imagino que, isolado de tudo e de todos atingiria o Nirvana do ócio perfeito. Os músculos agradeceriam a ausência total do desejo, o esqueleto perderia a ânsia de se mover.
Bastaria tirar da frente a família, filhos, mulher e neto, trabalho, amigos, esportes, arte, fotografia, e otras cositas mas…
A principal dúvida é se o Jimmy Hendrix vai ou fica…

é isso, por fernando stickel [ 16:55 ]

arte transforma!

arte-transforma2-cópia
Arte Transforma!

é isso, por fernando stickel [ 15:21 ]

jane fonda 3º ato


Nós vivemos hoje em média 34 anos mais que nossos bisavós.
Nesta geração, 30 anos extras foram adicionados à nossa expectativa de vida, e esses anos não são apenas uma nota de rodapé ou uma patologia.
Em TEDxWomen, Jane Fonda questiona como podemos considerar esta nova fase de nossas vidas, o Terceiro Ato.
Assistam, é muito interessante!! (e tem a ver com o post abaixo…)
É só clicar aqui.

é isso, por fernando stickel [ 13:29 ]

conselho chinês

é isso, por fernando stickel [ 11:55 ]

sabedoria milenar…

Sabedoria milenar…

O disípulo pergunta:
– Mestre, porque antes do sexo cada um ajuda o outro a ficar nu, e depois do sexo cada um se veste sozinho?
O Mestre responde:
Pequeno Gafanhoto, na vida ninguém te ajuda depois que você está fodido!!

é isso, por fernando stickel [ 11:43 ]

sua santidade dalai lama


Em sua visita ao Brasil em 1992, o Dalai Lama ofereceu uma palestra especialmente à comunidade de praticantes budistas do Brasil, no teatro Ruth Escobar, em São Paulo. Essa palestra foi gravada e transcrita por Bruno D’Avanzo, colaborador correspondente de Bodisatva. Sua Santidade faz uma apresentação genérica do budismo, tomando por base as Quatro Nobres Verdades, e situa o budismo tibetano neste contexto geral.
Leia a transcrição da palestra aqui.

Eu tive o privilégio de ser convidado para esta palestra no Teatro Ruth Escobar na R. dos Ingleses, sentei a cerca de dois metros de Sua Santidade, que com muita simplicidade, simpatia e bom humor proferiu sua palestra no seu característico inglês macarronico.
Fui imediatamente cativado pelas idéias do budismo, e para mim o grande momento veio quando ele explicou com gestos largos a teoria da causa e efeito, dizendo:

…cause, effect, cause, effect, cause, effect, cause, effect, cause, effect, cause, effect, cause, effect, cause, effect, cause, effect…

Faça o bem, e você receberá o bem, faça o mal e receberás o mal. Simples assim.

é isso, por fernando stickel [ 10:41 ]

seguir vivendo

Na missa de sétimo dia do Fonthor, ontem, o padre em sua fala disse uma coisa que me marcou:
“Para combater a morte temos que seguir vivendo.”
Talvez pareça óbvio, mas seguir vivendo com vontade com certeza nos fortalece, e dá condições de ajudar a quem precisa de apoio, justamente em ocasiões como a perda de um ente querido.

Em outras palavras, na sabedoria popular:
“O que não te mata te fortalece.”

é isso, por fernando stickel [ 8:51 ]

religião

Assim como temos lanchonetes para quem não quer cozinhar, temos religião para quem não quer pensar.
André Cancian

é isso, por fernando stickel [ 13:40 ]

zappa

é isso, por fernando stickel [ 23:49 ]

imperfeição

Me dei conta que trabalhamos com a imperfeição.
As pessoas não são perfeitas, nem suas famílias e os membros de sua comunidade, muito menos ainda seus amigos e inimigos…
As relações humanas não são perfeitas, estamos cansados de saber.
O planeta vem mostrando os dentes através das imperfeições do clima, do aquecimento global e do esgotamento dos recursos naturais.
As cidades, moradias, sistemas de transporte, abastecimento de água e energia, tratamento de esgotos e etc… não são perfeitos, longe disso!
Os governos são imperfeitos por definição, todos eles, os de direita, centro ou esquerda, os mais ou os menos corruptos.
As leis são imperfeitas, e o sistema judiciário então nem se fala!!!!
Talvez haja perfeição em toda esta imperfeição, na escala cósmica, mas, se há, sua fruição não está disponível aos humanos.

é isso, por fernando stickel [ 13:35 ]

explorer


Bem ou mal, esta poderia ser a missão deste blog…

You are an explorer

Your mission is to documente and observe the world around you as if you’ve never seen it before.
Take notes. Collect things you find on your travels. Document your findings. Notice patterns. Copy. Trace.
Focus on one thing at a time. Record what you are drawn to.

é isso, por fernando stickel [ 19:36 ]

no frigir dos ovos

Pergunta: Alguém sabe me explicar, num português claro e direto, sem figuras de linguagem, o que quer dizer a expressão “no frigir dos ovos”?

Resposta:
Quando comecei, pensava que escrever sobre comida seria sopa no mel, mamão com açúcar. Só que depois de um certo tempo dá crepe, você percebe que comeu gato por lebre e acaba ficando com uma batata quente nas mãos. Como rapadura é doce mas não é mole, nem sempre você tem ideias, e pra descascar esse abacaxi só metendo a mão na massa.

E não adianta chorar as pitangas ou, simplesmente, mandar tudo às favas.

Já que é pelo estômago que se conquista o leitor, o negócio é ir comendo o mingau pelas beiradas, cozinhando em banho-maria, porque é de grão em grão que a galinha enche o papo.

Contudo é preciso tomar cuidado para não azedar, passar do ponto, encher linguiça demais. Além disso, deve-se ter consciência de que é necessário comer o pão que o diabo amassou para vender o seu peixe. Afinal, não se faz uma boa omelete sem antes quebrar os ovos.

Há quem pense que escrever é como tirar doce da boca de criança e vai com muita sede ao pote. Mas, como o apressado come cru, essa gente acaba falando muita abobrinha, são escritores de meia tigela, trocam alhos por bugalhos e confundem Carolina de Sá Leitão com caçarolinha de assar leitão.

Há também aqueles que são arroz de festa; com a faca e o queijo nas mãos, eles se perdem em devaneios (piram na batatinha, viajam na maionese… etc.). Achando que beleza não põe mesa, pisam no tomate, enfiam o pé na jaca, e no fim quem paga o pato é o leitor, que sai com cara de quem comeu e não gostou.

O importante é não cuspir no prato em que se come, pois quem lê não é tudo farinha do mesmo saco. Diversificar é a melhor receita para engrossar o caldo e oferecer um texto de se comer com os olhos, literalmente.

Por outro lado, se você tiver os olhos maiores que a barriga, o negócio desanda e vira um verdadeiro angu de caroço. Aí, não adianta chorar sobre o leite derramado, porque ninguém vai colocar uma azeitona na sua empadinha, não. O pepino é só seu, e o máximo que você vai ganhar é uma banana; afinal, pimenta nos olhos dos outros é refresco…

A carne é fraca, eu sei. Às vezes dá vontade de largar tudo e ir plantar batatas. Mas quem não arrisca não petisca, e depois, quando se junta a fome com a vontade de comer, as coisas mudam da água pro vinho.

Se embananar, de vez em quando, é normal, o importante é não desistir mesmo quando o caldo entornar. Puxe a brasa pra sua sardinha, que no frigir dos ovos a conversa chega na cozinha e fica de se comer rezando. Daí, com água na boca, é só saborear, porque o que não mata engorda.

Entendeu o que significa “no frigir dos ovos”?

(não sei quem escreveu, mas é simplesmente excelente!!)

é isso, por fernando stickel [ 18:29 ]

circular


Acho que estou compreendendo o mundo de uma maneira circular…
Isto tem me deixado meio tonto, meio desorientado, mas por outro lado parece que as coisas “fecham’, existem menos fios soltos (loose ends).

é isso, por fernando stickel [ 13:30 ]

harry & bess

Harry & Bess? This seems unreal…..
Harry Truman was a different kind of President.
He probably made as many, or more important decisions regarding tyhe US history as any of the other 42 Presidents preceding him.
However, a measure of his greatness may rest on what he did after he left the White House.The only asset he had when he died was the house he lived in, which was in Independence Missouri .
His wife had inherited the house from her mother and father and other than their years in the White House, they lived their entire lives there. When he retired from office in 1952, his income was a U.S. Army pension reported to have been $13,507.72 a year.
Congress, noting that he was paying for his stamps and personally licking them, granted him an ‘allowance’ and, later, a retroactive pension of $25,000 per year.
After President Eisenhower was inaugurated,Harry and Bess drove home to Missouri by themselves. There was no Secret Service following them.
When offered corporate positions at large salaries, he declined, stating, “You don ‘t want me. You want the office of the President, and that doesn’t belong to me. It belongs to the American people and it’s not for sale.”
Even later, on May 6, 1971, when Congress was preparing to award him the Medal of Honor on his 87th birthday, he refused to accept it, writing, “I don ‘t consider that I have done anything which should be the reason for any award, Congressional or otherwise.”
As president he paid for all of his own travel expenses and food. Modern politicians have found a new level of success in cashing in on the Presidency, resulting in untold wealth.
Today, many in Congress also have found a way to become quite wealthy while enjoying the fruits of their offices.
Good old Harry Truman was correct when he observed:
“My choices in life were either to be a piano player in a whore house or a politician. And to tell the truth, there’s hardly any difference!
I say dig him up and clone him!!

é isso, por fernando stickel [ 8:37 ]