aqui no aqui tem coisa encontram-se
coisas, coisas, coisas...
...desde janeiro de 2003

família

pulinho na bahia

familia174hgppol
Foto German Lorca, anos 50.
OK, ok, lição de casa feita, missão cumprida, o ano acabou, panetones e Papai Noel, agora vamos dar um merecido pulinho ali na Bahia e já voltamos!

é isso, por fernando stickel [ 22:09 ]

natal 2015!

the force
Natal 2015!

é isso, por fernando stickel [ 17:26 ]

guarujá, 1951

guaruja1951
Guarujá em 1951, com o Edifício Sobre-as-Ondas em destaque.
Meus pais construíram nossa casa na Praia do Guarujá, indicada pela seta vermelha. À direita fica a Praia das Pitangueiras, ainda sem nenhum prédio.

é isso, por fernando stickel [ 11:30 ]

erico stickel por cerri

erico stickel jovem
Meu pai Erico João Siriuba Stickel. Chuto que ele deveria ter nesta foto no máximo uns 20 anos, cursando direito na USP.

cerri
Fotógrafo Cerri, no Largo do Patriarca. Reparem a beleza do logotipo “Art-deco”

é isso, por fernando stickel [ 16:07 ]

nasceu meu neto ian!!

O dia em que eu soube do nascimento do meu neto IAN REAME STICKEL!

ian1
O sábado 14/11/2015 iniciou-se com atividades fisicas rotineiras e a intenção de tomar um chopp com os amigos após os exercícios. Alexandre, Zé e eu abrimos os trabalhos com chopp e tremoços no Bar Dois Irmãos no Campo Belo, em seguida fomos ao Windhuk em Moema para mais chopp com Hackepeter. As duas casas juntas somam 162 anos de idade…

ian2
Em seguida fui à apresentação de natação do meu neto Samuel, na escola Mundo Azul no Sumaré, com direito a medalha! Dali fomos com um amigo do Samuel e seus pais tomar um lanche na padaria da esquina, com direito a picolé de uva!

Liguei para o meu filho Antonio que mora ali perto, pois queria fazer uma visita à sua casa para conhecer o quarto do bebê, recém preparado. Cheguei por volta das 16:00h, Antonio me abriu a porta, nos cumprimentamos e ele disse:

-Vamos subir, a Rubia está em cima.

Subi a escada, virei à esquerda e entrei no quarto. Olhei para a cama do casal onde estava recostada minha nora e ao lado dela algo que não entendi… um bebê dormindo, tranquilo, deitadinho na cama do casal… meus olhos me comunicaram técnicamente a cena, mas o cérebro demorou para fisgar o significado… Seguiu-se o diálogo:

– O que é isso???!!! (surpresa total)
– É o seu neto…
– Mas como??!!
– Nasceu ontem, aqui mesmo neste quarto…
– Vocês não avisaram!!!!
– Queríamos ficar tranquilos com o bebê…

ian3
Aí me contaram os procedimentos para o parto, assistido por uma parteira e uma doula. Montaram no quarto do bebê uma piscina inflável, encheram com água quente e lá se iniciou o trabalho do parto, em seguida foram ao quarto do casal e ao final meu filho cortou o cordão umbilical… Diga-se que foi preciso muita coragem para este feito!

O bebê nasceu de parto natural às 13:01h da sexta-feira 13/11/2015, tudo tranquilo e perfeito, não contaram do nascimento para ninguém e curtiram durante 24 horas a intimidade com o bebê, sem a interferência de berçário, enfermeira, família, flores, etc…

ian4
Oficialmente haviam divulgado para a família e os amigos que o parto seria no Maternidade do Hospital São Luis, escolhida para o plano B, caso algo não funcionasse.

Curti o bebê, tirei fotos, conversei e logo depois chegou a vovó Iris, que ficou igualmente surpresa com a novidade!

Cheguei em casa cansado de tanta novidade e emoção e me joguei no sofá, controlando a vontade de contar pra todo mundo!

ian5

é isso, por fernando stickel [ 14:38 ]

stickel na abilio soares

as1

as2

as3
Minha mãe continua a encontrar tesouros… Desta vez são fotos de 1915 do interior da casa onde morou meu avô Arthur Stickel na R. Abilio Soares 49, no bairro do Paraiso em São Paulo.
O interessante são as anotações à caneta na foto, dando o endereço, mencionando Wohnzimmer, ou seja “sala-de-estar” e a orientação, sudeste, norte e oeste…

é isso, por fernando stickel [ 15:10 ]

eu mesmo…

fsdenise
Minha amiga, a fotógrafa Denise Andrade fez um excelente retrato deste que vos escreve… Abandonei qualquer réstia de recato e coloquei aí procêis curtirem…

é isso, por fernando stickel [ 18:16 ]

casamento antonio e rubia

Ontem, 7/11/2015,casamento do meu filho Antonio com a Rubia!! Em breve nascerá meu segundo neto!! Parabéns aos recém casados, bem-vindo bebê!!!

cas1
Os noivos e as madrinhas, Fernanda Stickel e Tati Nolla perante a juiza de paz.

cas2
Aguardando a hora no cartório!

cas3
O almoço.

cas4
Casados!

é isso, por fernando stickel [ 18:34 ]

4ª série do ginásio

porto seguro 1963
Colégio Visconde de Porto Seguro, quarta série do ginásio, 1963. Eu sou o primeiro à esquerda, na fila de cima.
É engraçado como todos com 15 anos parecem mais velhos… ou não?

A lista de colegas abaixo compilei de diversas fontes, e incluem todas as turmas das quais participei, pois fui repetente no 1º e no 2º Científico. Recebi também listas do site dos Ex-alunos do colégio. Agradeço colaborações e aperfeiçoamentos.

Adrienne Rosenberg
Afonso de Escragnolle Taunay Neto
Alejandro Kopetzky Herzenberg
Alexander Baron von Korff
Alfredo Gehre
Alfredo Reclusa Ilse
Alice Elke Faust
Alvaro Thomas Renaux Niemeyer
André Willi
Andrea Mojen
Anna Maria De Cenzo Verginelli
Annegret Kraus
Ana Cristina Reis
Ana Mirian Rhinow
Angela Hartmann
Archie Anthony Brandt Searby
Antonio Carlos Fernandes Lima
Antonio Flavio dos Santos Clemente
Armando Luiz Marconi Pereira
Astarté Mennucci Giesbrecht
Barbara Elfriede Winter
Barbara Luise Wacker
Bernhard Brunckhorst
Carl Alexander Gerhard Brech
Carlos Alberto De Vecchi
Carlos Frederico (Fritz) Jordan
Carlos Günther Konen
Carlos Helmut Japp
Cedric Rauert de Freitas
Celso Antonio Vieira de Camargo
Celso Rodolfo de Rogatis Lieberg
Cesar Augusto de Souza e Silva
Christian Frutig
Christiano Dietrich von Schaaffhausen
Claudia Brunckhorst
Claudio Réa
Clarissa Lilian Hauer
Cornelis Duvekot
Daniel Egon Schmidt
Daniel Fresnot
Dino Vannuci Chiappori
Ditha Bongertz
Dorit Staudacher
Edgar Bromberg Richter
Edith Marie Rencz
Eduardo Cardoso Cesana
Elizabeth Wanda Lux
Elizabeth Uhl
Elsmarie Weier
Elze Pantel
Enzo Luis Nico Jr.
Eric Afonso Klotz
Erica Krohn Jany
Eugenio Carlos Goffi
Eugenio Naschold
Eurídice Ratolla Fiorentini
Euridice Fiszbeyn
Evaldo Billerbeck Junior
Ewaldo Alfredo Currlin
Fernando Diederichsen Stickel
Fernando Perracini
Ferry Eugen de Faria Pacheco Rosenstock
Francisco Xavier Iturralde Jahnsen
Frank Hamilton
Gabrielle Renée Treumann
Gastão Rachou Neto
Gerd Henrique Stoeber
Gerda Luise Bender
Glauco Antonio Arias
Glacy Zweig
Gotho Riedel
Gudrun Eikmeier
Gunda Recke
Gunter Wrede
Hannelore Charlotte Ida Naumann
Hannelore Erica Ludwig
Hans Michael Bleidorn
Heinz Konrad
Helena Machado de Campos
Helena Straus
Helga Edith Lux
Helio Dias Pinto Bergwerk
Henrik Kreuger
Hermann Peter Schneider
Hildegard Hermine Mause
Horacio Luiz Alves Pereira
Hubert Raymond John Noel Morgan
Hugo Mac Nevin Egger Moellwald
Ilona Dorothéa Kaiser Neumaier
Ingo Plöger
Ingrid Dormien
Ingrid Gehre
Ingrid Luise Schreen
Irene Ester Kovacevich
Irene Heidenreich
Iris Groman
Irmgard Ana Jaschke
Jane Sandra Monica Eisenhauer
João Baptista Silva Ferraz
João Franke
Johanna Wilhelmina Smit
Jonah Paulett Thau
Jorge Frederico Magnus Landmann
José Thiago Pontes Filho
José Joaquim Gonçalves Pontes
Karin Michaelis
Karin Roderbourg
Karin Sönksen
Karl Heinz Heise
Karl Hinrich Dobberkau Kurmeier
Klaus Carlos Bernauer
Klaus Bruno Tiedemann
Klaus Friedrich Foditsch
Layse Helena Jacy Monteiro
Luis Antonio da Silva Telles
Luiz Antonio Cartolano
Luiz Carlos Pilon Motono
Manuel Lucio Turelli
Manuel Ramiro Iturralde Jahnsen
Marco Aurelio Pinto de Assis
Maria Angela Nogueira Nico
Maria Elena Boeckel dos Santos
Maria Isabel Schneider
Maria Izabel Leal Almeida Pinheiro
Maria Lucia Guida
Maria Magdalena Turák
Mário Müller Carioba
Máximo Eduardo Carrara de Sambuy
Micaela Beatrice Vogel
Milton Alexander Miehe
Monica Elisabeth Renaux Niemeyer
Monika M. E. Engel
Nicolau Kouzmin-Korovaeff
Odilon Ferreira de Almeida Filho
Paul Grenville Robinson
Peter Ahlgrimm
Peter Biekarck
Peter Klügling
Ralf Zietemann
Raul Marcelo Tichauer
Reinhold Poller
Renate Brichta
Roberto Singer
Rodolfo Bürgi
Rodolfo Hermano Borghoff
Roland Bange
Ronald Schwarz
Ronald Sussmann
Ronaldo Ary Hartmann
Rosa Maria de Almeida Prado
Roswita Gertraud Radius
Rudolf Zander
Ruth Gertrud Schwenkow
Ruth Ursula Liebrecht
Ryad Adib Bonduki
Sergio Aredes Piedade Gonçalves
Siegrid Rabenhorst
Sonia Valentina Rodrigues Sousa
Sylvia Brigitte Roosen-Runge
Sylvio Roberto Faria
Thomas Buckup
Udo Abele
Ulrich Bruhn
Ursula Kamphausen
Ursula Reinhard
Vera de Souza Maciel Baranowsky
Vera Lucia Alves Brandão
Verena Norma Egli
Veronica Selma Schwarz
Victor Germano Pereira
Victoria Hildegard Kühn
Viktoria Tkotz
Walter Paul Raedler
Walter Vassel
Werner Alfred Gemperli
Wolf-Marko Hans Friedrich Salder

é isso, por fernando stickel [ 9:23 ]

família reunida

familia
Cerca de 1966, meus pais e irmãos reunidos na casa da família na Rua dos Franceses, da esq. para a direita, o caçula Neco, Martha, Erico, Ana Maria, eu e Sylvia.

é isso, por fernando stickel [ 16:18 ]

pai herói

jk
Por conta desta foto do pai dos meus amigos José e Roberto Rodrigo Octavio, publicada no Facebook lembrei do meu pai, Erico João Siriuba Stickel em circunstâncias bem interessantes!

Nas férias de Julho lá nos anos sessenta meu pai enfiou cinco moleques, entre 11 e 17 anos, em seu Alfa-Romeo JK e fomos para Minas Gerais! Infelizmente não tenho fotos desta viagem.

Se bem me lembro foram nesta viagem, além do meu pai ao volante o meu primo Bernardo, meu irmão Neco, meu amigo Klaus e o meu primo Renato (Pimp’s) O carro tinha banco inteiriço na frente, por isso cabiam três na frente e três atrás.

Lá no meio do sertão de lugar nenhum, final da tarde, envoltos em densas nuvens de poeira, encontramos uma pousada, se é que poderia ser denominada assim, os quartos estavam fechados, sem uso, ao serem abertos estavam totalmente empoeirados, parecia cena de filme.

Meu pai perguntou se teríamos algo para comer, diante da afirmativa sentamos e meu pai perguntou a cada um o que queria, acho que o máximo que o local poderia nos servir era um sanduiche de pão com mortadela e tubaína.

Naquela situação de penúria o Renato pediu: Tio Erico, quero melão com presunto!!!!

Situação digna de pai herói!!!

é isso, por fernando stickel [ 10:56 ]

segundo lugar nas 1000 milhas!!

1000
Da esquerda para a dir, as três equipes vencedoras na categoria geral do Rallye Internacional 1.000 Milhas Históricas Brasileiras:
Wagner e Goi com Mini Cooper Nº9 no terceiro lugar; Mario e Rogerio com Mercedes-Benz 280S Nº19, primeiro lugar; eu e Arthur com Mercedes-Benz 280SL Nº21, segundo lugar.

Enorme alegria (e surpresa!) conquistar hoje ao lado do meu filho Arthur o segundo lugar no Rallye Internacional 1.000 Milhas Históricas Brasileiras 2015.

A satisfação de constituir uma equipe eficiente e harmonica, algo por definição dificílimo. Pai piloto e filho navegador foram se aprimorando como equipe ao longo de alguns anos e quase uma dezena de provas de rallye em conjunto, conquistando no processo alguns primeiros e segundos lugares.

As regras rígidas deste rallye padrão FIVA exigiram concentração adicional de piloto e do navegador, é sabido no entanto que quem ganha rallye é o navegador.

Nosso carro, a Mercedes-Benz 280SL 1970, após longa e minuciosa preparação comportou-se impecávelmente, o que por si só é uma delícia!!!

Usufruir da organização impecável do MG Club, conviver durante cinco dias com o staff atencioso, os amigos antigos e os amigos novos, enfim foi tudo ótimo!!

taça
A taça e a equipe!

parati
A máquina vencedora em Parati, RJ.

geral
Classificação geral

Gaúchos vencem 4º Rally Internacional 1000 Milhas Históricas Brasileiras

Rogério Franz e Mário Nardi conquistaram a terceira vitória em quatro participações.
Os gaúchos Rogério Franz e Mário Nardi venceram pela terceira vez o Rallye Internacional 1000 Milhas Históricas Brasileiras, realizado na última semana (24 a 28/6/2015). Na 4ª edição do único rallye de carros antigos com a chancela da FIA – Federação Internacional do Automóvel eles conduziram um Mercedes-Benz 280S 1969 e perderem apenas 188 pontos.

“Nosso rallye começou em Porto Alegre, pois viemos rodando para participar da prova. Este ano foi mais tranquilo, porque começamos liderando. Para isto, o Mário passou noites em claro calculando e o resultado está aí, três vitórias em quatro participações”, comentou o engenheiro mecânico e piloto Rogério Franz. “Voltamos felizes para o Sul. Pretendemos voltar em 2016 com outro carro, pois gostamos de variar”, assegura o navegador Mário Nardi. Na primeira edição do Rallye Internacional 1000 Milhas Históricas Brasileiras, em 2011, a dupla gaúcha venceu com Triumph TR4 1962. A outra vitória foi em 2014, daquela vez conduzindo um Mercedes-Benz 350 SLC 1973.

Depois de percorrerem 1.788 km em cinco dias de provas, passando por estradas históricas no interior de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, a maioria dos carros chegou na tarde de domingo (28/6) para receber a bandeirada de chegada no Shopping Iguatemi, na zona sul da capital paulista. “Foi um rallye nota 1000. Não deu nada errado, pouca gente quebrou, mas teve assistência. Agora vamos começar a trabalhar para o ano que vem”, avisa Eduardo Lambiasi, Diretor de Provas do MG Club, realizador da competição.

Os veículos inscritos foram divididos em três categorias, conforme o ano de fabricação. Na categoria Pós Guerra a vitória ficou com a dupla de pai e filho Ricardo e Felipe Marujo, com Jaguar XK 150-S 1959, que também ficaram em sexto na classificação final, mesmo estreando em rallyes.

“É muito gratificante você participar pela primeira vez de um rallye desses e vencer. Eu participei pelo lazer, mas o meu filho é muito competitivo. Este resultado é um estímulo para voltar no ano que vem e também participar de outras provas”, comemorou o médico e piloto Ricardo Marujo.

Na categoria 1961 a 1970 os vitoriosos foram Franz/Nardi, mas na reservada para os carros de 1971 a 1980 a glória ficou para Antonio Chambel Filho e Ney Fonseca, com Mercedes -Benz 280S 1971. “Foi uma surpresa para nós, não esperávamos ganhar, apesar de termos trabalhado forte para isto. No meio da competição vimos que tínhamos chance e fomos esmerando”, contou Chambel Filho, acostumado a participar de corridas de carros. “A confraternização e os momentos de descontração foram todos maravilhosos. E o Marcedes-Benz se comportou como um tanque Panzer, é um carro confiável e maravilhoso”, elogiou o piloto.

A melhor dupla mista foi Leandro Pimenta e Nefertiris Curi, com Fusca 1.300 1973, que ficaram em oitavo na classificação Geral e terceiro na categoria 1971 a 1980. A melhor dupla estrangeira ficou na 16ª posição, formada pelos italianos Gastone Gonzato e Silvana Bianchini, que estrearam com Porsche 911 SC 1980. Rose Salmon, a única mulher que estava pilotando levou o seu Austin-Healey BT7 1960 ao quarto lugar na categoria Pós Guerra e 29º na Geral. A dupla Maurício Marx/Carolina Vassilak, que começou competindo com Romi-Isetta 250 1958 levou o prêmio ‘Espírito do Rallye’, pela simpatia e esforço de continuar acompanhando a prova mesmo após a quebra do veículo.

Os cinco primeiros na classificação Geral foram:
1) Rogério Franz/Mário Nardi, Mercedes-Benz 280S 1969, 188 pontos perdidos;
2) Fernando Stickel/Arthur Stickel, Mercedes-Benz 280 SL Pagoda 1970, 324;
3) Carlos (Goi) Cacciatore/Wagner Saccomani, Mini Cooper S 1965, 481;
4) Christian Pons Casal de Rey/Mário Leitão, Corvette Stingray 1963, 491;
5) Antonio Chambel Filho/Ney Fonseca, Mercedes-Benz 280S 1971, 698.

Os cinco primeiros na categoria Pós Guerra foram:
1) Ricardo Marujo/Felipe Marujo, Jaguar XK 150-S 1959, 909 pontos perdidos;
2) Reinaldo Fantozzi/Thiago Almeida Prado, Thunderbird 1957, 1.672;
3) Eduardo Azevedo/Cecília Azevedo, MGB Roadster V8 1969, 5.243;
4) Rose Samon/Herve Salmon, Austin-Healey BT7 1960, 64.725;
5) Mário Andrade/Eileen Andrade, Jaguar XK 120 1960, 89.801.

Os cinco primeiros na categoria 1961 a 1970 foram:
1) Rogério Franz/Mário Nardi, Mercedes-Benz 280S 1969, 188 pontos perdidos;
2) Fernando Stickel/Arthur Stickel, Mercedes-Benz 280 SL Pagoda 1970, 324;
3) Carlos (Goi) Cacciatore/Wagner Saccomani, Mini Cooper S 1965, 481;
4) Christian Pons Casal de Rey/Mário Leitão, Corvette Stingray 1963, 491;
5) Marcelo Mantelli/Simone Bumbel, Volvo Amazon 122S 1967, 1.494.

Os cinco primeiros na categoria 1971 a 1980 foram:
1) Antonio Chambel Filho/Ney Fonseca, Mercedes -Benz 280S 1971, 698 pontos perdidos;
2) Paulo Martinelli/Paulo Martinelli Filho, BMW 2002 Tii 1973, 967;
3) Leandro Pimenta/Nefertiris Curi, VW Sedan 1.300 1973, 1.302;
4) Júlio D. Areia Filho/Letícia B. de Mello, Mercedes-Benz 280 CE 1980, 1.330;
5) Cristiano Cittadino/Urbano Muffo, BMW 33 CS 1972, 1.444.

O Rallye Internacional 1000 Milhas Históricas Brasileiras é uma realização do MG Club do Brasil, com patrocínio de Cyrela By Pininfarina e Valisere, apoio logístico de Mercedes-Benz, Toyota e CDL Shopping Iguatemi de São Paulo e colaboração de HT Pro Nutrition, BraClean e Taj Ouro 18k.

Visite o blog das 1000 Milhas aqui.

os 3
As equipes vencedoras na categoria geral recebem as taças.

todos
Todos os vencedores em todas as categorias

é isso, por fernando stickel [ 23:34 ]

mais um neto!!!

neto
Este pequeno ser é o meu neto!!
Meu filho Antonio e sua mulher Rubia acabam de me dar a notícia deliciosa!
Ainda não tem nome, parece ser um menino e deve nascer em Novembro.

anuncio
Minha mãe Martha recebendo as boas novas, com Antonio e Rubia.

é isso, por fernando stickel [ 9:11 ]

mamãe sandra!

sandra
Parabéns mamãe Sandra!!!!
Parabéns duplo, pelo dia das Mães e pela vitória de ontem, Primeiro Lugar no adestramento, com Equus Viggen!

é isso, por fernando stickel [ 8:57 ]

mamma!!!

mamma
Feliz dia das Mães, mamãe Martha!!!
Você está longe, lá nas Europas, então divirta-se, e receba as boas vibrações de quem te ama!

é isso, por fernando stickel [ 8:29 ]

seu arruda, farmacêutico

estojo-de-aco-antigo-com-seringa-vidro-marca-lider-coleco-7987-MLB5305770385_102013-F
O nome dele era “Seu” Arruda, baixinho, de meia idade, sempre de terno e gravata chegava em casa com sua fala rápida e enrolada, munido de maletinha de couro preta recheada de remédios, ampolas e seringas de vidro, agulhas, tudo devidamente esterilizado e guardado em estojos de aço inoxidável.

Simpático, discreto e eficiente, conhecia todos os glúteos da casa. Sua profissão, farmacêutico, sua missão, aplicar injeções. Eu gostava muito de observar a rotina de cortar o pescoço da ampola com uma serrinha e depois quebrá-lo com um ‘pop’.
Não sei por que me lembrei dele, presença constante na casa dos meus pais na Rua dos Franceses. Havia sempre alguém precisando de uma injeção, a casa era cheia de gente, meus pais, quatro irmãos, minha avó Lili, a Fräulein governanta e o “Seu” Paulo jardineiro.

é isso, por fernando stickel [ 23:32 ]

comemoração!!

lunch
Dormi bem a segunda noite pós cirurgia, só de barriga para cim e sem dor.
Fui ao escritório para a reunião do Conselho Fiscal, que aprovou todas as contas de 2014 da Fundação Stickel.
Em seguida um almoço em família na minha casa para comemorar as cirurgias bem sucedidas minha e da minha mãe Martha.

é isso, por fernando stickel [ 22:53 ]

cirurgia no ombro

o1
A preparação.

A necessidade é a mãe da invenção.
Minha datilografia sempre foi péssima, cato milho razoavelmente com a mão direita.
Com o ombro direito operado fui descobrir uma nova maneira de datilografar, existe um recurso no Mac para ditado, que acabo de acionar. Funciona bem. É assim que estou escrevendo estas linhas.

A operação no meu ombro direito no Sírio Libanês foi um sucesso, pouquíssima dor até agora, atendimento perfeito da equipe médica do Dr. Sergio Checchia quanto do hospital, e evidentemente da minha querida acompanhante Sandra.
Fiquei na nova ala D, moderníssima e ampla.
Tudo conforme o programado, uma noite apenas no hospital e saímos hoje de manhã, após banho e barba com auxílio profissional, sem o uso do braço direito as coisas podem ficar bastante difíceis…
Recebei instruções precisas sobre o uso da tipoia e para movimentar o mínimo o braço direito.
Alguns exercícios simples de fisioterapia deverão ser feitos durante dia.

Algumas novidades como as meias para evitar trombose me massagearam durante a noite inteira, todos os atendimentos da enfermagem são feitos e registrados online através de aparelhos tipo celular. O cuidado para marcar no corpo o local correto para a cirurgia chegar a ser excessivo, mas dá para entender quando se lê tanto sobre erros médicos.

o2
A constelação de furos.

03
A elegancia pós-cirurgica.

o4
A volta à vida normal (com tipoia…)

é isso, por fernando stickel [ 16:45 ]