aqui no aqui tem coisa encontram-se
coisas, coisas, coisas...
...desde janeiro de 2003

família

dança da fernanda


Arrumando fotos antigas.
Apresentação de dança da minha filha Fernanda, algo como 1988.

é isso, por fernando stickel [ 18:56 ]

dia dos pais


Dia dos Pais.

Parabéns a todos nós pais que amam e olham por seus filhos, participam de suas vidas, educam-nos, impõe limites e incentivam-nos de todas as formas possíveis.

Parabéns aos Homens que agem da mesma maneira, mesmo sem terem gerado seus filhos, e que portanto os adotaram formal ou informalmente. Merecem o mesmo respeito, talvez até mais.

O melhor presente é mesmo estar com os filhos.

é isso, por fernando stickel [ 10:46 ]

milk-shake


Sábado à noite chego em casa e encontro vários recados espalhados, que me conduzem à geladeira e ao milk-shake de morango que meu filho Arthur me preparou.
É claro que papai formiga foi dormir feliz!!

é isso, por fernando stickel [ 9:49 ]

barbeiro


Sábado às 16:45 levo meu filho Arthur ao barbeiro da R. Fiandeiras, na Vila Olímpia.
Em 15 minutos e por R$ 15,00 (incluida a caixinha) ele ficou um gato.
Depois o prêmio, trufa de chocolate e caramelo no Shopping Iguatemi, com direito a pesquisa de games na loja especializada.

é isso, por fernando stickel [ 10:21 ]

as crias


Minhas três crias queridas, Arthur, Fernanda e Antonio, no Eco-Park.

é isso, por fernando stickel [ 10:26 ]

fogo no domingo


Domingo à tarde, Arthur e seu amigo brincam com fogo…

é isso, por fernando stickel [ 17:07 ]

os dois


Duas coisas que eu gosto e uma que não gostei.

1. Assistir com meu filho e o amigo, embolados no sofá, comendo batata frita & etc… ao filme Rat Race, traduzido aqui como Tá Todo Mundo Louco, comédia hilária de 2001.

2. Botar os dois pra escovar os dentes, colocar pijama e dormir.

Destestei Melinda & Melinda do Woody Allen.
“Life can be a comedy or a tragedy, it all depends on how you look at it.”
Bom, este filme foi uma tragédia.

é isso, por fernando stickel [ 1:16 ]

casar 2005


Ah! O orgulho da cria! Meu filho Antonio no seu stand de videomaker/cineasta, a Stickel Filmes, ontem na inauguração do Casar 2005.
Eu parecia mãe de noiva, fiquei completamente bêbado, distribuia cartões do Antonio para todo mundo, fiz a maior farra!
Alguém vai casar? É lá mesmo para descobrir tudo que é necessário:
Endereço: Villa Noah – Rua Castro Verde, 266 – Chácara Santo Antônio
Data: de 19 a 22 de maio
Horário: das 14h às 22h
Ingresso: R$ 20,00, estudantes pagam meia, crianças até 10 anos e pessoas com mais de 65 anos não pagam.

é isso, por fernando stickel [ 9:46 ]

aparelho


A diferença foi realmente fantástica, inclusive no bolso. Mas o mais aterrador nessa história de aparelho para os dentes é a permanente neura com perder o aparelho.
No fim de semana na praia estava eu andando com Arthur e lá vem o sorveteiro, compro um palito de coco e digo:
-Guarda o aparelho no bolso. (ele estava de bermuda)
Vamos caminhando e ele chupando o sorvete. Ao acabar, uns 200 ou 300m. depois digo:
-Põe o aparelho.
Ele me olha aterrorizado e faz um gesto com as mãos entre o pânico e o SUMIU.
Volto imediatamente pelo mesmo caminho com total determinação de achar o raio do aparelho. Lá no fim da praia, alívio, lá está o maldito na areia, intacto!!!
Da próxima vez vou conferir a PROFUNDIDADE do bolso da bermuda.
Tanta coisa pra pensar!!

é isso, por fernando stickel [ 19:03 ]

homenagem


O Esporte Clube Pinheiros homenageou as famílias dos ex-presidentes do clube na inauguração de um novo painel. Meu avô, Arthur Stickel foi presidente do clube por 13 anos (acho que erraram as datas no painel…) e era carinhosamente chamado de “Presidente amigo de 13 anos”. Fiz questão de levar o bisneto Arthur para o evento.

é isso, por fernando stickel [ 16:10 ]

windy paradise


Windy paradise
# 20
Duraplac, formica, latão prateado
122 x 53 x 15 cm

Este título poético foi um dos atrativos que motivaram a mim e a Alice, minha namorada, a comprar esta obra do Baravelli de 1970.
Ela participou de duas antológicas exposições em 1970, as coletivas dos meus mestres Baravelli, Fajardo, Nasser e Resende no MAM Rio de Janeiro e MAC-USP São Paulo.
Me casei com a Alice em 1971, me separei em 1974, e ela ficou com este trabalho. Ontem, 31 anos depois da nossa separação, ela me devolveu o trabalho.
Obrigado, Alice, adorei teu lindo gesto, você foi extremamente generosa e simpática!

é isso, por fernando stickel [ 11:19 ]

hostia


Arthur, compenetradíssimo, avança com a hóstia nas mãos, ao lado de seu colega Gabriel com o vinho. O amigo Antonio olha a cena e se diverte…

é isso, por fernando stickel [ 17:19 ]

família do arthur


A família do Arthur na primeira comunhão: Da esquerda para a direita, eu, a irmã Fernanda, minha mãe Martha, Arthur, Jade, a mãe do Arthur e Celia, mãe da Jade.

é isso, por fernando stickel [ 17:08 ]

maria ignez


Maria Ignez, Helo e Mariangela, sócias fundadoras da Escola Viva estão presentes na minha vida de pai desde sempre, pois cuidaram dos meus três filhos logo cedo.
Mais recentemente a Maria Ignez iniciou na escola o excelente curso de religião que acabou por conduzir o meu filho Arthur ao batismo e à primeira comunhão. São certas PESSOAS que tem esta capacidade de desmistificar, instruir, orientar, e o padre Dagoberto, juntamente com a Maria Ignez sem dúvida ajudou muito a concluir este processo de uma maneira simples, positiva e alegre.

é isso, por fernando stickel [ 16:58 ]

eu e a religião


Como criança e adolescente vivi situações muito negativas com a religião.
Em casa não se falava no assunto. Meu pai sempre foi agnóstico de carteirinha, e assim morreu, sem dar uma única brecha para a espiritualidade.
Minha mãe uma cristã sem muitas manifestações externas, fazia comigo, no máximo, uma rezazinha em alemão na hora de dormir:

Lieber Gott mach mich fromm, dass ich in Himmel komm.
Amen

No colégio Visconde Porto Seguro as aulas de religião eram um desastre total, com imagens de caldeirões de chumbo derretido, torturas e ameaças de ir para o inferno. Por sorte nunca acreditei nesta história de pecado e culpa.
Fiz minha primeira comunhão na Igreja Luterana da Rua Verbo Divino, totalmente em alemão, totalmente por inércia e não tenho boas memórias da experiência.
Meus filhos mais velhos não foram batizados, pela minha total desconexão com o assunto, e o mais novo, Arthur, foi batizado agora, aos 10 anos de idade.
Minha espiritualidade despertou na primeira visita de Sua Santidade o Dalai Lama ao Brasil no início dos anos 90, quando o vi e ouvi no Teatro Ruth Escobar, a poucos metros de distância. De lá para cá venho me interessando pelo assunto de uma maneira mais aberta, lendo sobre budismo e tentando olhar com olhos menos magoados e mais compreensivos para todo este universo das religiões.

é isso, por fernando stickel [ 16:38 ]

primeira comunhão


Esta é a ilustração que o meu filho Arthur fez para a cartilha da sua Primeira Comunhão, realizada hoje de manhã. Pela terceira vez em dois meses tive uma sensação boa numa cerimonia religiosa.
A primeira foi na Ilha de Páscoa, a segunda foi o batizado do Arthur no sábado passado, e a terceira hoje de manhã, com a igreja cheia de familiares e amigos das 37 crianças que fizeram a Primeira Comunhão.

é isso, por fernando stickel [ 15:36 ]

max und moritz


Minha irmã Ana Maria me trouxe da Alemanha a reedição das aventuras de Max und Moritz (Juca e Chico) do Wilhelm Busch. Presente fantástico, pegou na veia. Minha infância foi povoada destes traquinas levados.

Ach, was muß man oft von bösen
Kindern hören oder lesen!!
Wie zum Beispiel hier von diesen,
Welche Max und Moritz hießen;

é isso, por fernando stickel [ 8:52 ]

batizado do arthur


Meu filho Arthur foi batizado hoje de manhã pelo simpático padre Dagoberto, numa cerimônia simples na Paróquia Nossa Senhora da Esperança.
No próximo sábado será realizada a Primeira Comunhão, juntamente com vários colegas do curso de religião que fizeram na escola.

é isso, por fernando stickel [ 12:28 ]