aqui no aqui tem coisa encontram-se
coisas, coisas, coisas...
...desde janeiro de 2003

arte

fazenda ermida

ermida
Na Fazenda Ermida, da Fundação Antonio-Antonieta Cintra Gordinho (FAACG)

é isso, por fernando stickel [ 16:40 ]

mulheres de talento

retrato
No Projeto Mulheres de Talento da Fundação Stickel, que atende moças da Vila Brasilândia, durante a aula de fotografia de Arnaldo Pappalardo.

papp5
Arnaldo levou para a aula uma lona para fundo e ensina às moças enquadramento, iluminação, etc…

Em tempo: Este curso passou a se chamar “Um olhar sobre a Brasilândia”, Projeto Contrapartida.

é isso, por fernando stickel [ 16:09 ]

2012

2012
2012, o Filme.
Começa muito bem e se desenvolve com interesse, a base científica misturada com as previsões Maias é plausível, o efeito “forno de microondas”, os neutrinos, mudança dos polos magnéticos, tudo vai bem até a metade do filme.
Os efeitos especiais dos terremotos, erupções, tsunamis são muito, muito bons.
A partir da metade começa o melodrama, aí o filme cai para açucarados e intragáveis chavões. É uma pena.
Ah, sim, poderiam cortar pelo menos 30 minutos…

é isso, por fernando stickel [ 10:00 ]

animação por blu

blu
MUTO – Uma animação pintada na parede em Buenos Aires, por BLU, 2008

Vale a pena ver, muito bom! Clique aqui.

é isso, por fernando stickel [ 16:19 ]

smoking

smoking
Daqui

é isso, por fernando stickel [ 19:11 ]

estúdio ressuscitado

est5
Pouco a pouco meu estúdio volta à vida, conduzido pelas hábeis e decididas mãos da arquiteta Sandra Pierzchalski, minha mulher.
Depois de servir como despejo e área de reciclagem de materiais de construção na época da reforma do imóvel que abriga hoje o Programa Mulheres de Talento da Fundação Stickel, agora ele volta às artes, abrigando fotos, desenhos, pinturas, objetos.
Algumas fotos novas estão sendo penduradas nas paredes, mas por enquanto é surpresa…

Em 2010 eu completo seis anos à frente da reconstrução da Fundação Stickel. Neste período minha atividade artística ficou extremamente reduzida, o que não foi exatamente um Biotônico Fontoura para a minha alma artística.
Acharei uma maneira de equilibrar as coisas, estou sentindo falta do fazer artístico.

é isso, por fernando stickel [ 9:04 ]

anselmo duarte

anselmo
Começa velório de Anselmo Duarte em São Paulo

Anselmo Duarte (1920-2009) posa para a fotógrafa Jade Gadotti Stickel, em Maio 2009.
Possivelmente uma das últimas fotos do mito neste planeta.
Que faça boa viagem!

é isso, por fernando stickel [ 19:47 ]

três filmes excelentes

Três filmes excelentes:

chase
O coreano The Chaser (Chugyeogja)

bloom
Os Vigaristas (The Brothers Bloom)

coco
Coco before chanel

é isso, por fernando stickel [ 12:11 ]

velas

velas
O bordado de Sonia de Almeida Mendes, diarista, casada com um motoboy, três filhos, moradora do Capão Redondo, periferia de São Paulo, está exposto na Casa das Rosas até 6 Dezembro.
Assista no Jornal Antena Paulista como bordadeiras paulistas trocam experiências com bordadeiras francesas em um encontro que faz parte do Ano da França no Brasil.
Com agulha e linha, elas contam a história de toda uma vida no projeto Tecendo Histórias Traçando Pontes, apoiado pela Fundação Stickel.

Para Sonia, as velas acesas simbolizam seus sonhos realizados, filhos e casamento, as velas apagadas sonhos ainda por realizar, e as velas “voando” lá em cima, os sonhos impossíveis…

Desta experiência sobra uma certeza: Sonhar. Sonhar sempre!

é isso, por fernando stickel [ 9:58 ]

icônica

José-Oiticica-Filho-O-Tunel-19511-300x364
José Oiticica Filho (1906-1964), O Tunel, 1951

Muito interessante o blog sobre fotografia Icônica, feito em parceria de:

Rubens Fernandes Junior
Jornalista, curador e crítico de fotografia, doutor em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP, professor e diretor da Faculdade de Comunicação da Faap.
e
Ronaldo Entler
Jornalista, doutor em Artes pela ECA-USP, professor e coordenador de Pós-Graduação da Faculdade de Comunicação da Faap, e professor visitante no Programa de Pós-Graduação em Multimeios da Unicamp.

Em tempo: José Oiticica Filho é pai do artista Hélio Oiticica (1937-1980)

é isso, por fernando stickel [ 17:20 ]

nunca antes na história deste país

tas
Dia 4 de Novembro próximo às 19h30, na Saraiva MegaStore do Shopping Higienópolis, SP, ocorrerá o lançamento do livro “Nunca Antes na História Deste País”, de Marcelo Tas. Com ilustrações de Ricardo Gimenes, prefácio de José Simão é uma edição em capa dura da Panda Books, de Marcelo Duarte.
Nas palavras do próprio Marcelo Tas:

Analisei o assunto com diversas lupas e classifiquei a fala do ilustre presidente Luis Inácio em dez diferentes “profissões”: Advogado, Animal Político, Comediante Stand-up, Economista, Filósofo, Marqueteiro, Metamorfose Ambulante, Ser Humano, Técnico de Futebol e Turista.
Desde já, um alerta aos espíritos inquietos e belicosos. Este não é um livro contra, nem a favor, nem muito pelo contrário… Como qualquer livro de humor é um livro rigorosamente a favor do contra, se é que vocês me entendem… Bem, talvez melhor esperar o dia 4.
Nunca antes na história da literatura eu havia escrito um livro. Ainda mais com a ajuda da língua de outra pessoa!

é isso, por fernando stickel [ 13:47 ]

bordado

borda
Um dos bordados apresentados hoje na exposição Tecendo Histórias Traçando Pontes na Casa das Rosas.

bordad
O conjunto dos bordados.

é isso, por fernando stickel [ 22:13 ]

reidy

reidy
Eu vou ver na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.:

28/10 – quarta – às 21:30 hrs no Unibanco Artplex 1

30/10 – sexta – às 16:00 no Matilha Cultural

1º/11 – domingo – às 20:50 no Unibanco Artplex 5

é isso, por fernando stickel [ 23:40 ]

portão

portao2

é isso, por fernando stickel [ 10:49 ]

tecendo histórias e pontes

postal tecendo ok
No Ano da França no Brasil a Fundação Stickel convida para exposição: 
 
Tecendo Histórias Traçando Pontes
 
Sábado 24 de outubro às 10h
 
Casa das Rosas
Av. Paulista 37
01311-000 São Paulo SP tel 11 3288 9447
 
Exposição 24 Outubro a 6 Dezembro 2009
De terça a sexta das 10 às 21h
sábado e domingo das 10 às 18h 
 
O Projeto: Fragmentos das vidas de mulheres da região de Santo Amaro e Vila Brasilândia (São Paulo) e Aubervilliers (França) ganham cores, relevos e texturas nos bordados feitos por elas.  
 
Realização:
Tecendo Nossa História 
 
Correalizadores:
Fundação Stickel 
Sesc Santo Amaro 
Aubervilliers 
 
Apoio:
França no Brasil 
République Française 
Casa das Rosas 
Sistema Municipal de Bibliotecas 
Ministério da Cultura 
Prefeitura de São Paulo 
Governo de São Paulo 

é isso, por fernando stickel [ 17:30 ]

escultura cor-de-rosa

edemar2
Ouvi dizer que esta escultura instalada na esquina da Av. Cidade Jardim com Faria Lima era do acervo do pilantra Edemar Cid Ferreira.
Não sei exatamente como foi parar aí, acho que por decisão judicial, enfim, o fato é que ela lá está, iluminada de cor-de-rosa.
Mas por que cor-de-rosa?

Em tempo: Meu amigo Eduardo me corrige, e eu agradeço, não tem nada a ver com o Edemar. Não posso deixar de observar a beleza deste sistema do blog, aberto a comentários, é muito eficiente!

Em tempo2: A Renata e a Daniela me avisam, também através dos comentários, o porque do cor-de-rosa:
Monumentos ficam rosa em campanha de prevenção do câncer de mama

é isso, por fernando stickel [ 8:48 ]

nivaldo ganhou prêmio

nivaldo
Parabéns Nivaldo! Você merece!
Recebo o seguinte e-mail do meu ex-aluno e assistente:

Olá Fernando, tudo bem?
Olha só que coisa boa, fui laureado por este prêmio, e estou muito feliz, e compartilho com você, que um dia encontrei na travessia. 
Grande abraço, 
Nivaldo Vitorino
Arquiteto
Estúdio Votupoca

Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade para Ações de Preservação do Patrimônio Cultural Brasileiro 2009 – Categoria Pesquisa e Inventário de Acervos – Arquiteto Nivaldo Vitorino
A ação Em Busca do Acervo Perdido refere-se aos dois anos de pesquisas realizadas junto à comunidade pantaneira e diversos grupos e instituições para a elaboração do projeto museográfico do Museu de História do Pantanal, instalado na Casa Wanderley & Baís, na cidade de Corumbá/MS.

é isso, por fernando stickel [ 16:58 ]

mesa raquel

anisio
Pura Natureza
por Antônia Leite Barbosa

Designer deixa de lado a velocidade e mergulha no universo orgânico

A história do automóvel e do automobilismo brasileiro tem o nome Anisio Campos estampado em seus mais importantes circuitos. Há 60 anos ele desenvolve projetos automotivos em que mixa seus dotes de ex-piloto, designer e artista. Carinhosamente chamado pelos amigos, profissionais e estudantes do meio de “lenda viva”, suas criações sempre foram radicais nas épocas em que aconteceram. O design de seus carros revolucionou essa indústria e, aos 76 anos, Anisio continua produzindo com vigor. Seu projeto mais recente, os modelos de carros compactos, os 828 e 012, desenvolvidos para a Obvio!, uma empresa 100% brasileira, ainda não entrou em produção por causa da falta de motores, com o fechamento da Tritec Motors no Paraná, mas foi lançado com enorme sucesso em sete exposições nos Estados Unidos desde 2006.
Em setembro deste ano, Anisio foi contratado pela Vrooom! – uma nova integradora brasileira de carros elétricos de alta performance – para criar o design dos seus veículos de alta tecnologia.

mesanisio
Mas a manobra responsável pela divisão da prancheta com projetos um tanto inusitados, foi um pedido da filha. Anisio se dispôs a ajudar na busca de uma mesa de jantar para o novo apartamento. Depois de um giro desanimador pelas lojas de decoração pôs-se a desenhar.
Com traço livre, fez uma forma tomar o papel e assim nascia a mesa Raquel, batizada com o nome de sua primogênita. Mas os traços singelos precisavam saltar do papel e ganhar forma. Anisio acampou na fábrica de Flamarion Arnaut e usou as madeiras de Lauro Murakami que trabalham com mobiliário de reflorestamento e o desenho da Raquel ficou ainda mais criativo, orgânico e ecológico. Suas formas superam o conceito “tampo sobre pés”, ou de estruturas pouco participativas visualmente. “É uma mesa que vai muito além do ‘correto’ e apresenta-se como uma borboleta em voo, ou um ‘animal-bicho’ em movimento florestal, livre do pesado, de qualquer excesso”, explica o designer. Composta por duas pranchas de peroba-rosa, sua montagem é simples e requer apenas um encaixe no centro. A leveza também está no tampo de vidro 19mm de espessura por 1,80m de diâmetro, absolutamente seco para não interferir no espaço que vai ocupar na vida e na casa das pessoas. “Considero o projeto Mesa Raquel suficientemente personalizado, exclusivo e dirigido ao mercado de arte”, conclui Anísio que se prepara para ir a campo comercializar os primeiros exemplares.

Encomendas pelo e-mail mesaraquel@anisiocampos.com

é isso, por fernando stickel [ 15:33 ]