aqui no aqui tem coisa encontram-se
coisas, coisas, coisas...
...desde janeiro de 2003

Posts tagueados ‘erico stickel’

erico stickel


Na foto do meu filho Antonio, minha irmã Sylvia, meu pai, minha mãe e minha filha Fernanda.

Na quinta-feira 16 Dezembro a família estava reunida ao final da tarde ao lado do meu pai, que sofria muito com as consequências do cancer de pancreas, com dificuldade de se alimentar e mesmo de beber água. Várias semanas antes ele havia decidido que ficaria em casa até o último momento, a partir daí seria sedado e levado ao hospital.

Mesmo sem muita clareza, meu pai comunicou que não aguentava mais, e queria ser sedado.

Por volta das 22 horas, com minha mãe ao lado, meu irmão Neco e meu filho Antonio, ele tomou, em silêncio, os remédios que encerraram seu sofrimento. Na manhã seguinte a ambulância o levou para o Hospital Osvaldo Cruz.

é isso, por fernando stickel [ 9:25 ]

uma semana no hospital

Meu pai completa uma semana no hospital, pequena melhora, cansaço imenso, monocanal, esquecimento, sono profundo, sonhei que o Wesley tinha um estúdio underground, embaixo de uma chácara de plantas da Olinda, na Vila Olímpia, lá pelas tantas ele apareceu conversando com a voz do Marlon Brando em The Godfather, rouca e quase inaudível. Ainda bem que choveu.
PS: Obrigado a todos que deixaram aqui seu carinho e cuidado, estou sem forças para responder individualmente.

é isso, por fernando stickel [ 22:36 ]

patek philippe

Domingo, acabo de chegar e vou com meu filho Arthur visitar meus pais. Levo algumas lembranças da viagem para eles, conversamos e em seguida ganho de presente do meu pai o Patek Philippe que foi do meu avô Arthur Stickel, comprado por ele, segundo consta, em 1912. Que lindo presente, obrigado, pai.

é isso, por fernando stickel [ 0:18 ]

fotos do lançamento

Chegaram as fotos do lançamento do livro ‘Uma pequena biblioteca particular” do meu pai Erico Stickel na Livraria Cultura. A fotógrafa é a Tati Nolla.
Olha só a felicidade dele, merece cada milímetro, e no sábado completa 84 anos!!!

é isso, por fernando stickel [ 20:47 ]

lançamento do livro

Completamente bêbado, feliz por ter contribuido para o maravilhoso evento que foi o lançamento do livro do meu pai Erico Stickel.
Raras oportunidades foram de tão alto astral como hoje, vi inclusive pessoas queridas que nao via há 15, 20, 30, 35 anos, precisa dizer mais?
Depois conto mais detalhes e adiciono fotos. Boa noite! Bom dia! (o português tá certo?! amanhã eu vejo melhor…)

é isso, por fernando stickel [ 1:30 ]

amantes das artes

Não de esqueçam, amantes das artes, dos desenhos, aquarelas, e gravuras executadas pelos viajantes estrangeiros do século passado (minto, retrasado) em visita à nossa terrinha que retrataram a fauna, flora, o povo e a paisagem do Brasil.
É amanhã!!
Meu pai, Erico Stickel, na véspera de completar 84 anos lança seu livro:
Uma pequena biblioteca particular / Subsídios para o estudo da iconografia no Brasil – Editora Edusp
Livraria Cultura do Conjunto Nacional, segunda-feira 29/3, 19h00 às 22h00.

é isso, por fernando stickel [ 0:46 ]

uma pequena biblioteca particular


Finalmente o lançamento do livro do meu pai: Uma Pequena Biblioteca Particular – Subsídios para o estudo da Iconografia no Brasil

Erico Stickel possui uma respeitável biblioteca de títulos publicados no Brasil ou em outros países, que têm em comum o olhar sobre a cultura brasileira em seus aspectos mais variados. Neste livro, o autor apresenta aos leitores um pouco da história de formação da biblioteca, acrescentando comentários sobre os livros.
A coleção teve início com a biblioteca do naturalista alemão Johann Metz (1861-1936), tio-avô do autor, que chegou ao Brasil em 1893 trazendo em sua bagagem algo pouco usual entre os imigrantes da época: uma biblioteca.
A maioria dos títulos dessa biblioteca inicial era formada basicamente por obras em alemão, destacando-se os estudos sobre expedições científicas e explorações marítimas e terrestres. A esse acervo inicial, o pai do autor acrescentou outros títulos e o filho, por sua vez, ampliou ainda mais a coleção.
Neste núcleo original recebido por legado, encontravam-se muitas obras com temas bem definidos, mas também se fazia notar, por omissão, a falta de interesse por alguns outros temas importantes, tais como economia, política, astronomia e ciências exatas, tendência que também viria a nortear a minha formação, comenta Erico Stickel na introdução do livro.
Desse grande acervo, formado por vários núcleos temáticos, o autor destaca sua Pequena Biblioteca, desenvolvida em torno da representação artística que tivesse basicamente por alvo a paisagem, a cidade e sua arquitetura, o retrato, a fauna e a flora em seu ambiente natural, as festas populares e sacras, o patrimônio artístico e histórico nacional, imagens produzidas ao longo dos tempos por centenas de viajantes e pintores de todos os tipos, aventureiros, fotógrafos e outros, que percorreram o país em busca dessas imagens e que nos foram transmitidas em obras publicadas no país.
A Pequena Biblioteca, doada ao Instituto de Estudos Brasileiros da USP, é o tema deste livro, ilustrado com mapas, aquarelas, gravuras e desenhos, muitos dos quais inéditos, e acompanhado do estudo bibliográfico do autor.
Erico J. Siriuba Stickel é advogado, colecionador de arte brasileira e bibliófilo. Conviveu desde cedo com a biblioteca herdada de seu tio-avô, à qual adicionou sua própria coleção, da qual parte constitui a “Pequena Biblioteca” do título, doada ao Instituto de Estudos Brasileiros da USP.

é isso, por fernando stickel [ 14:56 ]

pequena biblioteca particular


Uma Pequena Biblioteca Particular – Subsídios para o estudo da iconografia no Brasil
Meu pai, Erico João Siriuba Stickel, acaba de escrever o livro com o título acima, editado pela EDUSP.
A noite de autógrafos será no dia 29 Março na Livraria Cultura do Conjunto Nacional.
A obra levou por volta de 30 anos para ser concluida, e minha mãe, Martha, pode-se dizer, é co-autora, ao menos na paciência de aguentar meu pai na obsessiva e interminável leitura e compilação de fichas, referências, notas, etc…
No início era apenas o fichamento dos livros que meu pai achava interessantes, as fichas foram crescendo em número e complexidade, e era tudo feito à mão.
De uns 8 a 10 anos para cá, por insistência minha, foi introduzido o computador, operado pela eficientíssima Francis.
O livro é uma obra de peso, com cerca de 800 páginas e inúmeras reproduções a cores. Será sem dúvida uma necessária obra de referência para estudiosos.
Enfim, com o lançamento próximo, a família se mobiliza para encontrar os endereços de pesooas com nomes tais como Aracy, Odila, Aristoteles, Hans, Istvan, Erwin, Leopoldo, Gerda, Edel, para o envio dos convites.
Eu, como ativo representante da ala informatizada da família, chamei a mim a função de ampliar o meu cadastro de nomes na Palm, com todos os parentes e amigos que estão sendo localizados.
Desnecessário dizer que tenho passado muitas horas dedicado ao tedioso, porém necessário labor.

é isso, por fernando stickel [ 10:29 ]

57 anos de casamento

Hoje é o aniversário de 57 anos de casamento dos meus pais. Uma verdadeira bênção!

é isso, por fernando stickel [ 18:54 ]

meus pais

Meus pais, Martha Diederichsen Stickel, e Erico João Siriuba Stickel em Itacaré, Bahia.

é isso, por fernando stickel [ 19:28 ]

mais uma de barcelona

Mais uma de Barcelona.
Ana Maria, Fernanda, Martha e Erico.

é isso, por fernando stickel [ 10:14 ]

barcelona, visitando a neta

Em Barcelona, visitando a neta, meu pai, minha mãe, a própria Fernanda e a minha irmã.

é isso, por fernando stickel [ 19:18 ]

escalei a pedra do baú

Em 1956, quando escalei a Pedra do Baú pela primeira vez, com 7 anos, lembro-me perfeitamente da casa que existia lá em cima, construída pelo meu tio, Luis Dumont Villares, com a ajuda do meu pai.
A casa era completa, com portas, janelas, vários triliches de lona, lareira, mesa, cadeiras, um livro onde os visitantes deixavam suas impressões, enfim, algo extremamente bem feito e civilizado, o telhado era inteiro de cobre, um enorme para-raio, havia inclusive captação de água da chuva.
A noite foi fria e emocionante. Sair para mijar no vento gelado exigia altas doses de técnica, que eu evidentemente não tinha.
Na manhã seguinte descemos pela face Norte e seguimos vale abaixo até o Acampamento Paiol Grande, idealizado em 1946 por Luis Dumont Villares, Job Lane, Erico Stickel, Alfredo Velloso e Otavio Lotufo.

Poucos anos depois já estava tudo vandalizado, a casa foi inteiramente destruida.

é isso, por fernando stickel [ 20:26 ]

feliz aniversário, papai!

Feliz Aniversário, Papai!
Logo cedo fiz uma pequena cirurgia no lado interno esquerdo do lábio inferior, nada grave, mas como tenho pânico de dentista estou até agora meio abalado, com um pano cheio de gelo aplicado na boca, e é assim que vou almoçar com meu pai, que completa hoje 83 anos!
Grande Erico João Siriuba Stickel!

é isso, por fernando stickel [ 11:57 ]

meu pai foi operado

Meu pai foi operado de um cancer no pancreas. Foi um choque. Agora tudo vai bem e ele se recupera rápidamente, com a ajuda da vista do terraço no quarto térreo do Hospital Alemão Oswaldo Cruz.

é isso, por fernando stickel [ 13:51 ]