aqui no aqui tem coisa encontram-se
coisas, coisas, coisas...
...desde janeiro de 2003

fiação indiana

indiana
Fiação Indiana nos anos 20, época da instalação das máquinas. Localizava-se na Av. Ibirapuera, onde hoje é o Shopping Ibirapuera em São Paulo.
Nos anos 70, já sob o comando do meu pai, Erico Stickel, eu vivia por ali.
Saudades.

é isso, por fernando stickel [ 9:57 ]

14 comentários

Roberto Campana

outubro 5th, 2011 at 10:57

Olá Fernando!;eu também sinto muitas saudades dessa época,e me recordo bastante da Fiação Indiana,da Parada de bonde Vila Helena e muitas outras coisas,pois morei desde 1962 até 1972,na Rua dos Chanés,que com certeza,deve conhecer,me mudando depois para a av.Divino Salvador,também em
Moema,onde fiquei até 1996.
Grande abraço.
Roberto Campana

fernando stickel

outubro 9th, 2011 at 11:31

Roberto, vc não tem por acaso fotos da Fiação Indiana?

Antonio Carlos Silva dos Santos

agosto 15th, 2013 at 22:29

Boa noite, com muita alegria voltei uns 40 anos atrás me recordando daqueles tempos. Minha mão trabalhou na Fiação Indiana com fiandeira e minha tia Rosilda Inácio da Silva trabalho no escritório na época em que o Dr. Érico era Presidente ou dono, não me recordo direito pois era pequeno e estuda na Escola Primária Fiação Indiana que era ao lado da Fiação. Que saudades.

fernando stickel

agosto 16th, 2013 at 13:53

Antonio Carlos, por um acaso você não teria fotos da Indiana/escolinha da época?

Antonio Carlos Silva dos Santos

agosto 18th, 2013 at 20:51

Fernando, infelizmente não tenho mais, eu até tinha as fotos que fazia todo final de ano, uma foto com toda a turma da classe e uma sozinho, mas acabaram se extraviando em alguma mudança minha, o que eu ainda tenho e guardo com muito carinho é o boletim do ultimo ano em que estudei lá.

Maria Lúcia Azambuja

setembro 5th, 2013 at 15:08

Prezado Sr. Fernando,
Minha mãe, Maria Catarina, trabalhou na Indiana no período compreendido entre 1965 e 1969. Ela tem grande admiração pela empresa.
Favor me informar onde posso encontrar o registro do vinculo empregatício dela, uma vez que estou fazendo a aposentadoria por idade e ela, há muito tempo, perdeu a CTPS. Minha mãe, antes de trabalhar na Indiana, trabalhou na Calfat, e estou tentando contato com o Sindico da Massa Falida.
O senhor tem como me ajudar?
Certa de sua atenção, agradeço antecipadamente.
Lúcia Azambuja
OAB/SP nº 261861

Karen Helfstein

maio 10th, 2015 at 21:47

Sr. Fernando, boa noite.

Tenho um cliente que trabalhou na Fiação Indiana e pesquisando sobre a empresa para fins de aposentadoria, me deparei com um belíssima história envolvendo vossa família e o bairro de Moema, além de muitas fotos antigas da escola primária.

Gostaria do vosso auxílio. Meu cliente trabalhou na Fiação Indiana no final da década de 60 e já não possui sua CTPS. Dessa forma, gostaria de saber se ainda possuem os registros dos empregados.

Desde já, agradeço imensamente o auxílio.

Karen

Elaine Gomes

novembro 6th, 2015 at 15:57

Olá Fernando,
Hj achei a carteira da trabalho da minha avó que antes de abrir seu comércio em Moema, trabalhou de 1946 a 1957 na Fiação Indiana. Minha mãe e eu estudamos na Escola Primária Fiação Indiana onde guardo as melhores recordações de minha infância!
Adorei ver a foto da fábrica!

Abs
Elaine Gomes

Marina

julho 22nd, 2018 at 17:16

Minha vó, meu vô e meu biso trabalharam ai. Maria Martins Quintana (mariquinha), armênio Quintana e Pedro Quintana. Gostaria de fotos.

fernando stickel

julho 23rd, 2018 at 9:00

Oi Marina, eu também gostaria de fotos!!!!

Renato Seixas

novembro 17th, 2018 at 11:33

Fernando, seu pai e os demais diretores da Fiação Indiana foram visionários. Escola inesquecível.Revirando caixas achei fotos. Vou organizar e publicarei. Inesquecível nossa escola. D. Célia era Diretora. D. Idaraci (sempre de óculos com lentes grossas e jeito de brava) era a vice-diretora. O filho dela era o Leonardo (moravam numa casa na esquina da rua Miruna com al. Nhambiquaras). Minha professora era a Maria José. Lembro da escola com horta, uma imensa oliveira, árvores de ameixa, pés de café, parquinho com balanços, gira-gira e outros brinquedos. No corpo principal da escola, alinhado com a av. Ibirapuera, estavam as salas de aula e administração. Entre esse prédio e o parque, ficava outro, com sala de artes e jardim da infância, e os banheiros. Aprendemos a limpar os banheiros em escalas de revezamentos. Se fosse hoje a diretora seria presa por explorar trabalho infantil rsrsrs. Mas isto nos ensinou a usar a escola com responsabilidade e a respeitar o trabalho de faxineiras. O prédio da escola era amarelo claro. Acho que todos fomos alfabetizados com o livro “Caminho Suave”…
Eu morava exatamente na esquina da av. Moaci com Jurupis, onde hoje é o shopping. Logo atrás da minha casa havia uma vila onde moravam empregados da Fiação. Numa das casas da vila moravam Denise e Darlene, filhas de um técnico da Fiação que sabia montar as máquinas italianas. Logo depois da vila vinha uma casa em cujo piso da frente tinha as iniciais “JB”. Logo em seguida vinha o Clube da Varig, onde fazíamos as festas mais solenes da escola, sempre presididas pela D. Célia. O zelador do clube era o Sr. Wagner e a mulher dele era D. Neusa. Nos finais de semana tinha campeonato de futebol de várzea. Durante a semana a criançada usava o campo, as quadras, uma delícia. Em frente ao clube, do outro lado da rua, moravam o Trovato, o José Tadeu, Sr. Elísio e D. Adele, Estela e Silvia Salvato. Na av. Moaci, a partir da minha casa em direção à av. Ibirapuera, morava D. Cecília (minha vizinha); Marcelinho; um pouco mais adiante a Myrthes (antes dela, o Neto); Alceu e Zezé com o filho Alexandre; em seguida Felicinho, Carmencita e Manolo; mais adiante e depois de várias casas, a namorada do Chico (do Karmann Guia vermelho); Ceci, Flavinho, Iná, Ricardo e Nelson (filhos do Sr. Nelson); Saulo, Luiz. Ainda na Moaci, do outro lado da rua, entre a Juquis e a rua Projetada, moravam o Sérgio Augusto e o Mário Sérgio; no meio do quarteirão a Angela, Regina, Joel, Pino (Pedro); os cariocas Marcos e Marcelo. Na tua projetada, à esquerda, logo na primeira casa térrea, o Gilmar; em frente ao Gilmar morava o Mauro. Muito futebol e brincadeiras ali na Projetada. Tantos colegas de escola … José Roberto Beracchi, Helio Rubens e Darker, Ceci, Maria Rita, Gentil, Fátima, Eddie, Tancredo, Tereza Cristina, Maria Rita, Estela … e a querida Professora Maria José. Abs. a todos, Renato

fernando stickel

novembro 18th, 2018 at 11:23

Renato, adorei o teu depoimento, gostaria muito de ver estas fotos!

Renato Seixas

dezembro 11th, 2018 at 12:01

Fernando, postei fotos Face
https://pt-br.facebook.com/pages/…/Escola-Primária-Fiação-Indiana-434980013282587/

De qualquer modo, vc tem aí meu e-mail e posso enviá-las a vc. Seria um prazer um dia podermos tomar um cafém, porque penso que seus antepassados foram visionários e estiveram muito além do seu tempo ao idealizarem um escola que nos deu educação ética, moral e de conteúdos com imensa qualidade. (renatoseixas55@gmail.com ou renato-seixas@uol.com.br)

Abs

Wilhiam Carlos da Silva Santis

dezembro 15th, 2018 at 17:41

Renato Seixas gratificante sua explanação da Fabrica e da Escola Fiação Indiana Minha Mãe minha Tia trabalham na fabrica e eu estudei na Escola nossa quanta saudades e tambem tive uma professora chamada Maria José no 1° ano não sei se é a mesma. Deixou muitas saudades não consegui ver as fotos no link se puder ne enviar agradeço meu email – dolphin.21@globo.com

Deixe seu comentário