aqui no aqui tem coisa encontram-se
coisas, coisas, coisas...
...desde janeiro de 2003

Posts tagueados ‘artes plásticas’

recomeço

col
Sobre a mesa do estúdio, o recomeço.

est4
O estúdio da R. Nova Cidade a pleno vapor em 2003, no meu curso de desenho de observação, as mesas encomendei ao marceneiro para a realização da 1ª Oficina de Design de Automóvel, em 1988. Continuam firmes e fortes prestando bons serviços.

é isso, por fernando stickel [ 10:09 ]

sophie calle

sophie-calle
Não perca a exposição de Sophie Calle “Cuide de você” no SESC Pompéia.

é isso, por fernando stickel [ 12:40 ]

crise com meu pai

Em uma década tudo pode mudar. (em vinte minutos também…)

Por volta de 1980-81, tive claramente uma visão e um desejo:

Quero ser artista plástico profissional.

Logo em seguida, colocando o desejo em prática, mudei toda a minha vida. Separei da Iris, com quem estava casado, mudei de casa e saí da sociedade que tinha com Lelé Chamma na und, tudo no mesmo ano.

fsol
O período que se seguiu até 1989 foi brilhante, exigente, cheio de desafios e novidades, fiz quatro exposições individuais, participei de uma dezena de coletivas, ganhei prêmios e morei em New York.
Na volta da viagem a NYC montei curso de desenho de observação no meu estúdio na Vila Olímpia, que acabou por ser extremamente bem sucedido, em 1989 cheguei a ter 60 alunos, meu sustento não oferecia maiores problemas.
Em Março 1990 o baque do Plano Collor fez com que eu recomeçasse as aulas com apenas dois alunos, o ano foi terrível, as artes em geral sofreram mais que a média, e o início de 1991 não trazia boas perspectivas.

Foi quando minhas irmãs vieram conversar comigo dizendo que minha mãe estava muito preocupada, pois o meu pai Erico estava manifestando a ela preocupações com os negócios, coisa que ele, homem da velha guarda, nunca havia feito antes. De fato, o Plano Collor havia virado de cabeça para baixo coisas “imutáveis”, acabou quebrando equilíbrios de décadas, e foi isto que tirou o sono do meu pai.

Novamente casado eu precisava de um salário, e meu pai de ajuda, acertamos um pro-labore para que eu trabalhasse na organização dos negócios da família, básicamente a solução de encrencas com imóveis, desde inquilinos inadimplentes, multas diversas, muros caídos, calçadas destruidas a imóveis deteriorados e desocupados, brigas com a Prefeitura por conta de IPTU, etc…

pilha
A relação de trabalho com meu pai não foi fácil, mesmo porque a minha entrada foi mais por pressão da família do que por decisão dele, engoli muitos sapos, batemos boca, mas uma das piores crises veio quando eu, tomado de furor organizatório, aproveitei um período em que meu pai estava fora do escritório, viajando, e fiz um levantamento de todas as suas pendências, anotações que ele tinha o hábito de fazer em cadernos em branco, fichários, folhas soltas, etc… e a pilha destes papéis dava quase um metro de altura!

é isso, por fernando stickel [ 11:58 ]

veneza

Só porque acaba de ser divulgada pela revista Veja a relação incestuosa de José Sarney com Edemar Cid Ferreira (algo que o planeta já sabia, há cinco anos, um dia antes da intervenção do Banco Central no Banco Santos, Sarney conseguiu retirar 2,2 milhões de reais que tinha investido no banco do amigo. Entre as centenas de aplicadores no banco de Cid Ferreira, Sarney foi o único que conseguiu salvar suas economias, escapando do bloqueio imposto pelo BC aos outros investidores) em contas secretas no exterior, em particular por ocasião de visita à Bienal de Veneza, vou colocar mais umas fotinhas de Veneza, tá bom?
Vocês conseguem imaginar Sarney circulando neste cenário com seu terno jaquetão?

piazza
Piazza San Marco, tem lugar mais lindo que esse?

burano21
Ilha de Burano, a torre da igreja é torta mesmo.

canale
Grand Canale e Ponte di Rialto.

peggy1
Sandra travestida de Peggy Guggenheim.

arsenale2
A entrada do Arsenale.

pistoletto
Instalação do artista italiano Michelangelo Pistoletto.

Veja mais fotos de Veneza e da Biennale aqui.

é isso, por fernando stickel [ 10:38 ]

instalação az

az
Nesta esquina de uma das alamedas de acesso ao Parque Lage iniciava-se a minha Instalação AZ, com a qual participei da exposição “Como Vai Você Geração 80?” no Parque Lage em 1984.

lage
A localização do Parque Lage na Rua Jardim Botânico é única, enfiada na floresta, tem o Cristo Redentor logo ali em cima, é maravilhoso!

é isso, por fernando stickel [ 10:31 ]

et

et
Por volta de 2002/2003 eu estava envolvido na execução de uma série de colagens, e criei este “ET”, a partir de uma tinta derramada, depois utilizei esta imagem, em diferentes versões.

é isso, por fernando stickel [ 16:05 ]

lygia pape

lygia
Elegância, concisão e força poética você encontra na instalação Ttéia de 2002, que garantiu à artista fluminense Lygia Pape (1927-2004) a Menção Especial do júri da 53ª Biennale di Venezia “Fare Mondi” (“Refazendo Mundos”, em tradução livre) em caráter póstumo.

é isso, por fernando stickel [ 9:06 ]

fare mondi

delson
O nosso grupo visita no pavilhão do Brasil a exposição de Delson Uchôa, elogiadíssima.
Já o outro artista brasileiro, Luiz Braga, passou desapercebido.

O interessante nesta Biennale di Venezia cujo tema é “Fare Mondi – Making Worlds” não são os artistas em si, que em todas as mega-exposições como essa podem ser excelentes ou péssimos. (ou simplesmente irrelevantes)
Para mim o mais interessante é a maneira extremamente civilizada de distribuir os diversos pavilhões no cenário belíssimo dos Giardini e do Arsenale.
Quando você cansa de arte (e todo mundo cansa) basta sair fora, sentar em uma beirada de escada e ficar aproveitando a natureza e vendo as pessoas passarem.
É a sabedoria da mistura entre ARTE e VIDA.
Só arte é um porre, e só vida você já tem no seu dia-a-dia.

noe
Outro artista unanimamente elogiado pelo nosso grupo foi o argentino Luis Felipe Noé, com sua instalação “Red”.

é isso, por fernando stickel [ 10:09 ]

punta della dogana

dogana
Durante nossa visita à Biennale di Venezia, descubro que certas coisas quando vistas dão alívio imediato.
Foi o caso do centro de arte contemporânea Punta della Dogana, recém inaugurado, que juntamente com o Palazzo Grassi também em Veneza, abriga parte da vasta coleção de arte de François Pinault, controlador da Christie’s e a mais influente personalidade no universo da arte contemporânea em 2006 e 2007, segundo a revista Art Review.

O alívio provém da constatação de que há locais e coisas que privilegiam a perfeição, a qualquer custo. Este é o caso da reforma feita pelo arquiteto Tadao Ando e financiada por Pinault.
Você entra no prédio, e imediatamente se instala a sensação de alívio, que maravilha!

Tudo no seu lugar, tudo funciona, a sensação de harmonia, beleza, correção permeia tudo, as cores, a iluminação, os detalhes, tudo é perfeito. Além disso fica evidente o respeito ao prédio original da alfândega, construido em 1414 e reformado em 1675.

É proibido fotografar no interior do prédio, mas já existem sites com as fotos.

é isso, por fernando stickel [ 15:25 ]

inst. de arte contemporânea

iac
O Instituto de Arte Contemporânea – IAC, fundado em 1997 é um oásis de perfeição nas artes paulistanas.
O prédio, integrado ao complexo do Centro Universitário Maria Antonia, cedido pela USP e reformado com competência, abriga importantes obras da vertente geométrica e construtivista dos artistas
Sergio Camargo
Mira Schendel
Willys de Castro
Amilcar de Castro

Vale uma visita!

Na verdade coloquei um tijolinho nesta construção, anos atrás a Raquel Arnaud fez um leilão para levantar fundos para a reforma, e eu doei uma obra minha.

é isso, por fernando stickel [ 9:36 ]

helio oiticica

oiticica1
Helio Oiticica
Metaesquema 19
45 x 53cm
1957/58
gouache

Estará à venda no próximo leilão de Arte Latino Americana da Christie’s, estimativa de 40 a 60.000 dólares.
Se tem uma coisa que me excita, é isso. É bom demais!

é isso, por fernando stickel [ 18:14 ]

vik muniz no masp

vik
A exposição de Vik Muniz no MASP precisa ser visitada. É completa, aborda 20 anos do processo de criação do artista nas suas diversas fases, e tem excelente montagem.
Além de tudo, é bonita.

Sobra, no entanto, uma curiosidade. Como dentro da estrutura decadente do MASP surgiu esta bela exposição? Será que é porque o Julio Neves saiu da diretoria e foi para o conselho? O diretor hoje é João da Cruz Vicente de Azevedo, veja a relação completa aqui.

é isso, por fernando stickel [ 8:24 ]

und

felipe
Engraçado como as coisas mudam, hoje passei pela Vila Madalena, que já não faz parte das minhas trajetórias habituais pela cidade, e aproveitei para visitar o imóvel onde Lelé Chamma e eu iniciamos em 1977 o estúdio de design gráfico und, na R. Felipe de Alcaçova na Vila Madalena.

Eu era fascinado por design, adorava o assunto, assinava revistas, comprava livros, até o dia em que descobri que a arte me fascinava muito mais que o design, então saí do escritório em 1980 e me lancei na conquista do sonho de ser artista plástico profissional.

Hoje o imóvel voltou a ser residencial, a rua continua mais ou menos igual ao que era quase trinta anos atrás, e eu estou mergulhado até o pescoço em uma nova carreira no Terceiro Setor.

é isso, por fernando stickel [ 16:13 ]

dan flavin na garagem

garagem
Pode haver beleza nas coisas mais banais, como o teto da garagem do seu prédio?

Fazendo um pouco de esforço, você pode até crer que está perante uma obra de Dan Flavin.

é isso, por fernando stickel [ 13:54 ]

mira schendel

mira11
Mira Schendel (1919–1988), desenho sobre papel arroz, colado sobre cartolina, 35 x 25cm. Série Paisagem, 1963,
O MoMA acaba de abrir retrospectiva desta artista brasileira, nascida na Suíça.

é isso, por fernando stickel [ 16:45 ]

desenho de aula

des5
Desenho feito em aula.

é isso, por fernando stickel [ 16:04 ]

fea em ritmo pac

fea1
A FEAUSP, na Cidade Universitária, em ritmo de PAC.
A escultura de Tomie Ohtake que havia neste local, péssimamente mal executada, deve ter sido recolhida ao lixo, ou talvez à sucata.
Sobraram só as placas de inauguração… A foto acima é do dia 13/3/09.
Já tratei deste assunto aqui e aqui e aqui.

é isso, por fernando stickel [ 15:01 ]

fabio moreira leite

fabio1
Fabio Moreira Leite e Luis Paulo Baravelli.

fabio2
Fabio Moreira Leite e Clauke.

fabio3
Guto Lacaz, Sandra Pierzchalski, Fabio Moreira Leite e Ana Baravelli.

fabio4
Fabio Moreira Leite e Isabelle Ribot.

Soube recentemente que o artista plástico Fabio Moreira Leite (1951 – 2009) faleceu vítima de câncer. Espero que ele esteja bem, onde estiver, o câncer que o levou foi o mesmo que levou meu pai. Terrível.
Conhecia o Fabio desde sempre, encontrava-o muito pouco, em exposições ou eventos, e não sabia que ele era irmão do jornalista Paulo Moreira Leite, que conheci décadas atrás e nunca mais encontrei. O Paulo fez uma homenagem ao irmão no seu blog, veja aqui.
As fotos do Fabio tirei na exposição do Baravelli, a primeira que realizamos inaugurando o Espaço Fundação Stickel, em 15 Outubro 2005.

é isso, por fernando stickel [ 17:05 ]