aqui no aqui tem coisa encontram-se
coisas, coisas, coisas...
...desde janeiro de 2003

Posts tagueados ‘arquitetura’

biblioteca unam


Juan O’Gorman (1905-1982) pintor e arquiteto mexicano, realizou em 1950 os murais que cobrem o edifício da biblioteca central da Universidad Nacional Autónoma de México-UNAM, na Cidade Universitária da Cidade do Mexico.

é isso, por fernando stickel [ 9:38 ]

o’gorman


O projeto de Juan O’Gorman para sua própria casa, vizinha das casas-estúdio de Diego Rivera e Frida Kahlo.

é isso, por fernando stickel [ 9:09 ]

o’gorman, frida kahlo, diego rivera


Casa-Estudio de Frida Kahlo e Diego Rivera na Cidade do Mexico, projeto de Juan O’Gorman, anos 30.


Sandra e eu no terraço da casa-estúdio de Diego Rivera.

é isso, por fernando stickel [ 9:23 ]

chablé yucatan


Em nossa viagem ao Mexico estivemos em um hotel maravilhoso e premiado a meia hora de Merida, o Chablé Yucatan Instalado em uma antiga fazenda restaurada, é um primor de arquitetura, paisagismo, serviços.

Ocorre que dentro da enorme área do hotel existe ainda o restaurante mais lindo do mundo, o Ixi’im, premiado em 2018 pelo Prix Versailles 2018 – The world Architecture and Design Award, arquitetos Central de Proyectos SCP e Paulina Morán.

Tivemos o privilégio de jantar lá em uma noite de lua cheia, e, de fato, o restaurante é maravilhoso! Instalado em uma antiga casa de máquinas, usa como elemento central a coleção de 3.500 garrafas de tequila, apresentadas em sofisticadas estantes iluminadas.

é isso, por fernando stickel [ 9:09 ]

torres de satelite de barragán


A primeira coisa que precisa ser dita sobre as Torres de Satélite, localizadas na parte norte da Cidade do México é que são muito lindas e poderosas, apenas estando ali, ao seu pé, é possível avaliar seu enorme tamanho, presença e personalidade.

Uma das primeiras esculturas urbanas do país de grandes dimensões, teve seu planejamento iniciado em 1957 quando o arquiteto Luis Barragán (1902-1988) foi convidado pela empresa que desenvolveu o loteamento Cidade Satélite para projetar o símbolo da urbanização. Ele por sua vez convidou o escultor Mathías Goeritz e o pintor Chucho Reyes Ferreira para colaborar no desenvolvimento do projeto.

O projeto foi originalmente planejado para sete torres, com a mais alta atingindo uma altura de 200 metros, mas uma redução no orçamento obrigou o projeto a ser reduzido para cinco torres, com a mais alta medindo 52 metros de altura, e as mais baixas 30 metros.

Goeritz originalmente queria que as torres fossem pintadas em diferentes tons de laranja, mas mudou de idéia mais tarde devido à pressão de construtores e investidores. Finalmente, decidiu-se que as torres seriam pintadas em vermelho, azul e amarelo, as cores primárias subtrativas, com a adição de branco.

Assim, nos primeiros dias de março de 1958, as Torres Satélite foram inauguradas como símbolo do recém-nascido e moderno Ciudad Satélite.


Interessante que as torres não tem cobertura, são simples cascas de concreto abertas em cima…


Não tive coragem de subir nesta escada…


À tarde, a visão das Torres com a bruma/poluição não é a melhor… Esta também é a visão “de trás”, o melhor impacto se obtém vindo pelo outro sentido.

é isso, por fernando stickel [ 10:50 ]

barragán e a luz


Na Casa Luis Barragan na Cidade do Mexico, preservada como um museu, o arquiteto Luis Barragán (1902-1988) viveu de 1948 até sua morte. Lá o arquiteto adotou uma característica interessantíssima nos interiores, a ausência de luminárias nos tetos. Ele utiliza apenas abajures e luminárias presas a pequenos toquinhos de madeira, chumbados em locais estratégicos.
Na foto o escritório de Barragán com uma tela de Josef Albers (1888 – 1976), seu contemporâneo.


O toquinho de madeira chumbado na parede.


Em primeiro plano escultura de Henry Moore, que Barragan recebeu como parte do The Pritzker Architecture Prize, com o qual foi laureado em 1980, e a tela de Josef Albers da série “Homage au Carré” dos anos 60.


Em seu escritório, ao lado de sua poltrona de leitura temos também a luminária presa na própria estante. Barragan mantinha reproduções de obras do seu interesse, como o nu de Edward Weston, uma pintura de Modigliani e um vaso grego.


Quarto de dormir de Barragan. Nosso guia Alberto Guzmán, também arquiteto, o conheceu e esteve próximo em seus últimos dias, relatando um homem extremamente católico e muito solitário. Em cima da cama o toquinho de madeira suporta a luminária.

é isso, por fernando stickel [ 18:44 ]

barragán – casa gilardi

O projeto da Casa Gilardi foi solicitado ao arquiteto mexicano Luis Barragán (1902-1988) pelo seu proprietário Martin Luque, e seu sócio Pancho Gilardi em 1975, quando o arquiteto já havia se aposentado formalmente. 
Ele inicialmente se recusou a aceitar o projeto – até que fez uma visita ao local, onde foi cativado por um jacarandá de notável beleza. Mudando de ideia, Barragán observou: “Não corte esta árvore, porque a casa será construída ao redor dela”.


Sandra e nosso guia Alberto Guzmán, também arquiteto, no jardim da Casa Gilardi, ao lado do jacarandá.


O corredor de acesso à piscina.


A famosa piscina de Barragán!

é isso, por fernando stickel [ 10:19 ]

casa egerström


Quadra San Cristóbal, Fonte dos Amantes e Casa Egerstrom são partes de um projeto pensado por Barragán para uma comunidade de cavaleiros, na periferia da Cidade do Mexico.
O projeto foi encomendado ao arquiteto pelo executivo sueco Folke Egerström, CEO da Ericsson no Mexico. A fonte é um dos espaços de uso público do conjunto, projetada especificamente como bebedouro para os animais. A construção do conjunto terminou em 1969.


Os amantes são simbolizados por coches de madeira. Tivemos o privilégio de um dia glorioso e a fonte ligada!

é isso, por fernando stickel [ 18:46 ]

casa ortega


Fachada da Casa Ortega de 1940, primeiro projeto de Luis Barragán no bairro de Tacubaya. O mal estado de conservação é um mal que afeta patrimonio cultural no mundo todo….
Na frente da porta de entrada, Sandra e nosso guia Alberto.


Hall principal de distribuição da Casa Ortega.


Estúdio e biblioteca. Na casa mora o arquiteto Jose Manuel Barcena Ortega.


Sala de estar e jantar.


Sala de estar.

é isso, por fernando stickel [ 9:58 ]

passeio com netos


Iris e eu levamos os netos Samuel e Ian visitar a Japan House.


Linda exposição de projetos e maquetes arquitetônicas.


Os primos se curtindo.

é isso, por fernando stickel [ 23:00 ]

expografia babinski


Durante minha carreira de arquiteto/artista plástico fiz informalmente inúmeros projetos de artes gráficas, curadoria e expografia, principalmente para amigos como Cassio Michalany e para mim mesmo, e mais recentemente para inúmeras exposições da Fundação Stickel.

No caso da exposição de Maciej Babinski “Retratos Eriçados” no Espaço Fundação Stickel, a Pharmacia Cultural, inaugurada em 7 Setembro 2019, o trabalho exigiu uma postura mais cuidadosa e formal, com levantamento preciso do espaço de exposição, desenhos detalhados, escolha de cor para pintura das paredes, etc…
O interessante neste caso foi a adequação perfeita do primeiro “insight” que tive sobre a montagem da exposição ainda no estúdio do artista em Várzea Alegre CE, na visita que Agnaldo Farias e eu fizemos ao artista, ao espaço real, o que foi confirmado pelo projeto definitivo.


A escolha da cor amarela para as paredes foi uma decorrência da visita ao Ceará, onde a paisagem é quente, assim como os “Retratos Eriçados”…


Finalmente a sinalização da exposição e sua divulgação.

é isso, por fernando stickel [ 20:51 ]

fotos em maresias


Sandra me contratou como fotógrafo de várias obras de decoração de interiores, recém concluidas em Maresias, etc…

é isso, por fernando stickel [ 11:35 ]

restaurante em naoshima


Na ilha de Naoshima no Japão, o Terrace Restaurant – Etoile de la mer com arquitetura de Tadao Ando e obras de Michelangelo Pistoletto nas duas empenas do edifício
Affresco-5 (Blue), 1998


Affresco-5 (Orange), 1998


De frente para o mar, o restaurante é de uma beleza suave indescritível, muito lindo, calmo, poderoso!

é isso, por fernando stickel [ 9:48 ]

japão


Passar três semanas no Japão é uma experiência extraordinária, instigante, reafirmadora.


Natureza, arquitetura, silêncio e tradição convivem com tecnologia de ponta em mega-cidades, com excelência nos transportes e total segurança, mesmo na cidade mais populosa do mundo, Tokyo, com seus 38 milhões de habitantes na área metropolitana.


O estágio civilizatório alcançado pelo país se deve a uma infinidade de coisas, mas estudo e disciplina são óbviamente os carros chefes desta sociedade, e se evidenciam na educação, na limpeza, no respeito.


A competitividade nos negócios é impressionante, e o ritmo de trabalho dos japoneses idem.


Parques, santuários, templos, tudo impecávelmente cuidado.


A modernidade absurda do Miho Museum, projeto de I.M.Pei.

é isso, por fernando stickel [ 19:05 ]

dois clássicos


Dois clássicos.
Na arquitetura um conjunto de quatro sobrados geminados, projeto de Vilanova Artigas na Rua Sampaio Vidal em São Paulo.
No design, Mercedes-Benz 280SL “Pagoda”, projeto de Paul Bracq.

é isso, por fernando stickel [ 16:16 ]

reforma pronta


Reforma concluida na Fundação Stickel! Meu escritório refeito, com nova organização dos quadros pela arquiteta Sandra Pierzchalski!

é isso, por fernando stickel [ 12:43 ]

espaço fundação stickel


Arquiteta Sandra Pierzchalski na obra de reforma do Espaço Fundação Stickel, a Pharmacia Cultural.

é isso, por fernando stickel [ 17:45 ]

espaço fundação stickel


Prosseguem as obras do novo Espaço Fundação Stickel, a Pharmacia Cultural. A responsável pelo projeto arquitetônico da reforma Sandra Pierzchalski com nosso parceiro Lorenzo Magnelli.


A incansável arquiteta gerenciou também a obra, foi tudo refeito! hidráulica, elétrica, ar condicionado, tudo zero km!!

é isso, por fernando stickel [ 9:33 ]