aqui no aqui tem coisa encontram-se
coisas, coisas, coisas...
...desde janeiro de 2003

Arquivo: maio de 2010

foca

uy6
Em Iquique, no canto da Playa Cavancha, a poucos metros de distância do nosso hotel ficava um pequeno porto de pescadores.
Além de uma multidão de pássaros marinhos, uma família de focas aguardava os restos dos barcos de pesca.

é isso, por fernando stickel [ 17:51 ]

silêncio

roto
Volto a afirmar que um dos maiores luxos nos dias de hoje é o silêncio.
Disponível em enormes quantidades no Altiplano Boliviano, grátis…

é isso, por fernando stickel [ 15:41 ]

fogo no céu

uy5
Sandrinha tocou fogo no céu e se delicia com o resultado!

é isso, por fernando stickel [ 15:11 ]

chá de camomila

Sim, eu sei, a piada é machista e polítcamente incorreta, ainda assim não resisti, portanto, me perdoem…

Médico: “Sim, o que aconteceu?”
Mulher: “Doutor, eu não sei o que fazer, toda vez que meu marido chega em casa bêbado, ele me bate com sua pasta. Me dá cada pancada! Socos e pontapés!”
Médico: “Eu tenho um remédio muito bom para isso, quando seu marido chegar em casa embriagado, basta você pegar um copo de chá de camomila e fazer um gargarejo. Apenas isso. Gargareje, gargareje, gargareje e gargareje, até ele deitar-se”.
Duas semanas depois, ela retorna ao médico, e parece ter nascido de novo.
Mulher: “Doutor, Isso foi uma idéia brilhante! Toda vez que meu marido chegou em casa bêbado, eu gargarejei muitas vezes com chá de camomila e ele não
me bateu. Qual o segredo da camomila? O que ela causa nele?”
Médico: “Nele, nada. Apenas mantém você de boca fechada”.

é isso, por fernando stickel [ 14:24 ]

quit facebook day

nerd
Hoje, 31 Maio 2010 é o “Quit Facebook Day”
Percebi o vício e tomei a decisão. Acabo de desativar minha conta no Facebook (algo que poderei reverter). Meus 600 amigos que me perdoem, por enquanto não aparecerei mais por lá…
Deixarei de dedicar tempo à este formato de vida virtual e obterei mais tempo para a vida “normal”, o “aqui tem coisa” continuará sendo meu único esforço na internet, o que já é suficiente!
Para trás ficaram, em decisões semelhantes, experiências como Geni, Twitter, Orkut e Fotolog.
Ainda estou conectado ao Youtube, onde de vez em quando adiciono um filme, e o Flickr, que a Fundação Stickel usará em futuro próximo para postar fotos de suas atividades e projetos.

Porém, acima de tudo, acho que a verdade está nos contatos pessoais. Você quer parabenizar alguém pelo aniversário? Faça uma ligação telefônica, marque um encontro ou use o Skype e converse como se fosse ao vivo, mais humano que e-mails e mensagens de Facebook.

é isso, por fernando stickel [ 11:55 ]

promessas…

bolsa_familia_arvore_genealogica
Nani

Haja grana para tanta promessa!!!!

é isso, por fernando stickel [ 9:47 ]

nós não somos nada

uy4
Durante uma semana circulando pelo Altiplano Boliviano, longe das benesses da civilização que nos são mais caras, a eletricidade e a comunicação, e assoberbado pela presença acachapante da natureza, pensei algumas coisas.

Nós humanos não somos nada sobre a face da terra.

O astrônomo Carl Sagan (1934-1996) disse em frase memorável que “We are Star stuff” ou seja, somos matéria de estrelas. Acho que, dada a escala, é disso para menos, portanto, nada.
A natureza é tudo, ainda mais em uma das áreas geológicas mais ativas do planeta, com vulcões fumegantes para todos os lados.
Tudo está em transformação, o lago seco do Salar de Uyuni já teve águas a níveis 40 metros superiores ao atual, civilizações já foram extintas e renasceram, o ciclo de águas altas e baixas já se repetiu ao menos onze vezes, em uma escala de tempo que nós humanos não conseguimos avaliar, centenas de milhares ou milhões de anos.

No máximo somos pequenos pontos de consciência espalhados sobre a natureza. Talvez façamos alguma diferença exercendo nossa bondade e compaixão para com os outros pequenos pontos de consciência, algo que em nada afetará o ciclo natural do planeta, indiferente a tudo isso.
Nada além disso.

é isso, por fernando stickel [ 9:37 ]

oldenburg em iquique

uy1
No caminho para o aeroporto em Iquique fotografei de dentro do taxi esta lata de refrigerante gigante, poderia ser uma obra de Claes Oldenburg.

é isso, por fernando stickel [ 12:54 ]

faleceu dennis hopper

hopper
Foto: Reuters

Morre aos 74 anos o ator e diretor Dennis Hopper, de “Easy Rider”

Em 1989 fiz um programa interessante com os meus filhos Fernanda e Antonio, na época com 12 e 10 anos de idade.
Começamos com uma semana de esqui na neve em Vail, Colorado, em seguida levei-os à Disney de Los Angeles, e ficamos em um hotel ali perto em Anaheim.
Lá pelas tantas me ligou o meu falecido amigo Jay Chiat (1931-2002) e disse:
– Fernando, come up here, I reserved a room for you in Marina del Rey, it’s closer and we could get together. (as distâncias em LA são imensas)

Mudamo-nos de mala e cuia, guiei os cerca de 60km que separavam os bairros, e na mesma noite o Jay me convidou para jantar no Rebecca’s em Venice, frizando que o restaurante era um projeto novo do Frank Gehry, amigo dele e cujo escritório visitei em 1985.
Agitei um programa para os meus filhos jantarem no quarto, o Jay me pegou no hotel em um Porsche 928 preto, naquela época sua agência de publicidade, a Chiat-Day tinha a conta da Porsche.
Chegamos ao Rebecca’s Restaurant em Venice, 2025 Pacific Avenue, e quase caí de costas. O bar na entrada era inteiro de alabastro (ou onyx), e reluzia na atmosfera sensual, no teto um enorme crocodilo feito de placas de metal, o restaurante era a coisa mais interessante e ousada que eu jamais havia visto.
Pouco a pouco os outros convidados foram chegando, o Jay ia me apresentando, entre eles Dennis Hopper (1936-2010). Lembro-me do Jay conversando com ele sobre um warehouse que eles iriam comprar, algo assim.
E eu estava sentado ali do lado dele, tive o privilégio de jantar com um dos monstros sagrados do cinema. Quis a fatalidade que ambos falecessem de cancer da próstata, ainda jovens, com setenta e poucos anos.

é isso, por fernando stickel [ 18:19 ]

explora atacama

explora
O início da nossa viagem em San Pedro de Atacama, no Hotel Explora Larache.
Sofisticadíssimo não pelo luxo, mas exatamente pela dosagem perfeita das necessidades de pessoas que lá estão para usufruir da natureza.
Quartos impecáveis, comida excelente, na dose certa, vinhos fantásticos, dos vinhedos do dono do hotel, Don Pedro Ibañez, guias atenciosos e sabedores de tudo da região.

é isso, por fernando stickel [ 10:49 ]

salar de uyuni

uny
Salar de Uyuni.

é isso, por fernando stickel [ 18:58 ]

altiplano boliviano

alti
No Altiplano Boliviano.

é isso, por fernando stickel [ 14:04 ]

travesias explora

netunoi
No restaurante Netuno, em Iquique, na costa Chilena, o último jantar do grupo no dia 26/5.
Sandra e eu em pé, e sentados, da esq. para a direita, Javier, Cristin, Marianne, Nicolás e Felix.

Em uma das viagens mais fascinantes que jamais fizemos, este grupo conviveu em harmonia durante sete dias em altitudes acima de 4.000m, percorrendo mais de 1.000km de van entre o Atacama no Chile e a Bolivia, no Altiplano Boliviano, explorando o Salar de Uyuni, dormindo em sleeping bags a temperaturas abaixo de zero, sem calefação, sem eletricidade, sem telefone, sem computador, sem contato de nenhuma espécie com o “mundo civilizado”.
A mágica realizada pelo Travesias Explora é manter você com um mínimo de conforto e sofisticação, mesmo nas condições mais extremas, usufruindo da natureza mais intocada que jamais tive o privilégio de conhecer.

Nossas companheiras de viagem, Cristin e Marianne, suíças, já rodaram o mundo várias vezes, conhecem tudo, nossos guias, Javier e Nico, chilenos, sabem tudo da região, da geologia à flora e fauna, passando pelos costumes do povo local e sua história, e o Felix, boliviano, motorista da van, foi capaz de desmontar o carro no meio do nada.

é isso, por fernando stickel [ 11:17 ]

chegamos!

Chegamos!
Amanhã conto tudo!
Mas já posso adiantar que o aeroporto principal da superpotência em Cumbica continua uma bosta, é o caos aéreo não resolvido, mais uma vez a tristeza ao chegar de volta ao Brasil.

humi
Vocês que me prestigiam com a leitura destas mal traçadas devem se perguntar:
– Será que o Fernando não tem coisa melhor para fazer do que reclamar do aeroporto toda a santa vez em que passa por lá?
Pois é.
O fato é que eu reclamo sim, mas com o único objetivo de melhorar. Não é possível que o “Brasil Potência” encarado no bom sentido continue a oferecer a quem chega, tanto faz se são os filhos da casa ou os estrangeiros, situações que beiram a humilhação.
Filas enormes se formaram às 22:00, atravancando as escadas, e nenhum funcionário para organizá-las, o espaço delimitado pelas fitas, vazio.
Depois de um bom tempo aparece um mal humorado, com a mão no bolso, crachá no peito e aquele insuportável ar de quem não quer trabalhar, está de saco cheio e se lixando para aquele monte de pessoas, e abre as fitas.
Nos guichês da Polícia Federal a cena se repete, o sistema eletrônico de chamada não funciona, e os fiscais ficam gritando “PRÓXIMO!!” Ninguém enxerga qual o guichê livre, ou seja, o caos.
Lá pelas tantas quatro fiscais saem de seus guichês e começam a conversar, a fila para. Finalmente uma mais simpática simplesmente confere a foto no passaporte, liberando os infelizes rapidamente e a fila volta a andar.
É uma vergonha para mim, brasileiro, e uma humilhação para qualquer estrangeiro.

é isso, por fernando stickel [ 0:20 ]

bolivia

Amanha saimos cedinho para a Bolivia, ficaremos desconectados por pelo menos tres dias…
Te ja!

é isso, por fernando stickel [ 0:07 ]

atacama

Acabamos de tomar banho em uma lagoa no meio do deserto de sal do Atacama.
A agua eh tao salgada que voce nao afunda!!!!!!!!!!!!!!!!!

é isso, por fernando stickel [ 13:27 ]

salar uyuni

Imagem6
Amanhã cedíssimo Sandra e eu sairemos para profundo contato com a natureza.
Vamos passar por San Pedro de Atacama no Chile, com o objetivo de chegar, ao Salar de Uyuni na Bolivia. A volta será por Iquique, na costa do Chile.

uyuni
Toda a viagem, logística, van, acampamento, alimentação, etc… será do Explora Travesías.

é isso, por fernando stickel [ 18:54 ]

linguiça frita

futebol
O evento da foto está descrito aqui, o muro de arrimo se vê coberto de vegetação.

Lá nos anos 50, quando eu tinha cerca de 8 ou 9 anos, meus pais compraram um terreno nos fundos da nossa casa na R. dos Franceses, e contrataram um peão para fazer um muro de arrimo.
Ele montou um barraco lá nos fundos, trabalhava de dia e morava no barraco, cozinhava, dormia, só não me perguntem onde era o banheiro dele…
Eu que sempre fui curioso, adorava ficar por ali na obra fuçando, examinando, perguntando coisas pro peão, até que um dia a tarde foi caindo e eu fui ficando por ali, até que senti um delicioso e pungente cheiro de linguiça frita.
Era ele cozinhando, deviam ser sete horas por aí, ele tinha uma lamparina, fogãozinho, tudo muito simples, aí ele perguntou se eu não queria experimentar, e me ofereceu a linguiça em um pedaço de pão.
Aceitei e é claro que me deliciei!
Depois contei a aventura e levei, óbvio, uma bronca daquelas.
Hoje em dia, cada vez que sinto este cheiro, pode ser na rua, onde for, a lembrança me vem absolutamente cristalina!

é isso, por fernando stickel [ 18:59 ]