aqui no aqui tem coisa encontram-se
coisas, coisas, coisas...
...desde janeiro de 2003

livraria horizonte

horizonte

Horizonte2
Na segunda metade dos anos 70 (se bem me lembro…) o artista plástico Luis Paulo Baravelli montou seu estúdio na sobreloja de um sobrado comercial na R. João Cachoeira 267, onde hoje existe uma agência do Santander.

Logo em seguida o editor Frederico Jayme Nasser abriu no mesmo prédio, no térreo, a sua Livraria Universo. Ali do lado havia também a CLICK Molduras, de Odila de Oliveira Lee, mulher de William Bowman Lee, pais de Wesley Duke Lee.

Naquela época, 1978, eu era sócio do Norberto (Lelé) Chamma na empresa de design gráfico “und” e fizemos o logotipo da livraria.

Algum tempo depois a livraria se mudou para a a Jesuino Arruda 806, esquina da R. João Cachoeira, e, se bem me lembro mudou de nove para Livraria Horizonte, o logotipo sofreu algumas modificações, fizemos alguns itens adicionais, como etiquetas, etc..

A livraria virou ponto de encontro dos amigos artistas, era uma farra, uma enorme mesa central e poltronas completavam o ambiente acolhedor.

é isso, por fernando stickel [ 18:26 ]

3 comentários

Henrique Trotta

agosto 19th, 2015 at 8:35

Quando vi a foto pensei que era uma denuncia do carro da PM parado em vaga de deficiente!

Marina Sant'Anna

maio 19th, 2020 at 1:30

Peguei um livro agora para ler, emprestado já faz um tempo, edição de 2005, e dentro estava um marcador da Livraria Horizonte (e também com o logotipo da Universidade Anhembi Morumbi. Será que foi lá que a livraria foi parar em algum momento?).
No entanto, imediatamente me veio a lembrança da livraria na Rua Jesuíno Arruda, nos anos 80.
Não resisti pesquisar no Google, e o mais próximo que cheguei foi o seu post.
Achava tão charmosa e intimista, com a mesa bagunçada de trabalho no meio da loja, as cadeiras e poltronas com cara de casa.
Frequentava sobretudo com a minha mãe. A ideia de uma livraria ás vezes parece que nunca mais será tão interessante (apesar de que as grandes cadeias parecem estar falindo…).
Nasci em 1976 e era moradora do bairro. Aliás, fui contemporânea de seus filhos no Gracinha.
Lembro vagamente da Click, onde meus pais enquadraram algumas telas e gravuras.
Boas lembranças…

fernando stickel

maio 19th, 2020 at 10:23

Que delícia teu comentário Marina, venho me dedicando a escrever estas histórias que nos marcaram positivamente…

Deixe seu comentário