aqui no aqui tem coisa encontram-se
coisas, coisas, coisas...
...desde janeiro de 2003

Arquivo: dezembro de 2003

bom verão para vocês!

Bom, então bom verão para vocês!

é isso, por fernando stickel [ 18:26 ]

cuidado com os exageros

… e cuidado com os exageros de fim-de-ano! Foto de Charles Gatewood

é isso, por fernando stickel [ 17:02 ]

feliz natal

Feliz Natal e Bom Ano a todos!

é isso, por fernando stickel [ 13:41 ]

grande brincadeira

Agradeço ao grande cosmos, ou ao grande desconhecido, ou ao grande pai, ou ainda a todos os poderes do universo reunidos pela possibilidade de continuar aqui nesta fantástica brincadeira do blog, valorizando o amor, a beleza, as abobrinhas, e criticando as maldades do mundo.

é isso, por fernando stickel [ 14:54 ]

agradecer à iraci

É preciso também agradecer à minha fiel escudeira Iraci, que fez o almoço de hoje para o Arthur e o Antonio, e vem me tratando muito bem!

é isso, por fernando stickel [ 14:36 ]

sony cyber-shot

Eu não poderia terminar o ano sem mencionar as profundas modificações que esta maravilhosa câmera introduziu na minha vida, pois para mim, a vida de blogueiro e câmera digital são sinônimos.
Ao contrário de vários colegas blogueiros, que escrevem infinitamente melhor do que eu, minha curtição é eminentemente visual, e quando vou à pena e ao papel, via de regra não me alongo.
Então Dona Sony Cyber-shot DSC-F717, muito obrigado, Bom Natal e Feliz Ano Novo!

é isso, por fernando stickel [ 18:34 ]

r. tucumã 141

Morei no final dos anos 70 em um delicioso prédio de três andares sobre pilotis na R. Tucumã 141, em frente à entrada principal do Clube Pinheiros. Lá nasceram meus dois filhos mais velhos, Fernanda em 1977 e Antonio em 1979.
Por pouco naquela época o condomínio não conseguiu destruir o maravilhoso painel da fachada do prédio, de autoria desconhecida.
Através de uma “Comissão de Obras” os arquitetos Tito Livio Fraschino e Helio de Maria Penteado, entre outros vizinhos, argumentavam que o painel era de “mau gosto” e queriam destrui-lo, substituindo a fachada por “brises”, que consideravam uma solução arquitetônica mais limpa e “elegante”.
Então pensei assim:

Que destruam tudo, mas não vão destruir o meu prédio!!!

Pedi para o meu amigo Joaquim cunha Bueno Marques fotografar o prédio, preparei um abaixo assinado com as fotos e fui à luta. De um total de 80 assinaturas que reuni, destacam-se as de:
Pietro Maria Bardi
João Batista Vilanova Artigas
Benedito Lima de Toledo
Wesley Duke Lee
Cesar Giobbi
Modesto Carvalhosa
Salvador Candia
Roberto Aflalo
Maureen Bisilliat
Carlos Alberto Fajardo
Paulo Mendes da Rocha
Julio Moreno
Após o assunto aparecer em destaque no Jornal da Tarde e no Bom Dia São Paulo da Rede Globo, em Outubro de 1978, nunca mais se falou no assunto, o condomínio e sua “Comissão de Obras” calaram-se sobre o assunto e o painel continua lá, firme, forte e lindo.
Hoje meu irmão Neco Stickel mora no prédio e continua zelando por sua integridade.

é isso, por fernando stickel [ 15:55 ]

jantar em família

No jantar, a filha adolescente pergunta para a mãe:
– Mãe, quantos tipos de pênis existem?”.
A mãe, surpresa, responde, olhando pro marido cinqüentão:
– Bem, filha, um homem, passa por três fases. Aos vinte anos, o pênis de um homem é duro e ereto como um carvalho. Dos trinta aos quarenta é como um salgueiro, flexível mas seguro. Aos cinqüenta ele fica como uma árvore de Natal.
– Uma árvore de Natal?
– Sim, seca e com umas bolas penduradas para decoração.
O filho pergunta então para o seu pai:
– E os peitos, pai, quantos tipos de peitos existem?
O pai, já puto, responde:
– Bem, filho, há três tipos de peitos:
-Aos vinte anos os peitos de uma mulher são como melões, redondinhos e firmes. Dos trinta aos quarenta eles são como peras, ainda agradáveis mas um pouco caídos. Depois dos cinqüenta, eles ficam como cebolas.
– Cebolas?
– É, você olha para eles e chora…

é isso, por fernando stickel [ 14:34 ]

what life is about

Vira e mexe recebo textos e animações em pps por e-mail, falando sobre amizade, amor, anjos, etc…, na grande maioria das vezes intragávelmente piegas e adocicados.
Este aí abaixo fugiu à regra, achei interessante, desculpem-me a preguiça de traduzir:

What life is about.
Life isn’t about keeping score.
It’s not about how many friends you have.
Or how accepted you are.
Not about if you have plans this weekend or if you’re alone.
It isn’t about who you’re dating, who you used to date, how many people you’ve dated, or if you haven’t been with anyone at all.
It isn’t about who you have kissed,
It isn’t about who your family is or how much money they have.
Or what kind of car you drive.
Or where you are sent to school.
It’s not about how beautiful or ugly you are.
Or what clothes you wear, what shoes you have on,
Or what kind of music you listen to.
It’s not about if your hair is blonde, red, black, or brown,
Or if your skin is too light or too dark.
Not about what grades you get how smart you are, how smart everybody else thinks you are, or how smart standardized tests say you are.
It’s not about what clubs you’re in or how good you are at “your” sport.
It’s not about representing your whole being on a piece of paper and seeing who will “accept the written you.”
Life just isn’t.
Life is about who you love and who you hurt.
It’s about who you make happy or unhappy purposely.
It’s about keeping or betraying trust.
It’s about friendship, used as a sanctity or as a weapon.
It’s about what you say and mean, maybe hurtful, maybe heartening.
It’s about starting rumors and contributing to petty gossip.
It’s about what judgments you pass and why.
And who your judgments are spread to.
It’s about who you’ve ignored with full control and intention.
It’s about jealousy, fear, ignorance, and revenge.
It’s about carrying inner hate and love, letting it grow and spreading it.
But most of all, it’s about using your life to touch or poison other people’s hearts in such a way that could have never occurred alone.
Only you choose the way those hearts are affected, and those choices are what life’s all about.

é isso, por fernando stickel [ 9:53 ]

meu hobby?

“Meu hobby? Ah! Eu tenho um preto, mas gosto mais do vermelho.”
(Carla Perez)

é isso, por fernando stickel [ 15:14 ]

auf keinen sand gebaut

Levei hoje o Arthur hoje pela segunda vez, a pedido dele, ao Cemitéro dos Protestantes, que fica encravado dentro do Cemitério da Consolação.
Lá repousam os bisavôs/ós dele. Acho excelentes os tranquilos momentos que lá passamos, compramos flores, conversamos sobre famílias, ele faz observações interessantes sobre a arquitetura dos túmulos, e até uma plantação de tomates encontramos. No túmulo da família da minha mãe encontra-se esta frase em alemão:

Wer Gott dem Allerhoechsten traut, der hat auf keinen Sand gebaut.

Traduzindo:

“Quem em Deus Todo Poderoso confiou, não construiu sobre areia.”

é isso, por fernando stickel [ 14:02 ]

minha mala já mudou

São Paulo muda, tudo muda, e a minha mala já mudou.

é isso, por fernando stickel [ 13:50 ]

vadiando

Olha só o que o doce da Lilia enviou pra mim, com a colaboração do filho. Obrigado, querida! Tudo de bom procês também!

é isso, por fernando stickel [ 17:14 ]

viagem de 450 anos

Esta é a mala que 450 artistas receberam do SESC Pompéia para fazer um trabalho a ser exposto na exposição “Uma viagem de 450 anos” de 20/1 a 29/2/2004. A única exigência é que o trabalho final não ultrapasse 5 kg. Minhas ferramentas estão a postos, me aguardem…

é isso, por fernando stickel [ 9:55 ]

olho por olho

Marido e mulher não se falavam há uns três dias.
Entretanto, o homem lembra-se que no dia seguinte tem uma reunião muito cedo no escritório, e como precisava acordar de madrugada resolve pedir à mulher para acordá-lo, mas, (para não dar o braço a torcer!!) escreve num papel:
“Acorde-me às 6 horas da manhã”.
No outro dia, levanta-se e quando olha para o relógio são 9:30h.
O homem tem um ataque e pensa: “Estúpida, não me acordou…” Nisso olha para a mesa de cabeceira e repara num papel, no qual está escrito:
“São seis horas, levanta”.

é isso, por fernando stickel [ 9:23 ]

calor africano, festa entupida

O calor, africano, o trânsito caótico, a festa entupida de gente, o ar condicionado insuficiente, e no meio de tudo isso o meu amigo Gladstone Campos nos fotografou e enviou a foto por e-mail.

é isso, por fernando stickel [ 1:35 ]

almoço de domingo

Após o almoço de domingo no Martin Fierro, fomos Arthur e eu ao estúdio do Cassio Michalany.

é isso, por fernando stickel [ 1:21 ]

são paulo tem árvores

São Paulo tem árvores assim.

é isso, por fernando stickel [ 19:09 ]